Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-07-30T07:50:58-03:00
Estadão Conteúdo
histórico

Gigantes de tecnologia são postas em xeque em depoimento nos EUA

Presidentes das gigantes Amazon, Google, Apple e Facebook tiveram de responder a perguntas sobre concorrência desleal, aquisições, uso de dados de clientes e até mesmo hidroxicloroquina

30 de julho de 2020
7:50
Jeff Bezos, fundador da Amazon e o homem mais rco do mundo
O bilionário Jeff Bezos, fundador da Amazon. - Imagem: Shutterstock

A indústria de tecnologia viveu ontem um momento histórico, com o depoimento simultâneo de Jeff Bezos, Sundar Pichai, Tim Cook e Mark Zuckerberg no Congresso dos EUA. Presidentes das gigantes Amazon, Google, Apple e Facebook, respectivamente, eles tiveram de responder a perguntas sobre concorrência desleal, aquisições, uso de dados de clientes e até mesmo hidroxicloroquina, em uma sessão que durou quase seis horas.

Mais do que isso, viram seus modelos de negócios serem postos em xeque, no que pode ser o princípio de uma mudança significativa no status quo de quatro das cinco maiores empresas do setor no mundo, com valor de mercado conjunto que beira os US$ 5 trilhões.

Realizado pelo comitê antitruste da Câmara dos Deputados, o depoimento foi o ponto culminante de uma investigação que já dura 13 meses e amealhou 1,3 milhão de documentos. Parte deles, revelada ontem, pode mudar dramaticamente o Facebook: um conjunto de e-mails de Mark Zuckerberg mostra que, antes de adquirir o Instagram, ele via o app como um competidor e, por isso, decidiu comprá-lo por US$ 1 bilhão.

"O Instagram pode nos causar dano", escreveu Zuckerberg ao diretor financeiro do Facebook na época. Durante a sessão, Zuckerberg reafirmou essa visão e concedeu o mesmo status de rival ao WhatsApp, comprado pela empresa em 2014 por US$ 19 bilhões. Feita sob juramento, a afirmação pode colocar o Facebook em problemas, uma vez que comprar um competidor direto pode contrariar a lei de antitruste americana. "A aquisição do Instagram pelo Facebook se enquadra no que as leis foram desenhadas para prevenir. É algo que não poderia ter sido aprovado", disse o deputado democrata Jerry Nadler, de Nova York.

Zuckerberg respondeu que a aquisição não enfrentou oposição na época. Hoje, porém, o cenário mudou: o órgão está analisando ativamente aquisições feitas na área de tecnologia e pode chegar a uma nova conclusão, revertendo as transações e transformando Instagram e WhatsApp em empresas separadas.

Em um dos momentos mais tensos, a deputada Pramila Jayapal perguntou se Zuckerberg tentou clonar um produto de um rival após não conseguir comprá-lo, em referência ao Snapchat, cujas funções de mensagens efêmeras apareceram no WhatsApp e no Instagram. Zuckerberg negou, afirmando que "adaptou funções criadas por outros". A deputada respondeu: "Lembre-se que você está sob juramento", dando a entender que ele estaria mentindo.

Dados

Outro tema bastante presente durante o julgamento foi o do uso, pelas quatro gigantes, de dados de consumidores e concorrentes para influenciar seus negócios. A Amazon, por exemplo, foi acusada de usar dados de parceiros que usam sua plataforma para determinar que tipo de produtos a gigante deve desenvolver.

Na sessão, Jeff Bezos disse que a empresa tem uma política para prevenir isso, mas não pôde garantir à deputada Jayapal que a prática nunca tenha sido violada. O homem mais rico do mundo, com fortuna de US$ 180 bilhões, admitiu que constantemente vende sua caixa de som conectada, Amazon Echo, abaixo do preço de produção, e que a assistente de voz da empresa, Alexa, direciona consumidores para produtos da própria Amazon, duas atitudes que poderiam ser caracterizadas como concorrência desleal.

Sundar Pichai, do Google, também teve de responder a acusações sobre uso de dados de competidores. O democrata David Cicilline, presidente da comissão, citou e-mails empregados do Google discutindo sobre sites que estavam crescendo em tráfego. Segundo o democrata, os empregados "temiam que a competição vinda de certos sites pudessem reduzir a receita da empresa" e consideraram reduzir sua presença nos resultados da busca da empresa.

Com presença mais discreta, Tim Cook, da Apple, respondeu a questões sobre o poder da App Store, loja de aplicativos do iPhone - que cobra de alguns aplicativos comissão de até 30% sobre os pagamentos feitos por usuários. Na sessão, Cook ressaltou que a empresa veta apps para cuidar da privacidade e segurança de usuários.

Empresas chinesas, como Tencent e Alibaba, também foram citadas nos depoimentos. Quem levantou a bola foi Zuckerberg, que hoje disputa espaço com o app chinês TikTok. O líder do Facebook defendeu que regular empresas americanas daria fôlego às rivais chinesas, que não se pautam por valores "americanos", como democracia, livre concorrência e liberdade de expressão.

Cloroquina

Os executivos também tiveram de falar hidroxicloroquina. Greg Steube, da Flórida, reclamou de não poder ver um vídeo sobre médicos falando que a hidroxicloroquina seria um tratamento válido para o coronavírus. Sundar Pichai disse que o YouTube segue orientações das autoridades de saúde para remover conteúdo que pode causar danos a quem assisti-lo, já que não há comprovação de que o medicamento tem eficiência contra a covid-19.

Já Jim Jordan, de Ohio, chegou a fazer Pichai prometer que não vai favorecer o democrata Joe Biden contra o candidato de seu partido, Donald Trump. Na sequência, a deputada democrata Mary Gay Scanlon, da Pensilvânia, disse que iria voltar ao debate econômico e não de "teorias conspiratórias".

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

FECHAMENTO DO DIA

Investidores tentam equilibrar noticiário e Ibovespa emplaca mais um dia de alta; dólar tem queda firme com ômicron no radar

Com o avanço da PEC dos precatórios, a pandemia se torna um dos únicos gatilhos negativos a rondar o Ibovespa,

DOBRANDO A ESQUINA

Lucro das empresas com ações na bolsa deve cair 6,3% em 2022, diz BTG Pactual

Mesmo assim ainda é possível encontrar setores em que o cenário é positivo; saiba quem é quem

Bateu o martelo

IPO do Nubank sai no topo da faixa indicativa, a US$ 9; banco ultrapassa Itaú (ITUB4) e é a instituição financeira mais valiosa da América Latina

Segundo informações da imprensa, o Nubank concluiu, nesta quarta-feira (08), sua oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) a um preço de US$ 9 por ação e R$ 8,38 por BDR (Brazilian Depositary Receipt), topo da faixa indicativa, que ia de US$ 8 a US$ 9 por ação e R$ 7,45 a […]

Juros nas alturas

Selic decola a 9,25%, maior patamar em quatro anos; BC assume tom duro e indica nova alta de 1,5 ponto em fevereiro

Com a nova alta de 1,5 ponto concretizada hoje, a Selic saiu do patamar de 2% em janeiro e fecha o ano em 9,25%

CRYPTO NEWS

Guia prático para ter sucesso investindo em bitcoin e outras criptomoedas

Veja dicas das quais sempre me lembro durante os momentos mais complexos. Sugestão: anote-os em um caderno e os releia antes de abrir o site da corretora e decidir fazer uma operação

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies