Menu
2020-04-30T11:14:29-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
Bancos

Bradesco diz que inadimplência com efeito coronavírus pode ser maior que em crises passadas

Lucro do banco caiu quase 40% no primeiro trimestre com provisão de R$ 2,7 bilhões para absorver perdas na crise. O índice de calotes acima de 90 dias na carteira do banco já começou a aumentar

30 de abril de 2020
10:44 - atualizado às 11:14
Octavio de Lazari, presidente do Bradesco
Octavio de Lazari, presidente do Bradesco - Imagem: Egberto Nogueira/divulgação

O índice de inadimplência no crédito provocado pela crise do coronavírus pode superar o de crises econômicas passadas, como as de 2008 e de 2015. A afirmação é do presidente do Bradesco, Octavio de Lazari.

O índice de calotes acima de 90 dias na carteira do banco já começou a aumentar e fechou o primeiro trimestre em 3,7%, um avanço de 0,4 ponto percentual em relação a dezembro.

“Ainda não sabemos a dimensão e extensão da crise, que deverá ser longa. Mas poderia me arriscar e dizer que esta crise será pior”, disse Lazari, durante uma teleconferência com a imprensa.

Leia também:

Após fazer uma provisão de R$ 2,7 bilhões no balanço diante do aumento da inadimplência esperado com a recessão da economia, o Bradesco não descarta fazer ajustes adicionais diante dos efeitos da crise do coronavírus.

As provisões contribuíram para derrubar o lucro do Bradesco em quase 40% no primeiro trimestre deste ano. O banco está confortável com o nível atual do “colchão”, mas Lazari disse que a avaliação de novas provisões é feita constantemente.

Menos agências

Outro impacto da crise do coronavírus para o Bradesco deve se refletir na rede de agências. O banco fechou 78 pontos de atendimento físico no primeiro trimestre e até o fim deste ano esse número deve ficar acima de 300.

Com a redução do fluxo nas agências provocado pela pandemia, o presidente do Bradesco disse que pode acelerar os ajustes esperados na rede, com menores tamanhos e formatos. “Nada será como antes”, afirmou Lazari aos jornalistas.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

seu dinheiro na sua noite

Fidelidade em baixa com a pandemia

Não, não estou falando da fidelidade entre casais. Até porque, por mais que a convivência excessiva em família na quarentena tenha abalado alguns casamentos, o momento não anda muito propício às puladas de cerca. Estou falando do setor de fidelidade, que abarca as empresas de programas de pontos e milhagem, sobretudo aqueles ligados às companhias […]

Empresa ligada à Vale

Justiça aprova pedido de Recuperação Judicial da Samarco

RJ não terá impacto nas atividades operacionais da mineradora, nem nas ações de reparação e compensação pela tragédia de Mariana

FECHAMENTO

Ibovespa ignora tensão em Brasília e NY no vermelho e avança 1%; dólar também sobe

Enquanto as blue chips garantiram o bom desempenho do Ibovespa, o dólar avançou 0,84%, pressionado pelo noticiário em Brasília

Exaltou integração

Presidente do Banco Central não enxerga competição entre bancos e fintechs

Segundo Campos Neto, a integração entre as mídias sociais e o sistema financeiro é maior inovação que existe no momento

Menos pontos e milhas

Setor de empresas de fidelidade encolhe quase 30% em 2020

O segmento de fidelidade movimentou R$ 5,3 bilhões em 2020, segundo a Associação Brasileira das Empresas do Mercado de Fidelização (ABEMF)

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies