Menu
2020-07-21T20:32:41-03:00
números da gigante estatal

Com pandemia, Petrobras registra queda de 3,5% na produção de óleo e gás natural no 2º tri frente ao 1º; vendas de diesel sobem

A gigante estatal divulgou que produziu 2,757 milhões de barris de petróleo por dia de abril a junho e manteve a meta de produção para o ano

21 de julho de 2020
20:32
Petrobras plataforma P-66
Imagem: André Motta de Souza / Agência Petrobras

A Petrobras anunciou na noite desta terça-feira (21) que registrou uma queda de 3,5% na produção de óleo e gás natural no Brasil no 2º trimestre em comparação ao trimestre anterior.

De acordo com o relatório de produção e vendas do 2º trimestre da empresa, foram produzidos 2,757 milhões de barris de petróleo por dia (MMboed) de abril a junho, frente aos 2,856 MMboed dos primeiros três meses do ano.

A produção de óleo e LGN (líquido de gás natural) caiu 3,2% em relação na comparação trimestral, para 2,245 MMboed — mas subiu 9,4% na base anual. A produção nos campos do pré-sal (1,527 MMboed) foi 1% inferior ao trimestre anterior, o que reflete os impactos da redução de produção em Angra dos Reis e Cidade de Mangaratiba, para além dos atrasos de resolução de problemas operacionais em razão da covid-19.

Enquanto isso, a produção de gás natural (512 Mboed) teve queda de 4,5% trimestre contra trimestre, e acabou subindo 2,4% em relação ao mesmo período do ano passado.

No relatório, a petroleira estatal disse que obteve um "sólido desempenho operacional".

Isto porque, apesar da queda abrupta da demanda em fins de março e em abril em meio aos efeitos da pandemia de coronavírus, a produção média de óleo, LGN e gás natural no 2º trimestre (2,802 MMboed) foi 6,4% maior do que a do 2º trimestre de 2019, ficando apenas 3,7% abaixo do 1º trimestre de 2020.

A companhia manteve a meta de produção para 2020 de 2,7 MMboed, com variação de 2,5% para cima ou para baixo. Além disso, informou que a partir de setembro voltará a realizar a interligação de novos poços, comissionamento de novas unidades e paradas programadas.

Vendas de diesel sobem, e de gasolina, caem

Em relação ao refino, a Petrobras registrou uma queda de 10,7% da carga processada — considerando que o fator de utilização das refinarias foi de 70% na média do 2º trimestre.

Em função dos efeitos do coronavírus na demanda, toda a produção de derivados caiu no período: o diesel, 2,4%, a gasolina, 19,4%, e o querosene de aviação, 81,5%. Segundo a empresa, o mês de abril foi o mais afetado em função das medidas de isolamento social e ações de contenção.

O volume de vendas de diesel para o mercado interno subiu 3,8% no 2º trimestre. O da gasolina, por sua vez, se retraiu 14,5%. As vendas de óleo combustível caíram 12,2%, e as de querosene de aviação despencaram 81,3%.

O volume de vendas para o mercado interno foi de 1,738 Mbpd (milhares de barris por dia), uma queda de 11,1% na comparação trimestral. Na mesma base, as vendas para o mercado externo tiveram uma queda de 2,8%, de 1,088 Mbpd.

O volume total de vendas caiu 8% no período frente ao trimestre anterior, mas apresentou alta de 3,6% em relação a igual período de 2019.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

Seu Mentor de Investimentos

Como proteger seus investimentos diante do risco de sanções comerciais por causa das queimadas

País tornou-se um pária no mundo por conta do que acontece no Pantanal e na Amazônia, diz colunista Ivan Sant’Anna; ele aponta uma série de tipos de ativos que podem estar imunes a uma eventual protesto da comunidade internacional

caso de fevereiro

Guedes ‘excedeu barbaramente’ limites ao comparar servidor a parasita, diz juíza

Cláudia da Costa Tourinho Scarpa, da 4ª Vara Federal Cível da Bahia, afirmou que o ministro da Economia ‘insultou’ os servidores públicos

em recuperação judicial

Justiça dos EUA libera empréstimo de US$ 2,4 bi da Latam

Nova proposta retirou cláusula questionada por minoritários

o melhor do seu dinheiro

Briga de bilionários e a maior besteira da minha vida

Texto mais lido da semana foi sobre uma troca de farpas virtual entre Elon Musk e Bill Gates. O motivo da discórdia? A viabilidade de veículos elétricos para longas distâncias

críticas ao governo

Para Bill Gates, uma medida de Trump pode ter acelerado o contágio pelo coronavírus

Voz crítica ao governo americano durante a pandemia, o bilionário apontou uma medida do presidente dos EUA que não ajudou a segurar a doença nos EUA

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements