Menu
2020-07-12T09:58:17-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
nem tudo é sucesso

O projeto de Jeff Bezos que levou seis anos, milhões de dólares — e fracassou

Sem alarde, Amazon lançou em maio deste ano um jogo chamado “Crucible”, que foi retirado para download gratuito poucas semanas após ser disponibilizado

12 de julho de 2020
9:55 - atualizado às 9:58
Jeff Bezos
Jeff Bezos - Imagem: Shutterstock

Você sabia que a Amazon, do bilionário Jeff Bezos, gastou seis anos e milhões de dólares em um projeto, lançado neste ano, que não deu certo? Trata-se de um jogo chamado "Crucible".

Crucible foi disponibilizado como um jogo gratuito na maior plataforma de games do mundo, a Steam, em maio deste ano. Mas em junho a Amazon retirou o jogo das lojas digitais. Ao que tudo indica, o projeto não deu certo de primeira.

Primeiramente, não é à toa que você pode não ter ouvido falar do jogo. Crucible foi lançado em 20 de maio sem alarde.

A Amazon é a empresa do homem mais rico do mundo, dispõe de caixa para grandes ações de promoção, mas a companhia não usou nem mesmo o serviço de streaming focado em vídeo-games, o Twitch (que ela é dona), para promover o projeto.

A empresa também parece não ter comprado anúncios para exibir no YouTube, onde canais sobre vídeo-games são muito populares.

Em um primeiro momento, pouca gente ficou sabendo de Crucible.

É claro que com pouca publicidade um número reduzido de pessoas se aventurou no jogo da empresa do bilionário Jeff Bezos. Segundo a Business Insider, em 21 de maio, dia seguinte ao lançamento, o Crucible tinha cerca de 25 mil jogadores simultâneos no momento de pico.

No dia seguinte, o jogo já havia desaparecido da lista de cem mais jogados do Steam — que compõe cerca de 5 mil jogadores simultâneos. Havia menos do que esse número de jogadores se dedicando ao game dois dias após seu lançamento.

Com o fraco lançamento, o número de jogadores foi caindo semana após semana. Em pouco tempo, poucas centenas de pessoas se dedicavam ao jogo — o que influenciava o comportamento de quem ainda estava com o game.

Com poucos jogadores, quem sobra tem cada vez menos opções de colegas para disputar.

Além disso, Crucible foi lançado inicialmente em três modos diferentes, que dividiram a base de jogadores. A Amazon chegou a cortar dois desses modos, mas já era tarde.

No dia 30 de junho a companhia do homem mais rico do mundo tirou o status do jogo de aberto para download para "beta fechado" — um termo usado para descrever jogos que ainda estão em desenvolvimento.

Quem tinha acesso ao game, continuou a tê-lo — e a empresa segue trabalhando para voltar com o jogo. Por ora, parece que há trabalho a se fazer para tornar Crucible um sucesso. A depender do histórico de paciência de Jeff Bezos, isso não deve ser um problema.

*Com informações da Business Insider

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

destino da oi

Anatel deve facilitar eventual compra da Oi por trio de rivais

esde a última sexta-feira, as maiores operadoras do País ganharam exclusividade na disputa pela Oi Móvel, cujo preço mínimo é de R$ 15 bilhões

de olho nos balanços

Cosan, Itaúsa e BTG: os balanços que mexem com o mercado nesta terça-feira

Empresas do Ibovespa revelaram os resultados do segundo trimestre, período totalmente impactado pela pandemia

Insights Assimétricos

Como navegar e obter retorno no mundo de juros baixos e bolsa cara

Todo mundo quer múltiplo barato, mas ninguém quer esperar anos para que o crescimento, hoje já no preço, seja entregue ou sentir na pele uma grande correção nos preços como a vista em março. Qual a saída?

dados do coronavírus

Covid-19: Brasil tem 3,05 milhões de casos e 101,7 mil mortes

Desde o início da pandemia, o Brasil acumula 3.057.470 casos de covid-19, conforme balanço diário divulgado hoje (10) pelo Ministério da Saúde

reforma tributária

Alíquota de CBS pode ser revista se for exagerada, diz Guedes

O ministro da Economia, Paulo Guedes, voltou a dizer que a alíquota de 12% prevista para a Contribuição sobre Bens e Serviços (CBS) poderá ser revista caso se mostre “exagerada”

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements