O melhor time de jornalistas e analistas do Telegram! Inscreva-se agora e libere a sua vaga

2021-12-17T08:42:31-03:00
Renan Sousa
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo e SpaceMoney. Twitter: @RenanSSousa1
A BOLSA HOJE

Esquenta dos mercados: Bolsas operam com cautela no último pregão da semana; Ibovespa permanece atento às falas de Guedes e risco fiscal

Sem maiores indicadores pela frente, os investidores devem digerir o tom mais duro dos Bancos Centrais contra a inflação

17 de dezembro de 2021
8:05 - atualizado às 8:42
O ministro da Economia Paulo Guedes fala sobre Petrobras
Confira o que movimenta o Ibovespa hoje (17). - Imagem: Edu Andrade/Ascom/ME

A semana dos Bancos Centrais chegou ao fim e os investidores devem ajustar suas carteiras e expectativas para o ano que vem. A torneira dos estímulos à economia está se fechando e os juros já começam a acelerar para conter a inflação crescente no mundo. 

Em outras palavras, o fim desse dinheiro em circulação deve afetar majoritariamente os ativos de risco, como ações e criptomoedas. Além disso, a elevação dos juros deve fazer os investidores migrarem para ativos mais seguros, como, por exemplo, os títulos do Tesouro americano, os Treasuries.

No cenário doméstico, a corrida eleitoral já se faz presente. A última pesquisa eleitoral já reflete nas decisões para o Orçamento do ano que vem, e a notícia para as contas públicas não é das melhores: o espaço aberto pela PEC dos precatórios pode não ser suficiente para o chamado “pacote de benesses” do governo. 

O Ibovespa conseguiu fechar em alta de 0,83%, aos 108.326 pontos no pregão da última quinta-feira (16). O dólar à vista, por sua vez, encerrou o dia em queda de 0,50%, a R$ 5,6792

Confira o que deve movimentar a bolsa hoje:

Depois dos precatórios…

A PEC dos precatórios foi aprovada esta semana na Câmara dos Deputados e abriu o tão desejado espaço para o programa Auxílio Brasil, substituto do Bolsa Família. O texto foi fatiado na Casa e, no total, deve disponibilizar cerca de R$ 106 bilhões no Orçamento de 2022.

Entretanto, cálculos de congressistas da oposição afirmam que R$ 62,2 bilhões são suficientes para manutenção do programa social e o restante seria usado para inflar as chamadas emendas do relator (ou RP9), mecanismo essencial para o orçamento secreto. 

… A bonança

De acordo com fontes ouvidas pelo jornal O Estado de São Paulo, o governo pretende conceder um pacote de benesses até o final do ano, que inclui reajuste aos policiais federais, novas despesas com renúncias tributárias, vale-gás e correção da tabela do imposto de renda. 

O governo enfrenta uma crise de popularidade, com a corrida eleitoral de 2022 já tomando conta do noticiário local. De acordo com as últimas pesquisas, a rejeição ao presidente da República, Jair Bolsonaro, chegou a 53% do eleitorado. 

Pesquisa Datafolha

Segundo a última pesquisa do Datafolha, divulgada pelo jornal Folha de São Paulo, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) aparece com 48% das intenções de voto e, dentro da margem de erro, levaria a disputa no primeiro turno. 

Enquanto isso, o presidente Jair Bolsonaro (PL) soma 22% das intenções de voto para sua reeleição.O ex-ministro da Justiça Sergio Moro (Podemos) aparece com 9%, enquanto Ciro Gomes (PDT) tem 7% e o governador de São Paulo João Doria (PSDB) conta com 4%.

Reação dos Bancos Centrais

Os últimos dois dias foram marcados pela postura mais agressiva (hawkish, no jargão do mercado) dos Bancos Centrais pelo mundo contra a inflação.

É verdade que cada país terá um caso específico. Os emergentes, por exemplo, iniciaram o ciclo de alta nos juros antes dos países mais desenvolvidos. 

Nos Estados Unidos, Jerome Powell, presidente do Federal Reserve, lidera uma ofensiva de retirada de estímulos monetários acelerado e já avisou que, caso a estratégia não funcione, a elevação da taxa de juros é o próximo passo.

Já o Banco Central Europeu (BCE) diz não ver espaço para uma alta de juros no próximo ano e o Banco da Inglaterra (BoE, em inglês) foi para o tudo ou nada e elevou a taxa básica de 0,1% para 0,25%.

Quem fechou a fila de posicionamento dos BCs pelo mundo foi o Banco Central do Japão (BoJ, me inglês), que anunciou a retirada de estímulos da economia e manteve a taxa de juros. 

Bolsas pelo mundo

Os principais índices asiáticos fecharam majoritariamente em queda na manhã desta sexta-feira, puxados principalmente pelas ações de tecnologia após o tom mais duro dos BCs contra a inflação. 

Na Europa, as bolsas recuam pela manhã após dados locais.

Sem maiores indicadores para o dia, os futuros de Nova York operam sem direção definida pela manhã.

Agenda do dia

  • Zona do Euro: CPI de novembro (7h)
  • FGV: 2ª prévia do IGP-M de dezembro (8h)
  • ANP: Leilão dos campos do pré-sal de Atapu e Sépia (10h)
  • Estados Unidos: Secretária do Tesouro, Janet Yellen, preside Comitê de Estabilidade Financeira (13h)
  • Ministério da Economia: Ministro Paulo guedes concede coletiva de balanço do ano à imprensa em Brasília (14h30)
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

PORTFÓLIO DE BILHÕES

Aposta contra a Apple (AAPL34)? Veja as mudanças que Warren Buffett, Michael Burry e investidores de elite fizeram nas carteiras

Esses pesos-pesados do mercado financeiros tomaram decisões surpreendentes no primeiro trimestre; confira as mudanças mais significativas que eles fizeram no período

DO BRASIL PRO MUNDO

Guedes tem encontro com Escobari, da General Atlantic, e vai a jantar do BTG; confira a agenda do ministro em Davos

O banqueiro André Esteves, que em abril voltou ao comando do conselho do BTG Pactual, está participando do evento na Suíça

UMA TECH ATRAENTE

É hora da Locaweb? Saiba por que o Deutsche Bank vê ponto de entrada para as ações LWSA3

Banco alemão atualizou a recomendação para a empresa de neutra para compra e vê potencial de valorização de mais de 50% para os papéis

O QUE VEM POR AÍ

Ata do Fed e IPCA-15: confira a agenda de indicadores da semana aqui e lá fora

Nos Estados Unidos, a segunda prévia do PIB no primeiro trimestre também é destaque; na Europa, o PIB da Alemanha é o principal dado

CAMINHO DO MEIO

Menor rejeição e apoio interno no MDB dão vantagem a Simone Tebet; veja os rumos da senadora da terceira via

Maior desafio, segundo marqueteiros, é torná-la popular: 46% do eleitorado desconhece Simone Tebet, segundo pesquisas recentes

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies