Menu
2020-09-23T12:08:30-03:00
Ivan Ryngelblum
Ivan Ryngelblum
Jornalista formado pela PUC-SP, com pós-graduação em Economia Brasileira e Globalização pela Fipe. Trabalhou como repórter no Valor Econômico, IstoÉ Dinheiro e Agência CMA.
ESTREANDO NA BOLSA

Grupo Mateus pode levantar até R$ 6,2 bilhões em IPO

Quarta maior varejista de alimentos do país, empresa pretende utilizar recursos com oferta primária para expansão orgânica

21 de setembro de 2020
15:10 - atualizado às 12:08
ilson mateus divulgacao grupo mateus
O empresário Ilson Mateus, em peça publicitária da companhia. - Imagem: Divulgação / Grupo Mateus

A rede de supermercados Grupo Mateus pode arrecadar até R$ 6,2 bilhões em sua oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês), caso as ações sejam precificadas no topo da faixa indicativa de preço, que vai de R$ 8,97 a R$ 11,66.

O montante considera a colocação dos 339.147.287 papéis da oferta primária, cujos recursos vão para o caixa da companhia, e os 58.139.535 da venda secundária, de ações dos atuais acionistas.

O Grupo Mateus pretende ofertar ainda 59.593.023 ações do lote suplementar e um lote adicional de 79.457.364 ações, caso haja demanda, de acordo com a mais recente versão do prospecto da operação.

A definição do preço por ação no IPO está marcada para 8 de outubro, e as ações devem estrear na B3 em 13 de outubro.

Quarta maior empresa de varejo alimentar do país, de acordo com a Abras (Associação Brasileira de Supermercados), o Grupo Mateus é essencialmente familiar, controlado por Ilson Mateus Rodrigues, Maria Barros Pinheiro, Ilson Mateus Rodrigues Junior e Denilson Pinheiro Rodrigues.

A empresa informou no prospecto que pretende utilizar os recursos obtidos com a oferta primária para expansão orgânica. Com 137 lojas físicas no Maranhão, Pará e Piauí, o grupo encerrou o primeiro semestre com lucro líquido de R$ 297 milhões, aumento de 62% em relação ao mesmo período de 2019.

A receita cresceu 30%, para R$ 5 bilhões, e o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) avançou 56%, para R$ 478 milhões.

O IPO está sendo coordenado pela XP Investimentos, Bradesco BBI, BTG Pactual, Itaú BBA, BB Investimentos, Santander e Safra.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

em meio à crise

GPA tem alta de 150% no lucro, com melhora operacional no Brasil

Cifra atingiu R$ 386 milhões; Assaí apresentou faturamento de R$ 10,1 bilhões, incremento de R$ 2,5 bilhões contra o ano anterior

Números fortes

Vale tem lucro líquido de US$ 2,9 bilhões no 3º tri, alta de 76% na comparação anual

Lucro líquido cresceu quase 76% em relação ao terceiro trimestre do ano passado; Ebitda ajustado chegou a mais de US$ 6 bilhões

Análise

O mercado trucou, e o Banco Central mandou descer ao bancar juro baixo

Emparedado pelo repique da inflação e pelo aumento do risco fiscal, o BC foi inflexível e sustentou o “forward guidance”, a sinalização de que a Selic permanecerá baixa por um longo período

Acelerou

Bolsonaro assina sanção da lei que prorroga incentivos para setor automotivo

A sanção do projeto, assinada por Bolsonaro, deve ser publicada até esta quinta-feira, 29, no Diário Oficial da União (DOU).

o pior já passou?

Petrobras tem prejuízo de R$ 1,5 bilhão no terceiro trimestre, com adesão a anistias tributárias

Analistas esperavam prejuízo de R$ 4,15 bilhões; após baixa com a pandemia, estatal aumentou a participação de mercado e manteve um patamar alto de exportações

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies