2021-09-18T11:57:59-03:00
Kaype Abreu
Kaype Abreu
Formado em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Colaborou com Estadão, Gazeta do Povo, entre outros.
nome limpo na praça

Boa Vista (BOAS3): Itaú BBA inicia cobertura com ‘compra’ e potencial de alta de 27%

Preço-alvo para 2022 foi estabelecido em R$ 15,50, apoiado na tese de crescimento da companhia e do mercado de serviço de informações de crédito

18 de setembro de 2021
11:53 - atualizado às 11:57
Imagem: Divulgação / Boa Vista

O bureau de crédito Boa Vista (BOAS3) recebeu uma recomendação de compra por analistas do Itaú BBA, em primeira avaliação sobre a companhia feita pelo banco. O preço-alvo para 2022 foi estabelecido em R$ 15,50, o que implica um potencial de alta de 27%.

O banco diz que o valuation atual da empresa "não é uma barganha", com a ação negociada a 30,8x P/E (preço/lucro), mas defende que haverá ganho de mercado em determinado segmento, crescimento com a incorporação da Konduto e novos esforços na área de fusões e aquisições.

A instituição vê a área de atuação da empresa com grande potencial de crescimento, ao passo que a própria Boa Vista deve abocanhar parte considerável do mercado de serviço de informações de crédito, segundo o banco.

Na avaliação do Itaú BBA, a companhia deve registrar uma taxa composta de crescimento anual (CAGR) de 19% nos próximos quatro anos.

"Alguns fatores tornam maiores as barreiras de entrada neste mercado do que se poderia esperar, como a vantagem de ter um banco de dados de pessoas físicas e jurídicas - o que seria difícil para um concorrente construir do zero e, ao mesmo tempo, oferecer aos clientes uma proposta de valor", diz trecho do relatório.

Além do banco de dados, o Itaú cita atividades que são complementares e sinérgicas com o negócio principal da empresa.

"A aquisição da Konduto é um bom exemplo de movimento que, em nossa opinião, faz total sentido estratégico e ajudará a empresa a diversificar seus negócios no futuro, ao mesmo tempo em que se mantém fiel ao seu DNA", diz o Itaú BBA.

As ações da Boa Vista (BOAS3) estrearam na B3 em setembro do ano passado e desde então acumulam perdas de 13%, fechando esta sexta (17) a R$ 12,15. O valor está abaixo da mediana do preço-alvo entre quatro casas de análise, de R$ 14,50 - são três recomendações de compra.

VÍDEO: TOP 5 investimentos isentos de Imposto de Renda

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente
Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

DOR NO BOLSO

IPVA 2022 encarecerá 30%, em média, em São Paulo; descubra quanto você vai pagar de imposto

E a notícia doí ainda mais no bolso porque a data de pagamento do IPVA está bem próxima: quem quiser desconto tem de quitar a soma já no próximo mês

Bitcoin (BTC) hoje

Bitcoin e ethereum despencam hoje, e principal criptomoeda do mundo se afunda ainda mais no ‘bear market’

Após uma semana que terminou com ganhos, as duas maiores moedas digitais do mercado sofreram na virada de sexta-feira para sábado

Trabalhadores em falta

Como a falta de bebês na China pode provocar uma crise financeira global

A população da China vem recuando desde 2010, e, com as taxas de natalidade nos menores níveis em 80 anos, o cenário ameaça todo o planeta

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

IPO do Nubank, como driblar os impostos e onde investir o 13º salário: confira os destaques da semana

Nada é pior para um ansioso do que a incerteza. E o mercado, ultimamente, vem sendo marcado por uma forte onda de incertezas, vindas de todos os lados. Os preços dos ativos respondem a isso com volatilidade, e não há muito o que fazer a não ser manter a calma, focar nos fundamentos e aguardar […]

Clube anti-cripto

China acertou ao banir o bitcoin? Braço direito de Warren Buffett diz que as criptomoedas nunca deveriam ter sido inventadas

A aversão de Charlie Munger pelo bitcoin cresceu ainda mais durante a pandemia; para o bilionário, o criptoativo é “repugnante”