Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-06-29T00:21:37-03:00
Kaype Abreu
Kaype Abreu
Formado em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Colaborou com Estadão, Gazeta do Povo, entre outros.
disparada das ações

Vítima da crise de 2008, Brasil Brokers (BBRK3) vira alvo de especulação na bolsa

Papéis subiram mais de 80% apenas nesta quarta-feira, mas empresa diz desconhecer razão para o movimento; BR Brokers registra sucessivos prejuízos

23 de junho de 2021
18:43 - atualizado às 0:21
São Paulo centro imóveis
Centro de São Paulo - Imagem: Shutterstock

As ações da Brasil Brokers Participações (BBRK3) dispararam nesta quarta-feira (23) sem que houvesse uma razão pública para o movimento. Os papéis eram negociados na B3 a R$ 4,38, em uma alta de 82,50%.

O movimento segue a mesma tendência desde o início desta semana: na segunda, BBRK3 subiu 11% e, no dia seguinte, avançou 13%. Apesar disso, o patamar atual dos papéis está longe da máxima histórica da companhia.

Questionada por B3 e CVM em ofício a respeito da oscilação recente dos papéis, a BR Brokers disse que "não tem conhecimento da existência de qualquer fato ou informação que possam justificar" o movimento.

O melhor momento da empresa na bolsa foi em 2008, quando as ações chegaram ao patamar de R$ 340 — depois de um IPO um ano antes na faixa pouco acima dos R$ 11.

No entanto, a crise financeira global — que impactou todo o setor imobiliário — impôs uma queda vertiginosa para os papéis da companhia, que nunca mais chegaram perto do patamar recorde.

A Brasil Brokers é uma prestadora de serviços: praticamente não tem ativos e conta majoritariamente com corretores terceirizados.

Hoje, a empresa diz manter o foco em iniciativas de austeridade, como a contenção de custos e despesas administrativas, "revendo de forma cíclica todos os gastos realizados nas operações e no corporativo."

"A companhia vem trabalhando em um novo direcionamento estratégico, com o foco na rentabilidade do negócio, transformação digital, melhoria na experiência do cliente, e no trabalho como ecossistema, expandindo o portfólio de produtos e serviços", disse a empresa no último release de resultados.

Prejuízo e passivos judiciais

A BR Brokers registrou no primeiro trimestre um prejuízo líquido atribuído aos acionistas controladores, antes de passivos judiciais, de R$ 21,6 milhões. Contando os passivos judiciais, a cifra chega a R$ 23,8 milhões — no mesmo período do ano passado, o prejuízo chegou a R$ 71 milhões.

O passivo trabalhista é um dos temas sensíveis do negócio, mas a empresa diz estar controlado. Essa parte do balanço diz respeito a ações movidas por corretores autônomos que pleiteiam reconhecimento de vínculo empregatício e previdenciário em esferas judiciais.

O estoque de processos trabalhistas da companhia foi de 408 em dezembro de 2019, mas chegou a 300 processos no primeiro trimestre.

O período de três meses finalizado em 31 de março de 2021 também marcou um Ebitda (Lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) negativo de R$ 3 milhões, após passivos judiciais.

No entanto, a empresa destacou que as despesas jurídicas, no período de três meses findo em 31 de março de 2021, apresentaram uma redução de 59% em relação ao mesmo período do ano passado, chegando a R$ 2,3 milhões.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Cripto-Unicórnio

Plataforma de negociação de NFT é primeiro unicórnio do mundo cripto com US$ 1,5 bi em valor de mercado

Em meio ao crash do mercado, a negociação de NFTs esfriou significativamente, mas voltaram a subir nos últimos meses

Sondagem Industrial

Pandemia ainda afeta oferta e custo de matérias-primas, afirma CNI

O problema é mencionado por 68,3% das indústrias pesquisadas. Em seguida, a elevada carga tributária (34,9%) e a taxa de câmbio (23,2%)

Exile on Wall Street

Para ser faixa-preta nos investimentos é preciso ter a paciência japonesa

Na literatura de alocação de ativos, “momentum” é a tendência que um ativo tem de continuar subindo apenas porque… já vem subindo. Nos últimos 30 anos, dezenas de estudos acadêmicos e gestores sistemáticos praticantes têm validado a existência de um prêmio por momentum no mercado de ações. Contrariando o senso comum, seria possível ganhar dinheiro […]

MERCADOS HOJE

Com clima doméstico tenso e inflação, Ibovespa não acompanha otimismo de NY; dólar recua

A crise política segue pesando no cenário interno, com a reforma ministerial e os ruídos em Brasília

O melhor do seu dinheiro

O mercado de ações à brasileira, a expectativa contra a realidade dos investimentos e outros destaques

A expressão Made in Brazil já foi muito mais utilizada do que é hoje em dia. Trazia inclusive uma conotação de nacionalismo, de orgulho do que era produzido por aqui e fazia sucesso no exterior. E pesquisando sobre o termo, encontrei uma banda de rock brasileira, bastante importante na cena musical dos anos 1970, exatamente […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies