Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-12-16T23:31:07-03:00
Ivan Ryngelblum
Ivan Ryngelblum
Jornalista formado pela PUC-SP, com pós-graduação em Economia Brasileira e Globalização pela Fipe. Trabalhou como repórter no Valor Econômico, IstoÉ Dinheiro e Agência CMA.
boas expectativas

Suzano aumenta previsão para investimentos em 2021, diante do crescimento da produção

Empresa prevê dispêndios de R$ 4,9 bilhões no ano que vem, a maior parte indo para atividades de manutenção

16 de dezembro de 2020
8:08 - atualizado às 23:31
Suzano Papel e Celulose
Suzano Papel e Celulose - Imagem: Amanda Oliveira/Governo da Bahia

A Suzano (SUZB3) anunciou na terça-feira (15) à noite que vai investir R$ 700 milhões a mais em 2021, na comparação com o planejado para este ano, destinando mais recursos às atividades de manutenção do que novos projetos, para acompanhar a perspectiva de aumento da produção.

O conselho de administração aprovou ontem investir R$ 4,9 bilhões no ano que vem, acima dos R$ 4,2 bilhões em que os aportes devem terminar este ano.

A companhia informou que vai destinar R$ 4 bilhões para manutenção, em razão dos efeitos do plano de contingência adotado em 2020, que postergou parte dos projetos para 2021, da maior concentração de aportes em máquinas e equipamentos florestais e da elevação de produção prevista para o ano que vem, além dos efeitos da valorização do dólar ante o real.

Com relação aos demais investimentos, o segundo maior dispêndio está associado a terras e florestas (R$ 400 milhões). Para a Suzano, este valor é o mínimo necessário para que ela mantenha sua opcionalidade de crescimento no longo prazo e sua competitividade.

Tudo indo bem

Os ventos sopram em favor da Suzano. Depois de sofrer no começo do ano com a queda nos preços da celulose, a maior produtora de celulose de eucalipto do mundo deve aproveitar uma recuperação das cotações, iniciada no quarto trimestre, e que deve se estender ao longo de 2021.

Os preços da celulose de fibra curta tiveram mais uma leve alta na semana passada, de US$ 2,80 por tonelada, para US$ 467,46 a tonelada, segundo a XP Investimentos. E existe espaço para subir no longo prazo, de acordo com o analista Yuri Pereira. Para ele, os valores se encontram há muito tempo abaixo do custo marginal, que ele calcula girar em torno de US$ 500 a tonelada.

“Adicionalmente, esperamos que uma recuperação da demanda na China seja gatilho para um movimento de recomposição de estoques”, diz trecho de relatório.

O cenário está permitindo à Suzano reajustar os preços da fibra para cima. Segundo apurou o jornal “Valor Econômico”, ela está comunicando a seus clientes na Europa e nos Estados Unidos novos preços para a fibra a partir de 1º de janeiro, de US$ 750 e US$ 970 por tonelada, respectivamente.

No começo do mês, ela aumentou os preços para clientes na China, para US$ 500 a tonelada, segundo o jornal.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Cliente difícil

Barrada na alfândega: Carne de unidade da BRF não é mais bem vinda na China

País asiático suspende compra de produtos suínos e de aves processados na unidade de Lucas do Rio Verde (MT), alegando problemas no transporte

Esquenta dos Mercados

Pré-mercado: cautela antes da decisão do Copom e risco fiscal devem dividir atenção com balanços do dia

Em meio ao exterior positivo, bolsa brasileira deve lidar com cenário interno de incertezas quanto ao teto de gastos

Preparar para decolagem

Renovação total: Gol faz acordo para adquirir aviões novos; veja os detahes

Presidente da companhia aérea afirma que movimento é uma antecipação à esperada retomada da demanda por viagens após a pandemia

EXCLUSIVO

Inter lança família de fundos temáticos com entrada a partir de R$ 100; conheça os produtos

A Inter Asset lança hoje a Innova, família de fundos de investimento temáticos. O fundo de cannabis da Vitreo estreia o produto

De olho no Banco Central

Copom decide juros nesta quarta; veja como ganhar dinheiro com apostas no sobe e desce da Selic – e quando vale a pena

Opções de Copom, derivativos lançados no ano passado pela B3, permitem ao investidor apostar nas decisões de juros do Banco Central, protegendo a carteira de surpresas ou lucrando com cenários pouco prováveis

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies