Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-03-04T19:34:15-03:00
Ivan Ryngelblum
Ivan Ryngelblum
Jornalista formado pela PUC-SP, com pós-graduação em Economia Brasileira e Globalização pela Fipe. Trabalhou como repórter no Valor Econômico, IstoÉ Dinheiro e Agência CMA.
óleo quente

Na frigideira, André Brandão deve deixar comando do Banco do Brasil

Notícias na mídia apontam nomes que podem substituir atual presidente do banco, que entrou em rota de colisão com Bolsonaro

4 de março de 2021
10:13 - atualizado às 19:34
André Brandão, presidente do Banco do Brasil
André Brandão, presidente do Banco do Brasil - Imagem: Alan Santos/PR

Os rumores de que os dias de André Brandão no comando do Banco do Brasil (BBAS3) estão cada vez mais fortes, com uma série de nomes para substituí-lo sendo ventilados na imprensa.

A saída de Brandão é dada como certa desde que o presidente do BB entrou em rota de colisão com o presidente Jair Bolsonaro em janeiro, depois que o banco anunciou um plano de revisão e redimensionamento de sua estrutura organizacional, envolvendo o fechamento de agências e a criação de planos de demissão incentivada aos funcionários.

A medida desagradou Bolsonaro, que à época negociava apoio com parlamentares em troca de aliados nos comandos da Câmara e do Senado e viu o anúncio de dispensas na estatal (sempre um assunto polêmico) como inoportuna.

Brandão permaneceu no cargo após intervenção do ministro da Economia, Paulo Guedes, em seu favor. Mas a frigideira começou a esquentar, e o presidente do Banco do Brasil deixou claro nos bastidores que não pretende se queimar, já tendo apresentado um pedido informal a Guedes para deixar o comando da instituição, segundo apurou a "CNN".

Quem se candidata?

Considerando as mais recentes notícias que correm pela mídia, dois nomes estão sendo cogitados para a presidência do Banco do Brasil.

Aquele que aparentemente tem mais chances é Eduardo Dacache, segundo o jornal “Valor Econômico”. O executivo é presidente da Caixa Seguridade e já atuou na própria Caixa, no Santander e no Safra.

De acordo com o jornal, a indicação partiu do presidente da Caixa, Pedro Guimarães, e foi apresentada ao ministro Paulo Guedes e ao presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto.

O nome de Dacache foi bem recebido pela equipe econômica porque ele tem experiência no setor bancário e por já estar no governo. Mas o presidente Jair Bolsonaro enfrenta pressões do Centrão por cargos e indicou que só vai nomear alguém que ele “realmente gostar” para o Banco do Brasil, de acordo com fontes ouvidas pela reportagem. Brandão foi indicação de Campos Neto.

A segunda pessoa cogitada para a presidência do Banco do Brasil, ainda de acordo com o “Valor”, é Márcio Schettini, ex-diretor-geral de varejo do Itaú Unibanco. Porém, segundo a reportagem, a chance de ele ser escolhido é muito baixa.

Em meio a tudo isso, o Banco do Brasil disse, em resposta a ofício enviado pela B3 questionando as notícias, que desconhece movimentações para troca de comando, em particular as que envolvem Schettini.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

NÃO AGRADOU

IBP critica mudanças regulatórias na venda de combustíveis

Representante das grandes distribuidoras de combustíveis defende manutenção do modelo de exclusividade no mercado de revenda de derivados de petróleo

Tempo de entrega menor

Randon terá linha férrea própria no interior de SP

Linha férrea partirá de dentro da fábrica e percorrerá 1,5 km transportando vagões, reboques e semirreboques a um ramal principal na mesma cidade; expectativa é de que a obra fique pronta em 2023

Entrevista exclusiva

Após vender Hortifruti para Americanas, Partners Group quer investir US$ 300 milhões e lançar fundo para o varejo no Brasil

Com um total de US$ 120 bilhões sob gestão, responsável pela gestora suíça no Brasil e América Latina fala ao Seu Dinheiro sobre potenciais alvos de aquisição e “concorrência” com IPOs na B3

em busca de recursos

B3 levanta US$ 700 milhões e revisa projeção de alavancagem

Segundo operadora da bolsa brasileira, a emissão faz parte da gestão ordinária dos negócios da companhia e visa diversificar as fontes de captação a condições atrativas de financiamento

BR Malls anuncia programa de recompra de ações; veja condições

Operação visa colocar as ações para manutenção em tesouraria com a finalidade de maximizar a alocação de caixa da companhia, gerando valor aos seus acionistas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies