2021-05-25T19:12:41-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
FECHAMENTO DO DIA

Ibovespa volta duas (mil) casas e retorna aos 122 mil pontos; exterior pesado e commodities pressionaram a bolsa

Com a cautela predominando no exterior, o Ibovespa se afastou do seu nível recorde de 125 mil pontos. O dólar à vista fechou o dia em leve alta

25 de maio de 2021
18:31 - atualizado às 19:12
Imagem: Shutterstock

O dia começou com o Ibovespa sonhando com a possibilidade de um novo recorde, mas a realidade foi um pouco diferente e o principal índice da bolsa brasileira acabou recuando duas casas. 

Com o bom humor dos investidores não perdurando em Nova York, o Ibovespa abandonou a casa dos 124 mil pontos e voltou para a casa dos 122.987 pontos, um recuo de 0,84%.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente

Por aqui, pesou o desempenho ruim do setor de commodities. Petrobras e as companhias com exposição ao minério de ferro recuaram forte, mesmo com o avanço da commodity e do petróleo, o que influenciou na queda mais expressiva da bolsa brasileira. 

Lá fora, as atenções continuaram voltadas para a possibilidade de uma pressão inflacionária em escala global. Os dirigentes do Federal Reserve, o banco central americano, seguem alinhados e repetindo que o aumento de preços não passa de uma situação transitória e que, se a inflação se mostrar persistente, o Fed tem como contê-la. Mas dados divulgados hoje azedaram um pouco a recepção desse discurso - o sentimento do consumidor, assim como a vendas de novas moradias recuaram. 

A pressão normalmente é sentida primeiro no retorno dos títulos do Tesouro americano, mas hoje eles recuaram após um leilão. Esse movimento impactou o dólar à vista, que inverteu o sinal e fechou o dia em alta de 0,23%, a R$ 5,3371. As bolsas americanas, no entanto, seguiram no vermelho. 

O Dow Jones caiu 0,24%, o S&P 500 recuou 0,21% e o Nasdaq teve queda de 0,03%. O VIX, considerado o índice do medo, subiu mais de 2%. 

Um pouco de Brasil

O cenário internacional tem monopolizado o ritmo dos negócios nas últimas semanas, mas hoje os investidores locais tiveram informações de peso para digerir. 

A primeira foi o IPCA-15, considerado a prévia da inflação oficial. O índice atingiu a marca de 7,27% nos últimos 12 meses, mas desacelerou quando comparado ao mês anterior. Em maio, o aumento foi de 0,44% ante 0,60% registrado em abril. 

Com a inflação tirando o pé do acelerador, os investidores voltam a apostar em uma atuação mais moderada do Banco Central na próxima reunião de política monetária. No Brasil, segue no radar a possibilidade de avanço da agenda de reformas, o que alivia a tensão gerada na véspera pela possibilidade de prorrogação ao auxílio emergencial.

Hoje a CCJ da Câmara aprovou a constitucionalidade da reforma administrativa. O alívio do cenário fiscal, aliado a uma queda dos juros futuros no exterior, também refletiram na curva de juros brasileira. Confira:

  • Janeiro/2022: de 5,04% para 4,99%
  • Janeiro/2023: de 6,80% para 6,71%
  • Janeiro/2025: de 8,27% para 8,15%
  • Janeiro/2027: de 8,86% para 8,76%

Sobe e desce

O setor aéreo movimentou o Ibovespa na primeira etapa do pregão. O mercado repercutiu a notícia de que a Azul e a Latam decidiram encerrar o acordo de compartilhamento de voos, o que pode indicar uma retomada da demanda no setor. 

No começo da tarde, no entanto, os papéis da Cielo assumiram o topo da tabela. A notícia de que a Alelo, empresa de benefícios corporativos do ramo de alimentação, deve lançar um superapp e avançar em novos segmentos parece ter feito o mercado precificar com mais força um possível divórcio de Bradesco e Banco do Brasil, controladores da empresa de maquininhas. Confira as maiores altas do dia:

CÓDIGONOMEVALORVARIAÇÃO
CIEL3Cielo ONR$ 4,097,63%
COGN3Cogna ONR$ 4,197,16%
PCAR3GPA ONR$ 37,955,39%
AZUL4Azul PNR$ 42,014,11%
YDUQ3Yduqs ONR$ 31,553,95%

Depois de subir mais de 20% no pregão de ontem, o Banco Inter ficou com a lanterna dos desempenhos hoje. Confira também as maiores quedas do dia:

CÓDIGONOMEVALORVARIAÇÃO
BIDI11Banco Inter unitR$ 209,07-6,37%
USIM5Usiminas PNAR$ 19,44-3,09%
CSAN3Cosan ONR$ 21,87-2,89%
B3SA3B3 ONR$ 16,98-2,69%
CSNA3CSN ONR$ 44,07-2,56%
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente
Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

BITCOIN (BTC) HOJE

Bitcoin (BTC) cai hoje, mas projeções para mercado de criptomoedas permanecem otimistas, segundo analistas; Cardano (ADA) dispara mais de 8%

Qualquer gatilho neste momento pode desencadear uma alta de preços e um novo bull market das criptomoedas

EXILE ON WALL STREET

Você quer ser reconhecido ou quer ganhar dinheiro? Entenda por que estar na moda nem sempre significa lucrar

O objetivo do investidor não deveria ser estar na moda nem ser reconhecido em conversas pseudointeligentes, uma vez que os ciclos não necessariamente se repetem à frente

Insights para lucrar

VOTAÇÃO: Qual o investimento mais atrativo para o seu patrimônio em 2022?

Seu Dinheiro abre espaço de diálogo entre investidores para cada um saber o que o outro pensa sobre bolsa, criptomoedas, renda fixa e muito mais; vote

BRASILEIRO NÃO DESISTE NUNCA

Longe do fim: Aliansce Sonae (ALSO3) avisa que vai insistir na fusão com a brMalls (BRML3)

Negócio bilionário entre as gigantes rivais daria origem à maior administradora de shoppings da América Latina

TRÉGUA CLIMÁTICA

Depois da Usiminas, Vale anuncia retomada gradual das atividades após chuvas devastadoras em MG

Retorno parcial das operações coincide com trégua nos temporais que deixaram dezenas de mortos e milhares de desabrigados no Estado