Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-09-23T12:48:31-03:00
Felipe Saturnino
Felipe Saturnino
Graduado em Jornalismo pela USP, passou pelas redações de Bloomberg e Estadão.
abertura de capital

Bradesco planeja IPO da Ágora e corretora deve se separar do banco até o fim do ano

Analistas do Goldman Sachs tiveram conferência com os diretores do Bradesco, Leandro Miranda e Carlos Firetti. O plano é realizar o IPO depois de a Ágora conquistar o segundo lugar do setor em termos de participação de mercado — o que é previsto para acontecer dentro de 4 ou 5 anos

21 de setembro de 2020
20:05 - atualizado às 12:48
Banco Bradesco
Imagem: Estadão Conteúdo / André Dusek

O Bradesco planeja a oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) da sua corretora Ágora Investimentos para algum momento do futuro. Por ora, o banco brasileiro já definiu que, até o fim do ano, fará da Ágora uma empresa separada do grupo — seguindo o mesmo processo que ocorreu com o Banco Next. As informações constam de relatório do Goldman Sachs.

Analistas de ações do banco americano estiveram em conferência com os diretores do Bradesco da área de relações com investidores e responsável pela Ágora, Leandro Miranda, e de relações com mercado, Carlos Firetti, em 18 de setembro, sexta-feira passada.

Durante o encontro, os executivos manifestaram a intenção da realização de abertura de capital da Ágora eventualmente, de acordo com o documento.

O primeiro passo para o IPO, diz o Goldman citando os executivos, seria o levantamento de recursos para a corretora com a intenção de apoiar os investimentos em recursos humanos, marketing, fusões e aquisições horizontais e governança corporativa.

O plano da administração, no entanto, é apenas realizar o IPO depois de a Ágora alcançar o segundo lugar do setor em termos de participação de mercado — o que é previsto pelos executivos para acontecer dentro de 4 ou 5 anos.

Além disso, segundo Miranda, do Bradesco, afirmou ao Goldman, haverá acordos exclusivos entre Ágora e Banco Next para preservar os benefícios do acesso a uma base relevante de clientes de ambas as plataformas.

Atualmente, a corretora possui R$ 65 bilhões em ativos sob custódia e 500 mil clientes. A Ágora foi adquirida pelo Bradesco em 2008 e incorporou clientes da Bradesco Corretora a partir do ano passado.

Comoditização é risco

O Bradesco acredita que haverá somente de 4 a 5 grandes concorrentes no segmento de investimento dentro de 5 anos. A administração espera que a Ágora se torne a segunda maior corretora de varejo em 2021 e que tem o objetivo de se tornar a líder em cinco anos.

A migração de clientes do Bradesco, juntamente com clientes de outras plataformas, deve apoiar este crescimento, diz o Goldman.

"É importante ressaltar que a administração mencionou que pretendia trazer ativos sob custódia do private banking do Bradesco, da gestão de ativos e depósitos de custódia, o que poderia aumentar os ativos sob custódia da Ágora para R$ 200 bilhões."

Os executivos do banco acham que as recentes fusões e aquisições no segmento de investimentos não devem ser vistas como uma "ameaça" à Ágora. Eles consideram que a corretora possui escala e sinergias sendo parte do Bradesco.

"No entanto, a administração prevê a possibilidade de que a comoditização de produtos de investimento pode resultar em taxas mais baixas, apesar do tendência de crescimento secular do mercado", aponta o relatório do Goldman.

Os executivos do Bradesco disseram também que a Ágora não acompanhou as recentes reduções de preços promovidas pelos concorrentes, uma vez que o movimento não impactou sua base de clientes.

Eles afirmam que, se necessário, a Ágora poderia reduzir os preços também.

Os executivos também enfatizaram que a Ágora no momento está se concentrando em oferecer produtos com serviços de maior valor agregado para evitar a "comoditização", o que pode ser um risco para os preços.

A expressão remete ao processo no qual o consumidor, diante de tantas ofertas de produtos de um mesmo setor, não é capaz de diferenciar entre eles.

Casa dos brasileiros

O objetivo da Ágora, enquanto isso, é ser a "casa dos investimentos" para os brasileiros.

A atual base de clientes da Ágora é composta principalmente por pessoas mais velhas com alto patrimônio líquido. Mas isso está mudando: o perfil está sendo alterado para mais millenials e jovens, uma vez que os clientes do Banco Next passam a investir através da Ágora.

Atualmente, as ações representam 90% dos ativos sob custódia, já que a administração acredita que oferece maior valor agregado e melhores margens. Além disso, 50% de seus clientes atuais são da base de clientes do Bradesco, enquanto 25% vêm do Banco Next (do Bradesco banco digital) e 25% dos concorrentes.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

atenção, acionista

Dividendos e JPC: Metalúrgica Gerdau (GOAU4) e Gerdau (GGBR4) pagam proventos

Metalúrgica Gerdau paga R$ 86,478 milhões em dividendos, ou R$ 0,08 por ação, além de juros sobre capital próprio; veja condições

praticidade

Empiricus lança em aplicativo função de compra e venda de ações e outros ativos negociados em Bolsa

Desenvolvido em parceria com a Vitreo, o serviço já está disponível a todos os investidores – não somente aos assinantes da casa de research; saiba mais

Acionistas felizes

Sextou com dividendos: Copel (CPLE6) anuncia mais de R$ 1 bilhão em proventos; veja quem tem direito

Os valores aprovados pelo conselho de administração da empresa serão pagos aos acionistas em 30 de novembro

BLINK!

O que rolou nessa semana? Onde aprender Valuation? Vale (VALE3) caindo novamente? Felipe Miranda responde seus seguidores neste BLINK!

A chegada do final de semana é marcada pela sexta-feira e pelo BLINK! Felipe Miranda, estrategista-chefe da Empiricus, respondeu algumas perguntas feitas pelos seus seguidores. Confira

avaliando riscos

‘Papa’ do valuation vê inflação subestimada e diz que alta de preços é seu maior medo

Em evento, o professor da NYU Aswath Damodaran disse que gostaria de ver o banco central norte-americano agindo mais do que minimizando a alta de preços

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies