2021-07-21T10:09:19-03:00
Renan Sousa
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo e SpaceMoney. Twitter: @RenanSSousa1
Esquenta dos Mercados

Bolsas sobem deixando medo da variante delta de lado e Ibovespa deve ficar de olho em arrecadação federal

Mesmo com a imunização, a alta no número de casos segue preocupando o mercado, mas exterior segue de olho nos balanços

21 de julho de 2021
8:02 - atualizado às 10:09
Imagem: Shutterstock

As Olimpíadas de Tóquio começaram e trouxeram consigo o medo que também afeta os mercados. A variante delta do coronavírus, possivelmente a mais transmissível até o momento, começa a ameaçar a volta das atividades. 

Nos Estados Unidos, por exemplo, até 60% da população adulta recebeu ao menos uma dose de alguma vacina contra a covid-19. Mesmo assim, a média móvel de casos dos últimos sete dias aumentaram em 70%, de acordo com o Market Watch. 

De acordo com dados de Israel, as vacinas da Pfizer e da BioNTech apresentaram eficácia de 64% contra a variante Delta. Apesar desse número alto, é uma queda significativa em relação aos 95% de eficácia dos estudos preliminares da vacina

Mesmo assim, os mercados seguem otimistas, com o balanço de grandes empresas como Coca-Cola e Johnson & Johnson marcados para esta quarta-feira (21).

E com o exterior positivo, o Ibovespa também deve se beneficiar. O dado forte do cenário doméstico fica para a arrecadação federal de junho, que deve vir entre R$ 119,800 bilhões a R$ 156,700 bilhões. A mediana das expectativas do mercado é de R$ 137,450 bilhões.

Além disso, o cenário político nacional deve pesar na bolsa brasileira, que conseguiu retomar o patamar de 125 mil pontos no pregão de ontem, mesmo com uma alta forte do dólar

Confira o que mais deve movimentar os negócios hoje:

Brasília

O recesso do Congresso não deixa as coisas menos quentes no Distrito Federal. O presidente da República, Jair Bolsonaro, deve vetar o fundo eleitoral de R$ 5,7 bilhões enquanto encara a pressão do vice-presidente da Câmara, deputado Marcelo Ramos.

Ramos se coloca agora como principal opositor de Bolsonaro na Casa, e está colocando o presidente em posição de xeque. O deputado ameaça ler o pedido de impeachment caso assuma interinamente a presidência da Câmara no lugar de Arthur Lira (PP-AL).

A briga entre o presidente da República e o Congresso deve deixar de lado as tão sonhadas reformas estruturais, em especial a administrativa e tributária, que permanece sem acordo durante o recesso. 

Especialistas do mercado já começam a perder as esperanças de que as reformas sejam implementadas, tendo em vista que a eleição de 2022 já está virando a esquina. Durante o pleito, as negociações do Congresso costumam esfriar e, sem maiores acordos, o Planalto não deve conseguir maiores vitórias. 

Commodities

O otimismo com a retomada econômica está impulsionando os preços do petróleo esta manhã. Depois de recuar durante a madrugada, os futuros do petróleo Brent passaram a avançar 1,31%, a US$ 70,26 o barril, por volta das 7h. 

A expectativa da American Petroleum Institute (API) é de que os estoques de petróleo dos EUA aumentem, e que a demanda mundial também suba durante a retomada econômica. Mesmo com os temores envolvendo a variante delta, que pode voltar a fechar os negócios, e a Opep+ no radar, é o segundo pregão de alta para a commodity. 

Bolsas pelo mundo

Os principais índices asiáticos encerraram o pregão desta quarta-feira (21) de maneira mista. A recuperação das bolsas de Nova York pesou do lado positivo para a região, enquanto o medo da variante delta do coronavírus segue pressionando do lado negativo.

Já as bolsas da Europa operam em alta, impulsionadas pelas empresas petroleiras, que se valorizam junto com a alta das commodities. Apesar da variante delta, o otimismo com a retomada econômica segue animando os índices. 

Por fim, os futuros de Nova York seguem em trajetória de recuperação após a queda do início da semana. Os balanços das grandes empresas devem movimentar os negócios hoje.

Agenda do dia

  • Estados Unidos: Diretora-gerente do FMI, Kristalina Georgieva participa de evento do Instituto Peterson (10h)
  • Receita Federal: Arrecadação federal de junho (11h30)
  • Estados Unidos: Estoques de petróleo, gasolina, destinado e utilização das refinarias (11h30)
  • Ministério da Economia: O chefe do Centro de Estudos Tributários e Aduaneiros da Receita Federal, Claudemir Malaquias, comenta os dados da arrecadação em junho. Coletiva tem presença do ministro da Economia, Paulo Guedes (12h)

Balanços

  • Estados Unidos: Balanço da Coca-Cola (antes da abertura)
  • Estados Unidos: Balanço da Johnson & Johnson (7h45)
  • Estados Unidos: Balanço da Verizon (8h30)
  • Estados Unidos: Balanço da Whirlpool (após o fechamento)
  • Espanha: Balanço da Iberdrola (sem horário)
  • Reino Unido: Balanço da Antofagasta (sem horário)
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

De olho na bolsa

Esquenta dos mercados: Bolsas no exterior tentam se recuperar da queda após decisão do Fed e Ibovespa busca manter ritmo de alta mesmo com risco fiscal no radar

Depois de tocar os 112 mil pontos ontem (26), a bolsa brasileira precisa enfrentar o ajuste de carteiras ao novo cenário de juros altos

Exclusivo

Na “caça aos unicórnios”, Itaú lança fundo para aplicar em gestores de investimentos alternativos

O banco acaba de abrir para captação o Polaris, fundo com objetivo de retorno de até 25% ao ano e foco em investimentos que vão bem além do “combo” tradicional de bolsa, dólar e juros

CONSTRUTORAS COM DESCONTO

Vendas de imóveis em alta, ações em baixa. A queda das incorporadoras abriu uma oportunidade de compra na bolsa?

Os resultados do quarto trimestre mostram que as empresas do setor entregaram desempenhos sólidos, mas as ações caminham na direção contrária

COMPRA PROGRAMADA

‘Vale Gás’: Ultragaz cria cartão que permite ‘congelar’ o preço e parcelar a compra do gás de cozinha

O GLP é um dos derivados de petróleo afetado pela alta do dólar frente ao real e pela valorização da commodity no mercado internacional

SALTO COM FINANÇAS

Itaú (ITUB4) escala 53 posições em ranking e se torna único brasileiro entre 500 marcas globais mais valiosas; veja lista completa

Além de figurar entre as marcas mais valiosas, o Itaú conquistou uma posição na lista dos 250 principais CEOs ou “guardiões de marca”