Menu
2021-06-09T14:47:30-03:00
Kaype Abreu
Kaype Abreu
Formado em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Colaborou com Estadão, Gazeta do Povo, entre outros.
ações na b3

Com IPO, Tópico quer locação de galpões ‘tech’

Fundada há mais de 40 anos, empresa quer recursos para comprar outras companhias; IPO deve dar opção de saída ao Southern Cross Group

9 de junho de 2021
14:47
tópico galpões
Imagem: Divulgação / Tópico

A oferta pública de ações (IPO, na sigla em inglês) da Tópico deve fornecer recursos para a empresa intensificar a atuação com uma proposta de soluções tecnologicamente mais avançadas.

A companhia é especializada no segmento de venda e locação de galpões, tendas e coberturas em lona ou zinco, atendendo diversos segmentos econômicos, mas com forte presença no agronegócio e nas indústrias de fertilizantes e açúcar.

No mercado todo, há técnicas de construção como alvenaria e metálicos, mas a Tópico defende que seu modelo de negócios é mais ágil. O plano da empresa é avançar em todo o setor.

Enquanto no segmento da solução que a empresa oferece sua participação corresponde a 63,7%, em todo o mercado as soluções da companhia chegam 1%, segundo a Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq).

Para a Tópico, os números revelam "uma baixa penetração da tecnologia e alto potencial de crescimento". A via para o crescimento, com dinheiro do IPO, é o "fortalecimento da capacidade financeira" e aquisições de outras empresas.

Impulso recente

Fundada há pouco mais de 40 anos, a Tópico diz ser líder no segmento de locação de infraestruturas flexíveis no Brasil. A empresa oferece soluções de armazenagem a mais de 750 clientes em todo o território nacional.

No ano passado, a empresa teve lucro líquido de R$ 23,3 milhões, com margem bruta de 45%. O resultado, diz a companhia, reflete um plano estratégico iniciado em 2014, após a aquisição da divisão de armazenagem da Nautika Coberturas.

A operação impulsionou a companhia em quantidade de metros quadrados de galpões alugados no mercado em termos de base locada de galpões flexíveis.

Ainda em 2014, a Southern Cross Group assumiu o controle da companhia com a aquisição de 70% do seu capital social, iniciando um processo de melhora de governança e profissionalização das equipes.

O IPO deve dar saída de ao menos parte da participação do fundo. O fundador da empresa, Ricardo Vantini, ainda detém pouco mais de 29% do capital social da companhia.

A Tópico oficializa a intenção de abrir capital na B3 depois de uma série de ofertas de empresas menores que tiveram de ser reduzidas, diante de um mercado com menos apetite. Investidores esperam para a segunda metade de 2021 IPOs de maior parte, entre eles o da Raízen.

A oferta é coordenada por Itaú BBA (líder), com Bank of America, Santander e XP.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

de olho na reabertura

Vacina no braço e compra de ações: por que o UBS (o banco suíço) agora recomenda a bolsa brasileira

Banco suíço cita as revisões de crescimento para a economia brasileira, menor risco fiscal, expectativa de lucro das empresas e preços em patamares “convidativos”

seu dinheiro na sua noite

Anitta no conselho do Nubank, mais ofertas de ações e o ponto de inflexão do minério de ferro

Acostumado a fazer barulho no mercado, o Nubank fez, nesta segunda-feira, mais um anúncio que deu o que falar: a contratação da cantora e empresária Anitta para integrar o conselho de administração da empresa. A garota do Rio, nascida no bairro suburbano de Honório Gurgel e alçada à fama pelo funk carioca, ocupará uma cadeira […]

linhas 8 e 9

CCR assina acordo de acionistas com RuasInvest no Consórcio Via Mobilidade

Acordo prevê os porcentuais de participação de 80% da CCR e de 20% da RuasInvest no Consórcio ViaMobilidade Linhas 8 e 9

Microcaps

Panvel (PNVL3): é hora de investir?

A rede Panvel é queridinha no Sul do país. Sua recuperação tem mostrado que ela pode ser uma gema entre as microcaps da Bolsa. Descubra se vale a pena investir nela no Chama o Max de hoje.

sinal verde

Câmara aprova texto-base da MP que viabiliza privatização da Eletrobras

Placar foi de 258 votos contra 136; texto já havia sido aprovado pela Casa, mas voltou depois de alterações no Senado

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies