Menu
2020-04-23T10:58:03-03:00
Kaype Abreu
Kaype Abreu
Formado em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Colaborou com Estadão, Gazeta do Povo, entre outros.
contracorrente

Estapar lança IPO, em primeira oferta desde início da crise

Segundo a rede de estacionamentos, dinheiro será usado para pagar concessão da zona azul São Paulo; empresa tem processo questionado judicialmente

23 de abril de 2020
8:53 - atualizado às 10:58
estacionamento carros
Imagem: Shutterstock

A rede de estacionamentos Estapar lançou nesta quarta-feira (22) sua oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês). É a primeira operação desde o início da crise provocada pelo novo coronavírus. Até março, a bolsa brasileira passava por uma onda de estreias - que foram suspensas diante da instabilidade do mercado.

Segundo a companhia, o dinheiro levantado será destinado ao pagamento da concessão onerosa do serviço de estacionamento rotativo em vias e logradouros do município de São Paulo (Concessão Zona Azul de São Paulo).

A Estapar venceu a licitação, mas ainda não assinou o contrato porque a concorrência para a concessão é questionada judicialmente. Com a assinatura, a companhia teria direito a operar ao menos 43.521 vagas por 15 anos.

"Parte relevante de nossas operações são conduzidas por meio de concessões públicas. A perda dessas concessões pode afetar de forma negativa as nossas receitas e a capacidade de operar nosso negócio", informa a rede de estacionamentos.

A empresa também realiza uma oferta secundária, em que os recursos serão repassados aos acionistas vendedores.

A Estapar estima que o preço da ação fique entre R$10,50 e R$13,00 - a precificação está marcada para 13 de maio. Considerando o papel a R$ 11,75, a companhia pode levantar R$ 322,9 milhões na oferta primária - em que serão vendidas 28,6 milhões de novas ações. Na oferta secundária serão até 1,2 milhão de papéis.

O BTG Pactual, acionista da companhia, é o coordenador líder da oferta. Bradesco BBI, Banco do Brasil e Santander também participam.

A Estapar é líder do setor de estacionamentos: opera hoje aproximadamente 400 mil vagas em 684 operações localizadas em polos geradores de tráfego dos principais centros urbanos do Brasil. A empresa tem 38 anos - cresceu organicamente a partir da primeira base, em Curitiba, e via aquisições.

"Temos um modelo de negócios diversificado e com uma demanda estável de mercado, que combina contratos de serviços asset-light com uma plataforma de alocação de capital orientada a contratos de longo prazo e ativos de real estate", diz a companhia.

Com a crise, a Estapar diz que já identificou queda de receita, reduziu gastos e negociou rolagem de pagamento de principal e juros de dívidas contratadas. A companhia também busca novas linhas de crédito de curto prazo e relata que pode não conseguir implementar integralmente as estratégias de negócio.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

Dinheiro no bolso

Banco do Brasil anuncia percentual do lucro que vai pagar em dividendos em 2020 e 2021

Banco pretende distribuir 35,29% do lucro líquido do ano de 2020 aos acionistas e 40% do resultado deste ano

Seu Dinheiro na sua manhã

Pendurados em São Pedro

O desempenho pífio da economia brasileira nesta última década, quem diria, pode ter nos livrado de um grande problema: um novo racionamento de energia. A ameaça vem desde 2013, quando o país passou a consumir um volume muito grande de energia das hidrelétricas, o que derrubou o nível dos reservatórios — mais uma herança do […]

Pré-mercado

Em dia de feriado na B3, bolsas internacionais reagem a notícias sobre covid-19 e balanços

Semana nas bolsas será marcada pela divulgação dos balanços dos pesos pesadíssimos da tecnologia Microsoft, Apple, Facebook, Tesla e Amazon

Mais uma baixa

Wilson Ferreira Junior vai deixar a presidência da Eletrobras

A saída do presidente da Eletrobras enfraquece ainda mais a ala liberal do governo Bolsonaro e deve jogar ainda mais terra no plano de privatização da companhia

Entrevista

Como blindar a Petrobras do populismo com o preço dos combustíveis? Para Adriano Pires, a solução está na venda das refinarias

O diretor do Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIE) também defende o uso do gás do pré-sal para afastar o risco de um novo racionamento de energia no país

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies