Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-09-06T17:56:04-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
FECHAMENTO DO DIA

Mercado monitora tensão em Brasília, mas Ibovespa aproveita liquidez reduzida e avança antes do feriado; dólar recua

Os atos marcados para o 7 e setembro, somado ao já complicado cenário político, trazem ainda mais tensão para a capital federal. Com as bolsas americanas fechadas e a liquidez reduzida, os investidores aproveitaram para reverter parte das perdas recentes.

6 de setembro de 2021
17:33 - atualizado às 17:56
Ibovespa
Brasília deve segurar o índice brasileiro mais uma vez - Imagem: Shutterstock/Andrei Morais

Embora o feriado de 7 de setembro que se aproxima deva ser marcado por protestos e possíveis ameaças do presidente Jair Bolsonaro aos demais Poderes, o Ibovespa aproveitou a segunda-feira (6) de mar calmo para buscar uma recuperação das perdas recentes. 

Hoje as bolsas em Nova York permaneceram fechadas para a celebração do feriado do Dia do Trabalho, o que acabou reduzindo a liquidez do mercado financeiro em todo o mundo. Mas nem mesmo a confirmação de casos da síndrome da Vaca Louca, o que suspende a suspensão de carnes para o mercado asiático, atrapalhou os mercados locais. 

Na realidade, os frigoríficos apresentaram um bom desempenho, principalmente a Minerva, que havia informado que continuaria fornecendo ao país asiático. Assim, o Ibovespa fechou o dia em alta de 0,80%, aos 117.868 pontos.

O dólar à vista enfrentou um dia de maior volatilidade, passando por um verdadeiro cabo de guerra. De um lado, nossos ruídos e preocupações fiscais inspiraram cautela antes do feriado. Do outro, a moeda apresentou um viés de baixa ao redor do mundo. O saldo foi um recuo de 0,15%, a R$ 5,1767. Após um leilão do Tesouro e com o recuo do câmbio, os principais contratos de DI operaram em queda:

  • Janeiro/22: de 6,84% para 6,87%
  • Janeiro/23: de 8,67% para 8,66%
  • Janeiro/25: de 9,83% para 9,78%
  • Janeiro/27: de 10,30% para 10,23%

Difícil de engolir

A tensão entre os poderes segue em alta e é o grande destaque do feriado desta terça-feira (07). São esperados atos pacíficos, mas a perspectiva de que possam ocorrer manifestações antidemocráticas coloca o governo federal em conflito com o Supremo Tribunal Federal (STF) e o Congresso.

O presidente da República Jair Bolsonaro tem animado suas bases em uma tentativa de pressionar os demais poderes. A animosidade em Brasília pode atrapalhar o andamento da agenda de reformas, dificultando a aprovação dos textos, mas deve ser repercutida nos pregões após a data comemorativa. 

Como "aquecimento", hoje o presidente Jair Bolsonaro sobrevoou a Esplanada dos Ministérios e assinou a Medida Provisória que altera o Marco Civil da Internet, limitando a remoção de conteúdos publicados em redes sociais. 

Sobe e desce da bolsa

Embora o protocolo sanitário tenha suspendido a exportação de carne brasileira para a China, as ações dos principais frigoríficos amanheceram em alta, entre os principais destaques do dia. Após o fechamento do mercado, o Ministério da Agricultura informou que a Organização Mundial da Saúde Animal (OIE) que os casos registrados não representam risco para a cadeia bovina. 

O melhor desempenho foi da Minerva, que já se pronunciou afirmando que irá continuar atendendo a demanda chinesa. Na sequência, as empresas de Utilities e Consumo avançaram, revertendo em parte as perdas recentes. Confira as maiores altas de hoje:

CÓDIGONOMEVALORVAR
BEEF3Minerva ONR$ 8,357,19%
CPLE6Copel PNR$ 7,226,33%
PCAR3GPA ONR$ 28,675,75%
AMER3Americanas S.AR$ 43,804,58%
MRVE3MRV ONR$ 13,723,78%

Na ponta contrária, o pior desempenho do Ibovespa ficou com a estreante Dexco (ex-Duralex). Confira também as maiores quedas:

CÓDIGONOMEVALORVAR
DXCO3Dexco ONR$ 19,65-2,96%
KLBN11Klabin unitsR$ 25,18-2,18%
CSNA3CSN ONR$ 34,15-1,90%
VALE3Vale ONR$ 97,06-1,57%
BIDI11Banco Inter unitR$ 63,01-1,16%

Dia de estreia

Esta segunda-feira marcou a estreia da nova carteira teórica do Ibovespa, com a inclusão da Alpargatas PN (ALPA4), Banco Inter PN (BIDI4), Banco Pan PN (BPAN4), Meliuz ON (CASH3), Rede D’Or ON (RDOR3), Dexco ON (DXCO3) e Petz ON (PETZ3), totalizando 91 ativos de 84 empresas.

Confira o desempenho das novatas:

  • Alpargatas PN (ALPA4): -0,86%
  •  Banco Inter PN (BIDI4): -0,30%
  •  Banco Pan PN (BPAN4): -0,81%
  • Meliuz ON (CASH3): -0,56%
  • Rede D’Or ON (RDOR3): 4,12%
  • Dexco ON (DXCO3): -2,96%
  • Petz ON (PETZ3): 0,04%

Qual investimento foi mais impactado?

Que tal entender como seus investimentos reagiram? Confira aqui como o Real Valor pode te ajudar!

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Crise dos chips

Sem carro zero no mercado, preço de usados sobe até 20% e vendas disparam – carro usado chega a custar mais que um novo

Mercado enfrenta escassez de semicondutores, demanda alta por veículos e prazos longos para a entrega

sem escassez

Fábrica da Tesla em Xangai deve terminar setembro com 300 mil carros produzidos em 2021

Marca será atingida mesmo em meio a uma escassez global de semicondutores, disseram duas fontes da montadora à Reuters

Fim da pandemia

CEO da Pfizer prevê que voltaremos à vida normal dentro de um ano, mesmo com novas variantes do coronavírus

Albert Bourla acredita que vacinação contra a covid-19 se tornarão anuais, para cobrir novas variantes, e que vacinas durarão um ano

ainda não acabou

Controladores da Alliar (AALR3) contratam XP para vender o negócio, diz jornal

Empresa de diagnósticos foi alvo, recentemente, de disputa pelo controle pela Rede D’Or e fundos ligados ao empresário Nelson Tanure

Mais recursos

Democratas aprovam pacote de US$ 3,5 tri no Comitê de Orçamento da Câmara dos EUA

Recursos serão destinados à rede de segurança social e programas relacionados a mudanças climáticas. Obtenção de quase unanimidade para aprovação no Congresso é desafio

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies