Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-07-06T08:04:52-03:00
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo
Esquenta dos Mercados

Brasília deve pesar na bolsa brasileira, enquanto NY se ajusta na volta do feriado, à espera do PMI dos EUA

O dia deve ser mais esvaziado, sem maiores indicadores pela frente. Mesmo assim, cautela deve prevalecer e pressionar os índices

6 de julho de 2021
8:04
Brasília
Imagem: Shutterstock

Para um pintor, um quadro em branco é uma janela aberta de possibilidades. O que pode sair impresso naquele tecido? Uma paisagem? Uma pessoa? Tudo pode acontecer. 

Já no mundo dos investimentos, nenhuma notícia não é sinônimo de boas notícias. Depois da divulgação do índice do gerente de compras (PMI, na sigla em inglês) dos Estados Unidos, as bolsas internacionais devem seguir à deriva, apegando-se a dados locais para passar o dia. 

E se depender do Brasil, a pintura deve sair com as tintas mais fortes possíveis. A pressão em cima do governo federal com os novos escândalos envolvendo um possível caso de corrupção de “rachadinhas” com funcionários e superfaturamento na compra de vacinas pioraram ainda mais a situação do Palácio do Planalto. 

O avanço da CPI da Covid também acelera o processo de degradação do governo. A Comissão deve ouvir hoje Regina Célia, servidora do Ministério da Saúde responsável por autorizar o contrato da Covaxin.

Mesmo com o anúncio de prorrogação do auxílio emergencial, o presidente Jair Bolsonaro segue com a popularidade em baixa. O avizinhamento das crises hídrica e energética também deve colocar o Palácio do Planalto em maus lençóis.

A pintura de Brasília se destacou no panorama internacional ontem e fez o Ibovespa recuar, sem Nova York para dar a direção dos negócios.

Exterior

De volta do feriado, os índices de Wall Street devem se ajustar ao cenário local, com o avanço dos temores envolvendo a variante delta do coronavírus no radar. O viés de baixa deve somar com o aumento da cautela antes da ata da última reunião do Federal Reserve.

Esse documento deve trazer novas perspectivas do BC americano para a economia dos EUA. Os dados de emprego e inflação que foram divulgados nos últimos dias deram um duplo sinal para os investidores.

Os dados inflacionários seguem pressionando os dirigentes do Fed por um aumento da taxa de juros e retirada de estímulos antes de 2023, de acordo com o plano da instituição. Entretanto, com a taxa de desemprego ainda alta, o BC americano deve manter os incentivos monetários até uma normalização do emprego.

Commodities

É o fim do “superciclo” das commodities? O mundo segue para um momento de retomada econômica, e a demanda por petróleo, minério de ferro e outros deve subir nos próximos meses. 

A Opep+ abandonou maiores debates sobre o aumento da produção nesse momento, o que ligou um sinal vermelho para o mundo de que o petróleo pode subir ainda mais. Além disso, a China segue ameaçando controlar os preços do cobre e do minério de ferro, negociados nas bolsas do Gigante Asiático.

Apesar da notícia ter saído na noite de ontem (05), a Petrobras deve ficar no radar por outros motivos. A estatal brasileira elevou o preço do diesel e da gasolina mais uma vez, sob a gestão do general Joaquim Silva e Luna. 

Bolsas pelo mundo

Os principais índices asiáticos fecharam o pregão desta terça-feira (06) majoritariamente em baixa. A Opep+ acabou desanimando os investidores depois que o grupo deixou de lado negociações sobre a oferta futura de petróleo. É esperado que, durante a retomada econômica, a demanda pela commodity deva subir e que a produção acompanhe a necessidade dos países.

Já as bolsas europeias seguem em baixa, após dados locais desanimarem os investidores. Por fim, os futuros de Nova York operam com viés de baixa, próximos à estabilidade, à espera do índice do gerente de compras (PMI, em inglês) do país. 

Agenda do dia

  • CNI: Indicadores industriais (10h)
  • Estados Unidos: PMI composto e de serviços de junho (10h45)
  • França: OCDE divulga relatório sobre perspectivas de desenvolvimento global (11h)
Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

Mostrando confiança

BR Distribuidora resolve antecipar R$ 554 milhões em remuneração aos acionistas referente a 2021

Empresa vai pagar os proventos em forma de Juros sobre Capital Próprio, divididos em duas datas, em setembro e em dezembro deste ano

Nova tentativa

Guedes afirma que programa de emprego para jovens terá crédito extraordinário de até R$ 3 bilhões

Segundo ministro, a alternativa foi pensada como forma de enfrentar os efeitos da pandemia no nível de desocupação de jovens, que aumentou no período

SEXTOU COM O RUY

Big Bang, a teoria: As leis da Física e a tributação dos dividendos

As empresas são organismos vivos, que precisam se adaptar às mudanças para sobreviver, como na recente proposta de tributação de dividendos

dinheiro no caixa

Petrobras vende participação em companhias de energia por R$ 160 milhões

Estatal assinou contratos para a venda de suas participações de 20% na Termelétrica Potiguar (TEP) e de 40% na Companhia Energética Manauara (CEM) para a Global Participações Energia S.A. (GPE)

seu dinheiro na sua noite

Mais micro, menos macro: quando os balanços são o destaque na bolsa

Como investidores, sabemos que os mercados estão sujeitos às mudanças no cenário macroeconômico – e, no caso do Brasil e outros países emergentes, os pregões são particularmente suscetíveis também ao noticiário político. Mas, no fim do dia, a bolsa reflete o desempenho das companhias que ali são negociadas. Nas temporadas de balanços trimestrais, analistas e […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies