🔴 +35 RECOMENDAÇÕES DE ONDE INVESTIR EM MARÇO – VEJA GRATUITAMENTE

Cotações por TradingView

O que aprendi com o IPO da Pague Menos

O processo de IPO é complexo, intenso e exaustivo. Escolher o momento certo de fazê-lo é importante, mas o foco principal tem que ser estar pronto

30 de junho de 2021
5:39 - atualizado às 16:33
Patriciana Rodrigues, presidente do conselho de administração da Pague Menos
Patriciana Rodrigues, presidente do conselho de administração da Pague Menos - Imagem: Divulgação

Fazer IPO não é apenas desenvolver um plano de negócios que impressione e seja ladeado por uma estrutura financeira consistente. Na realidade, é preparar uma companhia inteira para viver uma grande história. E com muito trabalho árduo. 

No meu caso, o IPO da Pague Menos (PGMN3) aconteceu com sucesso, em setembro de 2020, quando a empresa estava a seis meses de completar 40 anos — e com o mundo vivendo a maior crise sanitária da nossa época, que se estende até hoje, quebrando padrões e mudando drasticamente hábitos e conceitos.

No entanto, o IPO sempre foi assunto recorrente entre os sócios da companhia. O desafio seria estar preparado para aproveitar a oportunidade quando ela se apresentasse.

Além do mais, ao pensar em abertura de capital, o conhecimento do próprio negócio não é suficiente. É necessário ter visão do todo. Para se conseguir isso, é preciso ter humildade para aprender com as pessoas certas.

Um dos passos importantes nesse sentido aconteceu em 2015, quando nos associamos a um fundo de private equity que nos trouxe expertise, e que permanece conosco até hoje. 

A partir de então, fizemos a transição da primeira para a segunda geração das famílias que estavam à frente da companhia. Continuamos o processo de profissionalização com a contratação de cerca de 30 executivos renomados.

Eles se juntaram a equipe que já vinha trabalhando com um objetivo claro: romper as fronteiras de uma empresa que nasceu com o DNA de transformar o acesso à saúde primária para a classe média expandida.

Além disso, tínhamos um conselho de administração com conselheiros independentes, o que foi muito rico e nos ajudou pela diversificação de experiências.

Vieram novas etapas, que exigem muito para cumprir requisitos regulatórios e atingir altos níveis de transparência e governança. A cada etapa, novos desafios.

Nesse processo, os gestores precisam ser excepcionais, porque ao mesmo tempo em que trabalham na reestruturação para que todas as áreas da empresa atinjam maturidade suficiente para o IPO, eles também têm que entregar ótimos resultados no dia a dia.    

Depois do longo período de preparação, veio a hora de cumprir a intensa agenda de road shows para apresentar a empresa e a oferta para o mercado. Mas, com a pandemia, esses encontros se tornaram virtuais. Um grande desafio, visto que investidores sempre preferiram olho no olho e body language.

O dia do IPO chegou, foi virtual e todos os funcionários puderam participar de um momento que, na verdade, era deles. No nosso escritório central reproduzimos a fachada da B3 e a sala do pregão.

Live com toque de campainha marcou o IPO da Pague Menos

Todos os que ali chegavam para trabalhar naquele dia, se sentiam entrando no prédio da Bolsa e acompanharam a transmissão da cerimônia, que também foi feita nas farmácias, espalhadas por todos os estados da federação e DF. Na comemoração, ao tocar o sino da Bolsa, dispararam buzinas em todas as lojas. Era o anúncio de uma nova empresa que nascia. 

O processo de IPO é complexo, intenso e exaustivo. Escolher o momento certo de fazê-lo é importante, mas o foco principal tem que ser estar pronto.

Objetivos tão desafiadores — e até ousados — só podem ser alcançados se a empresa estiver engajada e souber mostrar ao mercado a história do seu negócio, seu propósito e seu compromisso com a sociedade. Afinal, todo grande sonho só faz sentido, quando é sonhado junto.

Outros artigos de CEOs:

Compartilhe

FINANCIAMENTO DE IMÓVEIS

Crédito imobiliário: Caixa vê cenário complexo para captação em 2025 — mas mudança nas regras de emissões das LCIs pode ajudar

3 de março de 2024 - 13:07

O presidente da Caixa, Carlos Vieira, afirmou que o banco está com a captação assegurada para cumprir o orçamento de crédito em 2024

PROCESSO DE SUCESSÃO

A “mão” de Lula? Acionista da Vale (VALE3) quer que mineradora publique ata de reunião que expôs racha sobre quem deve comandar companhia

2 de março de 2024 - 20:01

A Previ pede que a ata “seja tornada pública para todos os acionistas, de forma não sumarizada, em benefício da transparência do processo”

SETOR FINANCEIRO

Cinco maiores bancões do Brasil lucram R$ 107,5 bilhões em 2023 — e presidentes das empresas revelam o que esperar neste ano

2 de março de 2024 - 18:07

O melhor desempenho desses três bancos no ano passado compensou a retração nos números de Bradesco e Santander Brasil

PARCEIRA DA NVIDIA

Como essa ação ligada a inteligência artificial disparou 800% em um ano e conquistou lugar no S&P 500

2 de março de 2024 - 17:01

O papel será adicionado ao S&P 500 antes do início das negociações de 18 de março, substituindo a Whirlpool na carteira do índice

MERCADO DE CAPITAIS

Vem IPO no conglomerado da Cosan (CSAN3)? Ometto planeja abrir capital de “joias esquecidas” do grupo, diz jornal

2 de março de 2024 - 15:40

Segundo O Globo, o presidente da companhia aguarda uma janela de mercado favorável para abrir o capital da Compass — e planeja IPO da Moove no exterior; entenda

IMPASSE ENTRE SÓCIOS

Troca de comando na Vale (VALE3)? Aqui está tudo o que você precisa saber sobre a sucessão de CEO da mineradora até agora

2 de março de 2024 - 12:30

O mandato do atual CEO, Eduardo Bartolomeo, está cada vez mais próximo do fim — e a definição da sucessão do presidente é uma das pendências da mineradora

DUELO DE TITÃS NA BOLSA

Depois das Sete Magníficas, vem aí as “Super Sete”: por que o Citi aposta que as ações da Europa têm mais potencial que as americanas

2 de março de 2024 - 9:03

O banco fez uma avaliação baseada em retorno, múltiplos e preço e concluiu que as ações do Velho Continente podem render bons frutos para quem apostar nelas agora

NO BOLSO DO ACIONISTA

Copel (CPLE6) pode pagar dividendos extraordinários aos acionistas em 2024, mas com uma condição, diz CEO

1 de março de 2024 - 16:25

Para Daniel Slaviero, o ano de 2025 servirá para “extrair bastante valor da operação integrada e ganhar escala nos negócios que tenham bom retorno de capital”

BRIGA DE GIGANTES

Por que Elon Musk está processando a OpenIA, a ‘joia da coroa’ do mercado de inteligência artificial que ele ajudou a fundar?

1 de março de 2024 - 11:17

Musk foi um dos co-fundadores da OpenIA, lá em 2015, porém deixou o conselho da companhia em 2018

REPERFILAMENTO

Casas Bahia (BHIA3) negocia com bancos e consegue mais prazo para pagar R$ 1,5 bilhão em dívidas

29 de fevereiro de 2024 - 19:34

O acordo ainda precisa do sinal verde dos credores, mas, se aprovado, estenderá o vencimento de 69% do endividamento da companhia

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies