Menu
2021-01-06T08:40:19-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
Cursando jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
esquenta dos mercados

Petroleiras impulsionam os mercados, mas ‘onda azul’ no Senado americano traz cautela

A decisão da Opep+ de reduzir a produção de petróleo até março ajuda os mercados globais a buscarem o campo positivo, mas cautela com eleições americanas limita os ganhos

6 de janeiro de 2021
8:04 - atualizado às 8:40
Selo Mercados Touro e Urso
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

A ‘onda azul’ no segundo turno das eleições para o Senado americano e que daria o controle do Congresso e do Senado para os democratas segue trazendo cautela aos mercados. No entanto, a decisão da Opep+ de cortar a produção de petróleo impulsiona as petroleiras e ajuda os mercados globais a buscarem o campo positivo.

Na agenda, o destaque fica com os PMIs do Brasil e dos Estados Unidos, além da ata da última reunião de política monetária do Federal Reserve.

Virando a mesa

Depois de cair 1,8% na mínima do dia, o Ibovespa conseguiu virar o jogo e fechar a sessão de ontem no azul - com um empurrãozinho da Petrobras.

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados (Opep+) anunciou que a Arábia Saudita deve cortar em 1 milhão de barris por dia a sua produção entre fevereiro e março, como uma forma de compensar o aumento da produção em 75 mil bpd que será realizado pela Rússia e Cazaquistão e contornar o cenário de baixa demanda pela commodity, ainda afetada pela crise do coronavírus.

Puxada pela valorização do barril, a Petrobras levou o Ibovespa na sua cola e o principal índice da bolsa brasileira encerrou o dia com leve alta de 0,4%, aos 119.380 pontos.

O dólar também subverteu as expectativas que se desenhavam ao longo do dia. Com a melhora do cenário dos mercados após a decisão da Opep, a moeda americana teve leve queda de 0,15%, aos R$ 5,2603.

‘Brasil está quebrado’

Pegou mal a declaração do presidente Jair Bolsonaro ontem de que o Brasil estaria ‘quebrado’ e que ele não poderia fazer nada para mudar a situação. A fala do presidente gera novos ruídos, mas o ministro Paulo Guedes disse que essa é uma prova do compromisso do governo com o ajuste fiscal.

No cenário local, os investidores também seguem monitorando as articulações para a disputa pela presidência do Senado e da Câmara.

Onda azul

Uma das razões para que o mercado tenha se mantido mais cauteloso durante a tarde de ontem foi a perspectiva de que o segundo turno das eleições para o Senado americano no estado da Geórgia acabasse entregando o controle da casa aos democratas, que já possuem a maioria no Congresso.

A Associated Press já projeta que Raphael Warnock, democrata, está matematicamente eleito. Agora, as atenções se voltam para a outra vaga que precisa de definição e cujo favorito é o também democrata Jon Ossoff.

A ‘onda azul’ - com a Casa Branca, Congresso e Senado nas mãos dos democratas - já era uma ‘ameaça’ descartada pelo mercado. Com o controle das duas casas, o temor é que o governo Biden consiga passar medidas impopulares em Wall Street, como o aumento dos impostos corporativos e uma maior regulação das empresas de tecnologia.

A projeção de uma vitória democrata ajudou a azedar o humor dos negócios na Ásia durante a madrugada, mas, por outro lado, a decisão da Opep+ de cortar a produção por mais alguns meses balanceou os mercados, com as bolsas da região fechando sem uma direção definida. No continente, outra questão que pesou foi a proibição de alguns softwares chineses por parte do governo americano.

Na cola do petróleo

Os investidores no Velho Continente, no entanto, deixam de lado a cautela nesta manhã e apresentam altas firmes com a valorização das petroleiras. Quando a Opep+ anunciou a decisão, na tarde de ontem, as bolsas europeias já estavam fechadas e, por isso, deve ser repercutida no pregão de hoje.

Outro fator positivo na região é relacionado às vacinas contra a covid-19. Há expectativa de que a União Europeia aprove o uso do imunizante desenvolvido pela Moderna para uso emergencial.

Os índices futuros em Wall Street também ficam na cola do petróleo, deixando de lado, pelo menos momentaneamente, a cautela com as eleições e inverteram o sinal agora pela manhã, passando a operar no campo positivo.

Agenda

O destaque do dia fica com a divulgação dos índices de gerentes de compras (PMI) composto e de serviços no Brasil (10h) e dos Estados Unidos (11h45).

Outra divulgação que o mercado deve monitorar é a da ata da última reunião de política monetária do Federal Reserve (16h). Além disso, o Congresso americano deve validar nesta quarta-feira a vitória de Joe Biden (15h).

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Prévia operacional

Cyrela tem crescimento de vendas e lançamentos em 2020, e BTG considera números fortes

Lançamentos totalizaram R$ 2,873 bilhões, enquanto vendas líquidas somaram R$ 1,860 bilhão; banco mantém recomendação de compra para a construtora

EM ALTA

Com petróleo em alta, Credit Suisse reitera recomendação de compra da Petrobras

Banco eleva preço-alvo de ADRs após revisar para cima projeção para Ebitda da indústria do petróleo em 2021 e 2022

Exile on Wall Street

Private equity para pessoas físicas

Há uma frase de que gosto muito no livro “Princípios do Estrategista”: as ideias do Taleb são tão boas que se dessem dinheiro seria sacanagem.

Panorama das fintechs

Goldman Sachs recomenda compra de ação da Stone, XP e PagSeguro e venda de Banco Inter

Embora o Inter seja o grande destaque de crescimento de clientes, os analistas do banco norte-americano apontam a ação da da Stone como a favorita entre as fintechs

Títulos públicos

Veja os preços e as taxas do Tesouro Direto nesta terça-feira

Confira os preços e taxas de todos os títulos públicos disponíveis para compra e resgate

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies