Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-08-26T19:04:05-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
FECHAMENTO DO DIA

Investidores seguram o fôlego antes de discurso de Powell e Ibovespa volta a perder os 119 mil pontos; dólar vai a R$ 5,25

O Ibovespa voltou a operar em queda nesta tarde, acompanhando a cautela vista no exterior e pesando as preocupações domésticas

26 de agosto de 2021
18:29 - atualizado às 19:04
Jerome Powell, presidente do Federal Reserve, guiando os mercados

A véspera de sexta-feira teve um gostinho diferente para o mercado financeiro global hoje (26). Mais do que a ansiedade pelo sempre aguardado fim de semana, os eventos reservados para amanhã podem enfim responder à questão que assombra os investidores há meses — quando o Federal Reserve irá começar a reduzir o ritmo da recompra de ativos?

As pistas estão sendo colecionadas há algum tempo. Na ata da última reunião do Fed, ficou claro que não existe consenso entre os dirigentes, visão que é reforçada cada vez que um deles faz um pronunciamento, mas as conversas convergem para uma redução ainda este ano. 

Amanhã, o tradicional simpósio de Jackson Hole, que reúne as principais autoridades monetárias do mundo, ficará marcado pelo discurso de Jerome Powell, presidente do banco central americano. Hoje, Esther George, James Bullard e Robert Kaplan, dirigentes do Fed, defenderam a retirada dos estímulos, aumentando a expectativa pelas palavras do chefe do BC americano. 

Ainda que Powell não anuncie o início da retirada dos estímulos monetários, suas palavras serão observadas atentamente em busca de pistas e, por isso, o mercado entrou em compasso de espera. 

As bolsas americanas, que renovaram máximas nos últimos dias, voltaram a recuar. Um ataque terrorista em Cabul, no Afeganistão, voltou a elevar a tensão no Oriente Médio e se refletiu no preço do petróleo. 

No Brasil, muito se falou ao longo do dia a respeito da crise em Brasília, mas quase nenhuma mudança no cenário foi sentida. O ministro da Economia, Paulo Guedes, segue defendendo o parcelamento do pagamento de precatórios, e Arthur Lira, presidente da Câmara, reforçou o seu compromisso com as reformas que estão travadas no Congresso. 

Diante do complicado cenário doméstico e após dois dias de alta, o Ibovespa recuou com mais força do que seus pares internacionais, fechando o dia em queda de 1,79%, aos 118.723 pontos. Amparado pela perspectiva de alta da Selic por aqui, o dólar à vista fechou longe das máximas, mas avançou 0,87%, a R$ 5,2568.

A cautela na bolsa e no câmbio desviou do mercado de juros hoje. Seguindo o mesmo roteiro dos últimos dias, a antecipação dos leilões pelo Tesouro e a redução da oferta de prefixados trouxeram estabilidade aos principais contratos de DIs. Confira:

  • Janeiro/22: de 6,72% para 6,78%
  • Janeiro/23: de 8,45% para 8,47%
  • Janeiro/25: estável em 9,42%
  • Janeiro/27: de 9,78% para 9,80%

E vem mais oferta de ações por aí! Hoje a Sinqia anunciou que pretende levantar R$ 275 milhões em nova oferta para financiar seus planos de expansão. Já a Coty, dona das marcas Monange, Risqué e Bozzano, engrossa a lista de empresas que entraram com um pedido de IPO na CVM.

Olho nos números

Com os Fed Boys em primeiro plano, dados importantes da economia americana ficaram escanteados. Pela manhã, o Departamento do Trabalho americano anunciou que os pedidos semanais de auxílio-desemprego subiram a 353 mil, acima das expectativas do mercado.

Já a revisão do Produto Interno Bruto dos EUA mostrou que o PIB cresceu 6,6% no segundo trimestre, levemente abaixo das expectativas dos investidores.

  • Nasdaq: -0,64% - 14.945 pontos 
  • S&P 500: -0,58% - 4.469 pontos 
  • Dow Jones: -0,54% - 35.213 pontos

Sobe e desce do Ibovespa

Depois de registrarem a maior queda na quarta-feira, as units do banco Inter (BIDI11) pegaram carona nas notícias e projeções de que o Nubank chegue valendo cerca de US$ 100 bilhões à bolsa após seu IPO. Confira as maiores altas do dia:

CÓDIGONOMEULTVAR
BIDI11Banco Inter unitR$ 67,184,66%
LAME4Lojas Americanas PNR$ 5,921,89%
AMER3Americanas S.AR$ 43,061,51%
WEGE3Weg ONR$ 36,690,85%
YDUQ3Yduqs ONR$ 28,080,39%

Confira também as maiores quedas:

CÓDIGONOMEVALORVAR
CYRE3Cyrela ONR$ 20,01-5,61%
UGPA3Ultrapar ONR$ 14,68-4,92%
IGTA3Iguatemi ONR$ 35,34-4,77%
PRIO3PetroRio ONR$ 18,07-4,49%
MGLU3Magazine Luiza ONR$ 18,77-3,99%
Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

RH do governo

Reforma administrativa deslanchou? Confira destaques do texto-base aprovado em comissão da Câmara

A proposta traz alguns pontos polêmicos, como a possibilidade de parcerias entre governo e iniciativa privada para a execução de serviços públicos

fique de olho

Dividendos: Equatorial Pará (EQPA3) define data e Marfrig (MRFG3) altera valor

Além disso, Equatorial Maranhão definiu data do pagamento dos proventos e Banco Modal definiu valores para juros sobre capital próprio; confira

Eletrobras, Correios e mais

Ativos na mesa: nova proposta para precatórios pode incluir ações de estatais em acordos de pagamento

Além das estatais, na lista de ativos que poderiam entrar na negociação estão imóveis, barris de petróleo do pré-sal e concessões de rodovias e ferrovias, por exemplo

fala, vale

Vale (VALE3): a receita para a queda das ações, segundo a própria empresa

Empresa teve de emitir um comunicado em resposta a um ofício da B3 que solicitava justificativas para a oscilação das ações da mineradora entre os dias 6 e 20 de setembro

MERCADOS HOJE

Bom humor global ajuda e Ibovespa recupera os 114 mil pontos após nova Selic; dólar sobe a R$ 5,30

Na ressaca da Super quarta, os investidores seguiram atentos aos desdobramentos dos problemas financeiros da Evergrande; Ibovespa acompanhou NY

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies