';

🔴 O ‘NOVO PETRÓLEO’ FOI ENCONTRADO E JÁ É MOTIVO DE DISPUTA NO MUNDO — DESCUBRA AQUI

Cotações por TradingView
2020-04-30T11:14:29-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
Bancos

Bradesco diz que inadimplência com efeito coronavírus pode ser maior que em crises passadas

Lucro do banco caiu quase 40% no primeiro trimestre com provisão de R$ 2,7 bilhões para absorver perdas na crise. O índice de calotes acima de 90 dias na carteira do banco já começou a aumentar

30 de abril de 2020
10:44 - atualizado às 11:14
Octavio de Lazari, presidente do Bradesco
Octavio de Lazari, presidente do Bradesco - Imagem: Egberto Nogueira/divulgação

O índice de inadimplência no crédito provocado pela crise do coronavírus pode superar o de crises econômicas passadas, como as de 2008 e de 2015. A afirmação é do presidente do Bradesco, Octavio de Lazari.

O índice de calotes acima de 90 dias na carteira do banco já começou a aumentar e fechou o primeiro trimestre em 3,7%, um avanço de 0,4 ponto percentual em relação a dezembro.

“Ainda não sabemos a dimensão e extensão da crise, que deverá ser longa. Mas poderia me arriscar e dizer que esta crise será pior”, disse Lazari, durante uma teleconferência com a imprensa.

Leia também:

Após fazer uma provisão de R$ 2,7 bilhões no balanço diante do aumento da inadimplência esperado com a recessão da economia, o Bradesco não descarta fazer ajustes adicionais diante dos efeitos da crise do coronavírus.

As provisões contribuíram para derrubar o lucro do Bradesco em quase 40% no primeiro trimestre deste ano. O banco está confortável com o nível atual do “colchão”, mas Lazari disse que a avaliação de novas provisões é feita constantemente.

Menos agências

Outro impacto da crise do coronavírus para o Bradesco deve se refletir na rede de agências. O banco fechou 78 pontos de atendimento físico no primeiro trimestre e até o fim deste ano esse número deve ficar acima de 300.

Com a redução do fluxo nas agências provocado pela pandemia, o presidente do Bradesco disse que pode acelerar os ajustes esperados na rede, com menores tamanhos e formatos. “Nada será como antes”, afirmou Lazari aos jornalistas.

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

NÃO É SÓ NO BRASIL

Homem mais rico da Índia, Gautam Adani perde mais de US$ 22 bilhões em fortuna após acusações de fraude; entenda

27 de janeiro de 2023 - 11:55

O dono do Adani Group desabou quatro posições no ranking de bilionários da Forbes depois das acusações, com patrimônio atualmente avaliado em US$ 96,6 bilhões

SEMANA EM CRIPTO

Bitcoin (BTC) sobe mais uma semana antes da Super Quarta; veja o que esperar das criptomoedas com o Banco Central americano no radar

27 de janeiro de 2023 - 11:33

Na semana que vem, o Federal Reserve decidirá sobre os juros dos Estados Unidos e pode animar o mercado já aquecido

BATALHA SOCIETÁRIA

Na disputa com Tanure, Esh Capital volta a aumentar participação na Gafisa (GFSA3)

27 de janeiro de 2023 - 9:41

A gestora de Vladimir Timerman comprou mais ações e aumentou a participação na Gafisa para aproximadamente 15,8%

AQUILO QUE AINDA NÃO SABEMOS

Americanas (AMER3): Confira seis perguntas que seguem sem resposta duas semanas após a revelação do rombo bilionário

27 de janeiro de 2023 - 9:28

Mercado assumiu postura de desconfiança diante das falhas de comunicação e daquilo que encaram como falta de transparência por parte da Americanas (AMER3)

FAZENDO HISTÓRIA

Fim da ‘Guerra Infinita’? Avatar 2 derrota Vingadores e se torna a 5ª maior bilheteria da história do cinema

27 de janeiro de 2023 - 9:27

Após menos de dois meses desde a estreia, a produção atingiu a marca de US$ 2,054 bilhões (cerca de R$ 10,41 bilhões) em arrecadação, segundo o Box Office Mojo

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies