Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-01-19T17:06:48-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
Mercados hoje

Temor fiscal e commodities pesam e Ibovespa opera em queda firme, destoando do otimismo em NY

O otimismo com a vacinação deu lugar ao temor, com uma série de incertezas limitando o apetite por risco. No exterior, a proximidade da posse de Joe Biden faz com que os olhos se voltem para Washington

19 de janeiro de 2021
10:52 - atualizado às 17:06
Selo Mercados Touro e Urso Baixa
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

É possível farejar no ar pelo menos meia dúzia de incertezas que fazem o investidor ficar de cabelo em pé. No começo da manhã até pareceu que o Ibovespa iria aceitar um empurrãozinho do otimismo que reina em Nova York, mas ele foi insuficiente para manter a bolsa brasileira no azul nesta terça-feira (19).

Após abrir o dia em alta, o principal índice da bolsa brasileira operava em queda de 0,85%, aos 120.213 pontos, por volta das 16h45.

O dólar, que chegou a cair 1,76% na mínima do dia também deixou de acompanhar o clima lá fora e agora sobe com o peso da cautela doméstica. No mesmo horário, a divisa sobe 0,80%, aos R$ 5,3471.

Um assunto que volta e meia reaparece para assombrar os investidores é uma preocupação maior com a situação fiscal do país.

A "euforia" com o início da vacinação havia deixado esse ponto um pouco de lado, mas hoje a cautela fala mais alto, com os investidores pesando com as declarações recentes dos candidatos à presidência da Câmara e os elementos que podem impedir que de fato exista uma vacinação em larga escala.

Camila Abdelmalack, economista-chefe da Veedha Investimentos, e Luciano França, gestor de fundos da Avantgarde Asset Management, indicam que a queda do setor de commodities é outro fator que pressiona o Ibovespa nesta manhã.

Na sessão de ontem, empresas como CSN, Vale e Gerdau se destacaram, impulsionados pelo desempenho positivo da economia chinesa , mas hoje operam em queda firme. No momento, quatro das maiores quedas do índice são de companhias do setor.

Resgatando velhos medos

O que azedou o humor dos investidores na parte da manhã foi a corrida presidencial para o comando da Câmara dos Deputados.

Camila Abdelmalack aponta que o mercado está de olho como cada um dos canditados — Baleia Rossi (oposição com o apoio de Maia) e Arthur Lira (candidato do governo) — acham sobre medidas que podem pressionar a condução fiscal do país. E os dois abriram a possibilidade de que uma extensão do auxilio emergencial seja pautada.

Esse é um medo que os investidores haviam deixado de lado com o início da vacinação no país, mas a nuvem de incertezas que cerca todo o processo levanta dúvidas sobre a capacidade do país em lidar com a crise sem a necessidade de aumentar o rombo nas contas públicas.

Sol com nuvens

O entusiasmo com o início da vacinação no Brasil e o clima positivo das bolsas internacionais é eclipsado por inúmeras incertezas que rondam o próprio processo de vacinação.

A primeira delas é sobre os meios para facilitar a vacinação em larga escala. O ministério da Saúde ainda não apresentou um cronograma detalhado e teve problemas logísticos de distribuição das doses logo no primeiro dia de vacinação. Segundo analistas do mercado, o ritmo de vacinação é essencial para manter o otimismo.

Ainda falando de vacina, o presidente Jair Bolsonaro e o governador João Doria seguem se estranhando em rede nacional. A condução caótica da pandemia por parte do governo federal começa a se refletir na popularidade do presidente. A sua reprovação subiu de 35% para 40% de acordo com a nova pesquisa XP/Ipespe. Já o percentual dos que veem a gestão Bolsonaro como ótima ou boa caiu de 38% para 32%.

O mercado teme que essa queda significativa faça o presidente flertar mais uma vez com medidas populistas que podem pressionar ainda mais o teto de gastos e a saúde fiscal do país.

Temos também problemas com insumos para a fabricação das doses já autorizadas pela Anvisa. Os impasses diplomáticos entre Brasil e China, uma das características do governo Bolsonaro, é uma das razões para o problema. Segundo informações da CNN Brasil, o governo brasileiro agora tenta uma reaproximação para garantir a fabricação das doses.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, colocou na agenda uma audiência com o embaixador da China, Yang Wanming, para tentar resolver a questão.

Atrasos na vacinação — seja por erro logístico, atritos políticos ou falta de insumo — é sinônimo de um adiamento da tão sonhada retomada econômica.

Washington nos holofotes

É possível que você ainda ouvirá falar muito de Janet Yellen, ex-presidente do Federal Reserve, pelos próximos quatro anos. Hoje é ela que sustenta as expectativas positivas do mercado internacional. Yellen foi indicada por Biden para assumir o Tesouro americano e discursou hoje na Câmara dos Representantes.

Assim como era esperado pelo mercado, a futura secretária do Tesouro confirmou as expectativas e defendeu o pacote de US$ 1,9 trilhão proposto por Biden, disse que os EUA não irão desvalorizar o dólar para ganhar vantagem competitiva e defendeu reverter os benefícios fiscais concedidos por Trump.

As bolsas americanas chegaram a perder um pouco da força ao longo da manhã, mas a fala de Yellen fez os investidores recuperarem o fôlego, com destaque para o Nasdaq, que sobe mais de 1%. Na Europa, a maioria das bolsas fecharam no vermelho, refletindo uma preocupação com a questão do coronavírus.

Sobe e desce

As ações ligadas ao setor de commodities brilharam na sessão de ontem. Mas hoje a história é outra. Além das empresas refletirem um recuo do minério de ferro, existe um movimento natural de realização de lucros.

A PetroRio também aparece entre os destaques negativos. A companhia, que teve uma valorização muito expressiva nos últimos meses, anunciou um follow on. É recorrente que os investidores busquem puxar para baixo a cotação antes da oferta. Confira as principais quedas desta terça-feira:

CÓDIGONOMEVARIAÇÃO
CSNA3CSN ON-4,77%
USIM5Usiminas PNA-4,38%
HAPV3Hapvida ON-3,35%
GOAU4Metalúrgica Gerdau PN-2,94%
GGBR4 Gerdau PN -2,87%

O BTG Pactual segue em alta após confirmar uma nova oferta de ações na semana passada. Já a Suzano surfa tanto a onda da valorização do dólar (que beneficia exportadoras) como também o aumento dos preços da celulose. Confira as maiores altas do dia:

CÓDIGONOMEVARIAÇÃO
TOTS3 Totvs ON3,47%
BPAC11 BTG Pactual units 3,33%
SUZB3 Suzano ON 3,29%
HYPE3Hypera ON2,60%
PCAR3Pão de Açúcar ON2,13%
Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

FECHAMENTO DO DIA

Vale puxa o Ibovespa e garante alta do dia, mas dólar avança com temores fiscais na véspera do Copom

Em Nova York, a volatilidade foi mais comedida. No Brasil, o conturbado cenário interno trouxeram dor de cabeça e tensão para o Ibovespa e o câmbio

Chama o Max!

Como ter renda extra através de ações? Max Bohm explica os diferentes tipos de proventos!

Já pensou viver de renda? É o sonho de muitos brasileiros. Max Bohm, analista da Empiricus, explica quais são os diferentes tipos de proventos recebidos por um acionista. Confira agora!

Com preço no piso da faixa indicativa, Raízen movimenta R$ 6,9 bilhões no IPO; veja o que vem a seguir para esta ação

Ação da produtora de açúcar e álcool e dona dos postos Shell é precificada a R$ 7,40 e começará a ser negociada no próximo dia 5

DISPUTA DOS BANCÕES

Bradesco aumenta lucro em 63%, a R$ 6,3 bilhões — mas não supera Itaú

Cifra do período não supera a projeção de lucro de R$ 6,596 bilhões, apontada pelo mercado, conforme dados da Bloomberg

ciclo de alta

Taxa Selic hoje é de 4,25% ao ano, mas vai subir; entenda por quê

Expectativa do mercado financeiro é de que o Banco Central promova um aumento de 1,00 ponto porcentual na taxa básica de juros, levando-a para 5,25%

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies