2021-07-26T09:34:27-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
Análise

Investir em ações de banco ainda é uma boa? Veja 3 motivos que deixam a XP Investimentos cautelosa

Se no ano passado a postura era otimista, agora os analistas do setor financeiro da XP estão mais cautelosos, já que o cenário é de preços elevados dos ativos e uma concorrência e intervenções regulatórias preocupantes.

25 de julho de 2021
11:54 - atualizado às 9:34
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

A temporada de balanços brasileira está prestes a começar. Como já é tradição, os grandes bancos privados devem estar entre os primeiros a divulgarem os seus números do segundo trimestre de 2021

A largada será dada pelo Santander Brasil, na próxima quarta-feira (28), antes da abertura do mercado, mas a XP Investimentos aproveitou o momento para rever as suas expectativas para todo o setor bancário. 

Se no ano passado a postura era otimista, agora os analistas do setor financeiro da XP — Marcel Campos, Matheus Odaguil, Vitor Pini e Artur Alves — estão mais cautelosos, já que o cenário é de preços elevados dos ativos e uma concorrência e intervenções regulatórias preocupantes. 

Por estarem muito próximos dos seus múltiplos históricos e a chegada do open banking trazendo uma concorrência ainda mais agressiva no segmento de atacado, o sentimento é de preocupação, o que mexe com o potencial de alta das companhias. 

Em relatório, a XP Investimentos rebaixou os papéis do Santander de neutro para venda e os do Bradesco de compra para neutro. Já as recomendações para as ações do Banco do Brasil (compra) e Itaú (neutra) se mantiveram. 

Para os analistas as recomendações se mantiveram neste patamar pois o BB ainda tem um preço atraente e conta com rendimento de dividendos, enquanto o Itaú pode destravar valor com a criação da Newco, empresa que agregará a participação do bancão no capital da XP. Já o rebaixamento de Bradesco e Santander se deve aos riscos e os múltiplos elevados em que os papéis são transacionados. 

  • Bradesco : Preço-alvo de R$ 26,00 (9% de potencial de alta)
  • Santander: Preço-alvo de R$ 36,00 (10% de potencial de queda)
  • Banco do Brasil: Preço-alvo de R$ 52,00 (64% de potencial de alta)
  • Itaú Unibanco: Preço-alvo de R$ 28,00 (4% de potencial de queda)

Confira 3 motivos para a visão mais cautelosa dos analistas:

Baixe já o seu!

Conquiste a sua medalha de investidor com as nossas dicas de onde investir no segundo semestre de 2021 neste ebook gratuito.

1) Open banking é um risco

O Open Finance do Banco Central é uma medida que consolidará os dados dos clientes no setor financeiro, aumentando a oferta de crédito, seguros e investimentos. Má notícia para os bancões. 

Na visão dos analistas, a medida irá diminuir as barreiras de entradas de novos competidores, que já entram no jogo podendo jogar de igual para igual, ou seja, trabalhar com a mesma base de dados consolidados. A mudança tem potencial de aumentar a competição no setor e diminuir o retorno sobre o patrimônio líquido (ROE) das empresas. “Mesmo que seja difícil prever os vencedores, acreditamos que os incumbentes (operadores históricos) podem ser os perdedores devido à sua alta participação de mercado, estrutura e experiência do cliente abaixo da média”. 

O open banking deve ser implementado em quatro fases no Brasil, mas ainda há incertezas quando se olha para o exterior. O BC da Inglaterra não conseguiu implementar a medida com sucesso, levando a uma baixa adesão de apenas 10% dos usuários, mas os analistas da XP estão confiantes no modelo proposto pelo BC brasileiro. 

O Brasil sai na frente com dados padronizados em API, grande número de participantes já os estágios iniciais e o papel ativo dos reguladores. "Temos o excelente histórico regulatório do Banco Central do Brasil, combinado com bancos digitais como Nubank e Inter, que têm milhões de clientes, mas praticamente nenhuma participação no mercado de crédito". 

2) Concorrência elevada e qualificada

Com todas as companhias tendo acesso a uma grande quantidade de dados e a queda nas barreiras de entrada, a perspectiva é de que cada vez mais produtos diferenciados sejam criados. Para os analistas, o que deve impulsionar a concorrência é justamente a qualidade dos produtos e a experiência dos clientes, o que não costuma ser um ponto positivo nos bancos tradicionais e sim de fintechs como o Nubank, por exemplo. 

Outro ponto delicado é a imersão dos bancões tradicionais no sistema antigo e a sua já grande participação de mercado. 

3) Indo muito além do crédito

Ao contrário do que ocorreu no exterior, a regulação local será mais agressiva, abrangendo diversos produtos e pressionando as margens de seguros, investimentos e operações de câmbio. 

Com isso, os novos entrantes podem acabar chegando já oferecendo serviços melhores de crédito, levando a uma queda no spread bancário de aproximadamente 1,2 ponto percentual. 

Seguros e investimentos também devem contar com uma maior oferta de produtos e concorrência. Essas mudanças podem impulsionar o processo de digitalização das instituições e as transformações em grandes plataformas. “Se for esse o caso, teríamos um mercado mais competitivo, com participantes dispostos a destruir valor por maior valor de mercado”. 

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente
Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

Bitcoin (BTC) hoje

Bitcoin (BTC) corre atrás do prejuízo e avança mais de 4% hoje; ethereum (ETH) recupera perdas da semana

As criptomoedas correm atrás do prejuízo e tentam recuperar parte da queda brusca registradas no último sábado

CRIPTO INSTITUCIONAL

Real digital vem aí! Banco Central prepara versão virtual da moeda brasileira para 2022

A instituição lançou um laboratório para estudar as possibilidades de uso e de execução de projetos com a versão virtual da moeda brasileira

Clube do Livro

Para ter sucesso nos investimentos, é preciso fugir das armadilhas da mente – É o que mostra o livro “A arte de pensar claramente”, de Rolf Dobelli

Compreender como o nosso cérebro funciona no processo de tomada de decisões é essencial para ter mais assertividade na vida financeira e nos investimentos.

Trilhas de Carreira

O que os cursos sobre liderança profissional não contam para você

Já vi e participei de muitas capacitações, mas poucas me transformaram genuinamente. Isso me faz refletir bastante sobre a essência dos líderes, e observo que há um padrão bem recorrente

PLANEJAMENTO FINANCEIRO

Reserva de emergência é para todo mundo? Não segundo este planejador financeiro; entenda

Separar uma quantia para imprevistos não importa a sua situação é uma recomendação quase unânime entre os planejadores financeiros, mas esse profissional acredita no contrário