Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-08-07T15:16:38-03:00
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico. Em 2020, foi eleito pela Jornalistas & Cia como um dos 10 profissionais de imprensa mais admirados no segmento de economia, negócios e finanças.
Lucro bilionário

Quer ser sócio de Warren Buffett? Fique atento aos BDRs da Berkshire (BERK34) após mais um bom balanço

A Berkshire Hathaway, conglomerado de investimentos de Warren Buffett, teve alta no lucro no trimestre; os BDRs BERK34 acumulam alta no ano

7 de agosto de 2021
15:16
Warren Buffett Berkshire Hathaway BDRs BERK34
Imagem: Shutterstock

O oráculo do mercado financeiro está com um problema: Warren Buffett tem dinheiro de sobra, mas não encontra onde gastá-lo — um sufoco que qualquer ser humano comum adoraria passar. Mas, ora essas, não estamos falando de um reles mortal; e tampouco a Berkshire Hathaway (BERK34), seu conglomerado de investimentos, é uma empresa como as outras.

Passado mais um trimestre, o quadro continua mais ou menos o mesmo: Buffett segue sem sucesso na busca por uma aquisição atrativa; enquanto isso, vai gerenciando a enorme carteira de ativos da Berkshire e seu gigantesco caixa de US$ 144 bilhões.

Uma posição bastante confortável, convenhamos — e que, em meio ao bom momento das bolsas americanas, não exige grande esforço para que o conglomerado continue registrando lucros bilionários.

Afinal, a Berkshire tem posições relevantes em empresas como Apple e Coca-cola, além de investimentos diversos no setor de seguros e bancos. Assim, se o preço das ações sobe, sua carteira automaticamente vale mais.

Ao fim do segundo trimestre, a Berkshire Hathaway reportou um lucro líquido de pouco mais de US$ 28 bilhões, uma alta de 6% em relação ao mesmo período do ano passado. No semestre, os ganhos acumulados já chegam a quase US$ 40 bilhões.

Mas é claro que Warren Buffett não ficou parado nos últimos meses, apenas coletando os ganhos obtidos em bolsa. O balanço da Berkshire mostra algumas movimentações do megainvestidor e indica que ele segue acompanhando o mercado de perto.

No programa Ações para Ficar de Olho desta semana, eu comento sobre algumas empresas e teses de investimento que podem ser interessantes para você. Veja o vídeo abaixo:

O jeito Warren Buffett de operar

Buffett tem seus mantras na hora de investir: como ele mesmo diz, é preciso, antes de tudo, entender o modelo de negócios e o setor de atuação de uma companhia antes de alocar dinheiro nela.

O segundo passo é a avaliação de preço: o oráculo de Omaha busca sempre empresas que ofereçam boas perspectivas de crescimento, mas que, por qualquer motivo, estejam precificadas abaixo do que seria um valor justo.

E, em terceiro lugar, está a gestão dos investimentos: em geral, ele carrega suas posições por um longo período — não estamos falando de alguém que compra e vende ações o tempo todo.

Só que a extrema liquidez que tem patrocinado o avanço das bolsas no mundo todo emperrou o modelo Buffet de fazer negócios. Com o mercado acionário subindo sem parar desde meados do ano passado, os preços dos ativos estão altos demais — e não é porque a Berkshire tem dinheiro de sobra que ele vai fazer compras por um preço que ele não acha atrativo.

Tanto é que o conglomerado, na verdade, vendeu US$ 1,1 bilhão em ações ao longo do segundo trimestre, aproveitando a alta do mercado acionário americano nos últimos meses. A quantia negociada de cada papel não foi revelada.

Ainda assim, os tradicionais 'pesos pesados' da carteira de mais de US$ 300 bilhões da Berkshire continuam os mesmos:

  • Apple: US$ 120,4 bilhões;
  • Bank of America: US$ 42,6 bilhões;
  • American Express: US$ 25,1 bilhões; e
  • Coca-cola: US$ 21,9 bilhões.

A falta de oportunidades de compra tem feito com que Buffett mexa com mais frequência na carteira da Berkshire: há não muito tempo, ele se desfez de toda a posição em companhias aéreas, dada a incerteza ainda elevada no setor por causa da Covid-19.

Berkshire Hathaway na bolsa

Sem grandes aquisições nos últimos anos, Buffett tem promovido recompras de ações da Berkshire Hathaway, de modo a gerar valor ao acionistas da companhia. Mas esse movimento tem um inconveniente: os papéis do conglomerado têm liquidez relativamente baixa em Wall Street.

Uma ação classe A (BRK-A) da empresa custa cerca de US$ 430 mil — um valor intencionalmente alto para atrair apenas os acionistas que pretendem ficar com os papéis por um prazo longo. Os ativos classe B (BRK-B) são mais acessíveis, na casa de US$ 280.

Ambas têm um desempenho forte: em um ano, as ações classe A sobem 17%, enquanto as do tipo B avançam 36%. E, mesmo que a ausência de grandes aquisições possa frustrar os investidores, também não há nada que indique qualquer tipo de pressão sobre a Berkshire.

Dito isso, há BDRs da Berkshire sendo negociados na B3, sob o código BERK34 — em um ano, os ganhos acumulados são de quase 50%. Ainda assim, repare que os ativos não estão nas máximas de 2021:

Berkshire Hathaway Warren Buffett BDRs
Os BDRs da Berkshire Hathaway (BERK34) fecharam o pregão da última sexta-feira (7) em alta de 2,33%, a R$ 74,95

Sendo assim, considerando o bom momento da Berkshire e seus lucros crescentes, os BDRs da empresa podem ser uma opção interessante — e representam a chance de ser sócio de Warren Buffett.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

seu dinheiro na sua noite

Costurando uma saída

Não faz muito tempo que usei este mesmo espaço para lembrá-lo de como o mercado não gosta de incertezas e a falta de uma leitura clara sobre o futuro acaba prejudicando os negócios na B3. O dia de hoje veio para provar que, mesmo em meio às incertezas, ter uma noção mais clara do caminho que […]

carreira e diversidade

Magazine Luiza abre inscrições para 2º programa de trainees exclusivo para pessoas negras

Programa aceita candidatos formados entre dezembro de 2018 e dezembro de 2021, em qualquer curso superior; fluência em língua inglesa e experiência profissional não fazem parte dos pré-requisitos

pós-brumadinho

Vale (VALE3) muda alto escalão e tenta reforçar discurso ESG

Luciano Siani Pires, que desde 2012 ocupa posição de vice-presidente finanças e RI, assumirá a vice-presidência de estratégia e transformação de negócios, cargo criado em março pela mineradora

Troca de comando

Gustavo Raposo renuncia ao cargo de presidente da Transpetro, subsidiária da Petrobras (PETR4); sucessor já foi escolhido

Com a saída de Raposo, o conselho da empresa deverá deliberar sobre a nomeação do atual diretor de Serviços para o comando

atenção, acionista

Dividendos: WEG (WEGE3) paga R$ 86,8 milhões em juros sobre capital próprio

Valor líquido é de R$ 0,017 por ação; terão direito aos proventos acionistas na base em 24 de setembro, segundo a companhia

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies