Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-06-22T16:31:38-03:00
Kaype Abreu
Kaype Abreu
Formado em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Colaborou com Estadão, Gazeta do Povo, entre outros.
em expansão

De olho no open banking, CSU lança unidade de soluções bancárias para empresas e mira aquisições

Empresa pretende alocar em até cinco anos R$ 150 milhões no negócio e oferecer uma “completa estrutura de produtos e serviços financeiros para empresas de diferentes setores”

23 de junho de 2021
8:00 - atualizado às 16:31
Ricardo Leite, da CSU
Imagem: Divulgação / CSU

A fornecedora de sistemas de gestão de cartões e atendimento a clientes CSU (CARD3) está entrando oficialmente no mercado de Banking as a Service (BaaS) — estrutura de serviços bancários —, com o lançamento de uma nova unidade, a Blue C Technology.

A empresa pretende alocar em até cinco anos R$ 150 milhões no negócio, que oferecerá contas digitais para pessoas físicas e jurídicas, soluções em crédito, câmbio, seguros, investimentos e adquirência.

A Blue C Technology segue o modelo white label: o plano da empresa é "oferecer uma completa estrutura de produtos e serviços financeiros para empresas de diferentes setores".

O movimento faz parte de um plano de expansão da CSU que inclui fusões e aquisições. O diretor-executivo de Relações com Investidores da empresa, Ricardo Leite, diz que a companhia busca, com as iniciativas, uma "substancial taxa de crescimento no futuro".

"A CSU continuará dando foco na ampliação de seu crescimento nas diversas modalidades do crédito, pagamento e na economia digital", afirma o executivo.

No ano passado, a empresa chegou a manifestar a intenção de realizar um follow-on para fazer frente ao projeto, mas recuou diante das condições do mercado.

Em março, a companhia aportou R$ 10 milhões na fintech de pagamentos FitBank, correspondente a uma fatia de 4% do capital da investida.

Na B3, as ações da CSU registram alta de mais de 70% no último ano, cotadas na faixa de R$ 23.

Sede da CSU em Barueri - Divulgação

Nova fase

A CSU diz ver uma nova fase para as inovações do setor financeiro. A primeira seria a de nascimento e ascensão das fintechs. A entrada de grandes varejistas no segmento marcaria um segundo momento.

A chegada de empresas dos demais setores a esse tipo de solução faria parte de uma terceira etapa, que estaria começando agora, de acordo com a companhia.

O CEO da CSU, Marcos Leite, fala em Open Banking e o BaaS como "tendências majoritárias e dominantes no desenvolvimento do mercado de pagamentos e crédito no Brasil".

"Foi por isso que a CSU desenvolveu uma estrutura tecnológica robusta e de alta performance que viabilizará operações dos mais variados perfis de empresas neste segmento", diz o executivo.

"Qualquer companhia com um volume relevante de clientes ou um bom relacionamento com seus stakeholders – parceiros, fornecedores, distribuidores – pode se beneficiar como um provedor de serviços financeiros digitais".

CEO da CSU, Marcos Leite

Para a empresa, os serviços financeiros seriam uma maneira de estreitar o relacionamento com seu público, entender melhor seu comportamento de compra e gastos, reduzir custos com serviços bancários e, ao mesmo tempo, multiplicar suas fontes de receita.

A Blue C Technology deve tirar o projeto da estrutura da CSU, que informa ter 28 milhões de cartões em sua base de serviços, e processar transações cujo montante mensal chega a R$ 15 bilhões.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

em busca de oportunidades

Viver (VIVR3) deixa recuperação judicial e ações disparam; veja como identificar empresas que também podem se recuperar

Pontos são de especialista em gestão estratégica e processos de reestruturação corporativa; Viver (VIVR3) subiu mais de 150% no último ano e ganha impulso com saída da RJ

Nova bolada

Corretora que quer levar brasileiros a investir nas bolsas dos EUA recebe aporte de R$ 150 milhões; saiba mais

Com US$ 1 bilhão em ativos sob gestão e 300 mil clientes, a Avenue Securities recebeu aporte do fundo japonês Softbank

O gigante quer mais

Buscando margem: Itaú Unibanco (ITUB4) aposta em retomada de crédito pessoal para lucro continuar em alta

Carteira de crédito tem sido impulsionada por linhas com juros mais baixos para os clientes, como financiamento de imóveis e de veículos

Na mira da lei

O que bitcoin e carro tem em comum? Para o novo diretor da CVM americana, ambos precisam de limites

O novo chefe da SEC, a CVM americana, é um entusiasta de criptomoedas e deve trazer um time de peso para sua equipe

Na agenda

Reforma administrativa deve ser votada na Câmara no fim de agosto, diz Lira

O parlamentar avaliou que ficará mais difícil avançar com reformas no ano que vem, quando os interesses políticos vão se sobrepor à agenda econômica

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies