Menu
2020-11-24T17:52:25-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
A BOLSA É PARA TODOS

De outro mundo: funerária quer fazer IPO na B3 em 2021

Com 57 anos, Grupo Cortel planeja abrir o capital na bolsa e utilizar recursos para a aquisição de empresas do setor

24 de novembro de 2020
10:00 - atualizado às 17:52
grupo cortel
Imagem: Divulgação

Uma empresa que oferece produtos e serviços completos "atrelados ao luto" quer abrir capital na bolsa, o que deve ocorrer no início do próximo ano.

O Grupo Cortel pretende ser a primeira desse setor a estrear na B3, que neste ano contou com mais de 20 novatas de capital aberto.

Segundo apurou o jornal "O Estado de S.Paulo", a estimativa é de que a operação chegue a R$ 400 milhões. A empresa pretende listar as ações no Novo Mercado, segmento de listagem de ações da B3 criado para aumentar o padrão de governança corporativa das companhias.

Fundada no Rio Grande do Sul em 1963, a empresa trabalha com cremação (incluindo a de animais de estimação), funerais e serviços auxiliares e faturou quase R$ 84 milhões no ano passado.

Nos primeiros nove meses do ano, o Grupo Cortel teve receita líquida de R$ 76 milhões, acima dos R$ 55 milhões do mesmo período de 2019. O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) cresceu 2,2 vezes, na mesma base de comparação, com R$ 38,1 milhões, com a margem indo de 30,6% para 50,3%.

De acordo com o prospecto preliminar, a oferta contará com um grupo de vendedores, incluindo a família do fundador, José Elias Flores, e fundos de investimentos. Dentre eles, está o Brazilian Graveyard, que é dedicado a investir em cemitérios.

Aquisições

A oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) do Grupo Cortel também colocará dinheiro no caixa da companhia, que quer direcionar os recursos para a aquisição de empresas do setor. A XP Investimentos é o único coordenador da operação.

"O foco da companhia está na aquisição de ativos em regiões com baixo atendimento profissional de cemitérios e serviços funerários, em cidades com população acima de 500 mil habitantes e com PIB per capita elevado em relação à média brasileira", detalha o prospecto.

A companhia tem um modelo de negócios verticalizado, atuando em todos os segmentos e serviços do setor. Ela possui dez cemitérios, todos próximos a centros urbanos, cinco crematórios, um crematório de animais, uma casa funerária, mais de 40 salas de velórios, oito capelas cerimoniais e duas capelas históricas. Realiza, por ano, cerca de 4,9 mil sepultamentos e 5,5 mil cremações.

"Com um modelo de negócios eficiente, integrado e bastante verticalizado, a companhia conta com ativos estrategicamente localizados em áreas de maior poder aquisitivo, garantindo maior previsibilidade e recorrência de receita em seus produtos e serviços", afirma trecho do prospecto.

Planos previdenciários

O Grupo Cortel também atua na área previdenciária, contando com três categorias de planos, indo da opção econômica até a premium, para todas as idades.

Em 30 de setembro, a empresa apresentava uma carteira de aproximadamente 17 mil beneficiários e um perfil de demanda estável, apresentado baixa volatilidade mesmo durante as mudanças de ciclo econômico, de acordo com o prospecto.

“Nesta unidade, a companhia não possui a necessidade de amplo emprego de capital, aproveita de uma antecipação de fluxos de caixa, dado que os recebimentos ocorrem significativamente antes dos desembolsos”, diz trecho do documento.

* Com informações do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

balanço do dia

Covid-19: casos sobem para 15,5 milhões e mortes, para 432,6 mil

O total de vidas perdidas durante a pandemia subiu para 432.628. Entre ontem e hoje, foram registradas 2.211 novas mortes.

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Mudaram as estações, mas nada mudou na bolsa

Quem olha para o saldo do Ibovespa na semana pode achar que os últimos dias foram um marasmo. O índice, afinal, ficou praticamente estável — uma quase desprezível queda de 0,13%. “Mas eu sei que alguma coisa aconteceu / tá tudo assim, tão diferente”, já dizia a música. E é verdade: nada mudou na bolsa, […]

Fechamento da semana

Inflação americana e minério de ferro vivem ‘dias de luta e dias de glória’, monopolizando a semana; dólar avança e bolsa recua no período

O minério de ferro puxou Vale e siderúrgicas para cima – mas depois derrubou. A inflação americana também assustou, mas conseguiu acalmar o ânimo dos investidores. Confira tudo o que movimentou a semana

Engordando o caixa

Petrobras gera US$ 2,5 bilhões com desinvestimentos em 2021; venda mais recente é para fundo árabe

E a estatal não deve parar por aí, pois o diretor financeiro da empresa já reafirmou a intenção de continuar com o programa de venda de ativos

Em evento do BofA

Presidente do BC revela preocupação com análise de autonomia no STF e planos para PIX internacional

Campos Neto e o ministro da Economia, Paulo Guedes, têm conversado com ministros da Corte sobre os questionamento acerca do tema

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies