🔴 É HOJE! PLANO PRÁTICO PARA GERAR RENDA EM DÓLAR SERÁ REVELADO – VEJA COMO ACESSAR

Ricardo Gozzi
TUDO SOB CONTROLE?

Grupo Kaisa entra para o clube das incorporadoras chinesas a descumprirem compromissos com seus credores

Empresa pediu a suspensão dos negócios com suas ações em Hong Kong depois de anunciar que não teria como pagar parte de um débito de cerca de US$ 2 bilhões em produtos de gestão de fortunas

Ricardo Gozzi
5 de novembro de 2021
7:54
bandeira da China
Imagem: Divulgação

A Evergrande inaugurou o clube com estardalhaço em setembro. Nas semanas seguintes, a megaincorporadora chinesa ganhou a companhia da Fantasia Holdings e da Modern Land.

Agora é a vez de o Grupo Kaisa entrar para o clube das grandes construtoras chinesas a descumprirem compromissos com seus credores.

As ações do conglomerado caíram mais de 15% durante o pregão de hoje em Hong Kong, atingindo seu mais baixo nível na história. Desde o início de 2021, as ações da incorporadora desvalorizaram-se mais de 70%.

Tudo porque a empresa anunciou que não teria como pagar parte da dívida de 12,7 bilhões de yuans (cerca de US$ 2 bilhões) em produtos de gestão de fortunas.

Ações suspensas

Em reação, a bolsa de valores de Hong Kong suspendeu as negociações com o papel. Em um breve comunicado, a direção da bolsa informou que a suspensão se deu a pedido do próprio Grupo Kaisa.

Sediada em Shenzhen, a Kaisa informou por meio de nota que “vários fatores desfavoráveis”, como a desaceleração do mercado imobiliário e o rebaixamento na avaliação pelas agências internacionais de classificação de risco, resultaram em uma “pressão sem precedentes” sobre a liquidez da empresa.

À mídia chinesa, porém, o presidente do conselho do Grupo Kaisa, Guo Yingcheng, assegurou que a empresa tem “capacidade e método” para reembolsar seus credores.

Os motivos da crise

Essa crise liquidez foi desencadeada por medidas adotadas pelo governo chinês para deter o avanço da especulação imobiliária, que vinha levando a um aumento considerável tanto os preços dos imóveis quanto no dos aluguéis.

Os primeiros sinais explícitos da crise setorial vieram à tona no início de setembro, com a Evergrande, atualmente famosa como a incorporadora mais endividada do mundo, com mais de US$ 300 bilhões em dívidas.

Mas como se trata de um aperto regulatório sobre um setor inteiro, já havia a expectativa de que outras grandes empresas chinesas seriam impactadas em maior ou menor medida.

Sempre que questionados sobre o tema, representantes do governo chinês asseguram que a situação está sob controle.

Por falar em Evergrande

A primeira das grandes incorporadoras chinesas a sentir na pele a crise provocou um susto, mas está conseguindo se virar para contornar a crise.

Recentemente, depois de ter conseguido chegar a acordos com credores em moeda local, a Evergrande conseguiu inclusive evitar uma declaração formal de calote ao pagar dois títulos emitidos em moeda estrangeiras na última hora de seus respectivos períodos de carência.

Agora as atenções estão voltadas para o próximo prazo de pagamento da Evergrande, amanhã. Apesar disso, os temores relacionados à empresa diminuíram consideravelmente diante de notícias de que o governo chinês estaria pressionando Xu Jiyain - fundador da Evergrande, também conhecido como Hui Ka Yan em cantonês - a usar sua fortuna pessoal para aliviar a crise do conglomerado.

Compartilhe

Engordando os proventos

Caixa Seguridade (CXSE3) pode pagar mais R$ 230 milhões em dividendos após venda de subsidiárias, diz BofA

14 de setembro de 2022 - 13:22

Analistas acreditam que recursos advindos do desinvestimento serão destinados aos acionistas; companhia tem pelo menos mais duas vendas de participações à vista

OPA a preço atrativo

Gradiente (IGBR3) chega a disparar 47%, mas os acionistas têm um dilema: fechar o capital ou crer na vitória contra a Apple?

12 de setembro de 2022 - 13:09

O controlador da IGB/Gradiente (IGBR3) quer fazer uma OPA para fechar o capital da empresa. Entenda o que está em jogo na operação

novo rei?

O Mubadala quer mesmo ser o novo rei do Burger King; fundo surpreende mercado e aumenta oferta pela Zamp (BKBR3)

12 de setembro de 2022 - 11:12

Valor oferecido pelo fundo aumentou de R$ 7,55 para R$ 8,31 por ação da Zamp (BKBR3) — mercado não acreditava em oferta maior

Exclusivo Seu Dinheiro

Magalu (MGLU3) cotação: ação está no fundo do poço ou ainda é possível cair mais? 5 pontos definem o futuro da ação

10 de setembro de 2022 - 10:00

Papel já alcançou máxima de R$ 27 há cerca de dois anos, mas hoje é negociado perto dos R$ 4. Hoje, existem apenas 5 fatores que você deve olhar para ver se a ação está em ponto de compra ou venda

NOVO ACIONISTA

Com olhos no mercado de saúde animal, Mitsui paga R$ 344 milhões por fatias do BNDES e Opportunity na Ourofino (OFSA3)

9 de setembro de 2022 - 11:01

Após a conclusão, participação da companhia japonesa na Ourofino (OFSA3) será de 29,4%

Estreia na bolsa

Quer ter um Porsche novinho? Pois então aperte os cintos: a Volkswagen quer fazer o IPO da montadora de carros esportivos

6 de setembro de 2022 - 11:38

Abertura de capital da Porsche deve acontecer entre o fim de setembro e início de outubro; alguns investidores já demonstraram interesse no ativo

Bateu o mercado

BTG Pactual tem a melhor carteira recomendada de ações em agosto e foi a única entre as grandes corretoras a bater o Ibovespa no mês

5 de setembro de 2022 - 15:00

Indicações da corretora do banco tiveram alta de 7,20%, superando o avanço de 6,16% do Ibovespa; todas as demais carteiras do ranking tiveram retorno positivo, porém abaixo do índice

PEQUENAS NOTÁVEIS

Small caps: 3R (RRRP), Locaweb (LWSA3), Vamos (VAMO3) e Burger King (BKBR3) — as opções de investimento do BTG para setembro

1 de setembro de 2022 - 13:50

Banco fez três alterações em sua carteira de small caps em relação ao portfólio de agosto; veja quais são as 10 escolhidas para o mês

PATRIMÔNIO HISTÓRICO

Passando o chapéu: IRB (IRBR3) acerta a venda da própria sede em meio a medidas para se reenquadrar

30 de agosto de 2022 - 11:14

Às vésperas de conhecer o resultado de uma oferta primária por meio da qual pretende levantar R$ 1,2 bilhão, IRB se desfaz de prédio histórico

Exclusivo Seu Dinheiro

Chega de ‘só Petrobras’ (PETR4): fim do monopólio do gás natural beneficia ação que pode subir mais de 50% com a compra de ativos da estatal

30 de agosto de 2022 - 9:00

Conheça a ação que, segundo analista e colunista do Seu Dinheiro, representa uma empresa com histórico de eficiência e futuro promissor; foram 1200% de alta na bolsa em quase 20 anos – e tudo indica que esse é só o começo de um futuro triunfal

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar