Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-09-23T13:22:50-03:00
Felipe Saturnino
Felipe Saturnino
Graduado em Jornalismo pela USP, passou pelas redações de Bloomberg e Estadão.
ações sobem 65% em 2020

3ª maior alta do Ibovespa em 2020, Marfrig tem rating elevado de BB- para BB pela Fitch

Fitch elevou o rating da companhia de BB- para BB com melhora do perfil financeiro e de negócios. Ações da Marfrig apenas têm menor alta percentual que as de Weg e Magalu no Ibovespa no ano

22 de setembro de 2020
15:22 - atualizado às 13:22
Unidade de processamento de carne JBS BRF Marfrig Minerva JBSS3
Imagem: Shutterstock

A Marfrig teve o seu rating de longo prazo em moeda local e estrangeira elevado de BB- para BB pela Fitch. A atualização da nota de crédito reflete a melhora do perfil financeiro e dos negócios da empresa, diz a agência de classificação de risco. A perspectiva é estável.

Enquanto isso, o rating em escala nacional foi elevado de AA- para AA+.

A companhia possui participação de mais de 80% na National Beef, conseguiu reduzir a sua exposição ao Brasil, diversificou exposição para dois ciclos de gado e obteve acesso a mais mercados.

"As fortes condições da indústria em 2020 resultaram em um fluxo de caixa extraordinariamente forte nos Estados Unidos", diz a Fitch, observando a melhora na liquidez e na estrutura de capital da empresa.

O ano não tem sido fácil para o Ibovespa, principal índice acionário da B3, mas a Marfrig vem conseguindo atravessar bem o turbilhão da pandemia.

E não apenas isso: as ações ordinárias (MRFG3) do frigorífico subiram 65,26% no período, consolidando-se como a terceira maior alta percentual da bolsa no acumulado de 2020 — apenas atrás das líderes Weg (+88,42%) e Magazine Luiza (+88,86%).

Nesse mesmo tempo, a bolsa brasileira amargou perdas superiores a 16%.

Hoje, os papéis da Marfrig recuam 0,36%, para R$ 16,47, enquanto o Ibovespa avança 0,35%. Leia a cobertura completa de mercados do Seu Dinheiro.

Os prós da Marfrig

A Marfrig tem uma robusta estrutura de negócios, observa a Fitch: a companhia está entre as líderes produtoras de carne bovina e a National Beef, sua controlada, corresponde à quarta maior processadora desse tipo de carne nos EUA.

A agência espera que, em 2020, a Marfrig registre um Ebitda — o lucro antes dos descontos por efeitos de juros, impostos, depreciação e amortização — de R$ 8,9 bilhões, comparado aos R$ 4,5 bilhões de 2019 — gerando ainda R$ 2,2 bilhões de fluxo de caixa livre, incluindo dividendos pagos a minoritários da National Beef.

A diversificação geográfica também ajuda a Marfrig, que possui 86% do Ebitda provenientes da National Beef, e o restante da operação no Brasil.

"Exportações representaram 68% da receita da América do Sul, sendo 65% proveniente dos embarques para China e Hong Kong no segundo trimestre de 2020", informa a Fitch, mencionando ainda que a empresa possui treze fábricas credenciadas para exportação para a China.

A demanda por carne bovina também ajuda, é claro. Os fundamentos globais devem permanecer positivos nos próximos dois anos para os produtores da América do Sul e dos EUA em virtude de maior demanda e boa disponibilidade de gado, diz a Fitch.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Fusão cheia de travas

Na Omega Geração (OMGE3), um grupo importante de acionistas está descontente — e quer barrar os planos da empresa

Fundos detentores de 28,6% da Omega Geração (OMGE3) se uniram e dizem que não vão aprovar a fusão com a Omega Distribuição nos termos atuais

Potencial de 36% de alta

Como fica a XP após a separação do Itaú? Para o JP Morgan, é hora de comprar as ações da corretora

A equipe do JP Morgan vê as pressões vendedoras nas ações da XP após a separação com o Itaú se dissipando; assim, a recomendação é de compra

Digitalização

A hora e a vez do e-commerce: com pandemia, comércio online mais que dobra e já chega a 21% das vendas do varejo

O fechamento das lojas físicas promovido pela pandemia fez o setor de varejo acelerar a aposta no e-commerce e nas vendas digitais

A bolsa como ela é

Stone, Inter e Méliuz caem forte na bolsa. É o fim das fintechs como as conhecemos?

Muito desse movimento tem a ver com a subida dos juros. Mas alguns fatores específicos também pesaram sobre as ações. Em alguns casos, pesaram com razão; em outros, nem tanto

Ajuste seu relógio

Pregão terá uma hora a mais a partir de novembro; entenda a mudança e veja a nova agenda da bolsa

As alterações começam a valer a partir do dia 8 de novembro; a B3 vai ajustar a bolsa para refletir o fim do horário de verão nos EUA

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies