Menu
2020-01-05T17:22:03-03:00
Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
Jornalista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com pós-graduação em Finanças Corporativas e Investment Banking pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Trabalhou com produção de reportagem na TV Globo e foi editora de finanças pessoais de Exame.com, na Editora Abril.
Enxugamento

BNDES dá mais um passo para se desfazer de participação na Petrobras

Estatal arquivou prospecto na SEC em que esclarece que banco ofertará todas as suas ações ordinárias na B3 e na bolsa de Nova York.

5 de janeiro de 2020
17:22
P-66, plataforma em produção na área de Lula Sul, no pré-sal da Bacia de Santos
P-66, plataforma em produção na área de Lula Sul, no pré-sal da Bacia de Santos. - Imagem: André Motta de Souza / Agência Petrobras

O BNDES deu mais um passo, na última sexta-feira (3), para se desfazer da participação de quase 10% que tem no capital votante da Petrobras.

A petroleira arquivou prospecto junto à Securities and Exchange Comission (SEC) - a Comissão de Valores Mobiliários americana -, especificando os termos da venda das suas ações ordinárias (PETR3) pelo banco de fomento.

Segundo o documento, o BNDES poderá ofertar, de tempos em tempos, até 734.202.699 ações ordinárias da estatal, correspondentes a 9,87% do capital votante da companhia. Pela cotação de fechamento de sexta-feira (3), o total de ações equivale a uma quantia de R$ 23,5 bilhões.

A venda ocorrerá tanto nas bolsas onde os papéis são listados - B3 e Latibex - como também pode ocorrer na Bolsa de Valores de Nova York (NYSE), onde são representados por recibos do tipo ADS (American Depositary Shares).

Os coordenadores da oferta são os bancos Credit Suisse, Bank of America, Bradesco BBI, Banco do Brasil, Citigroup, Goldman Sachs, Morgan Stanley, além da XP Investimentos.

Mais enxuto

Após a venda de todas as ações ordinárias do BNDES, o banco de fomento permanecerá com uma participação de apenas 0,16% no capital votante da estatal, por meio do seu braço de participações BNDESPar.

O BNDES tem, ainda, 161.596.958 ações preferenciais da Petrobras (PETR4), o equivalente a 2,88% desta classe de ações. Já o BNDESPar tem 905.692.996 ações PN, correspondentes a 16,17% do total de papéis preferenciais.

O total de ações preferenciais do banco de fomento corresponde a uma quantia de R$ 32,5 bilhões, pela cotação de fechamento de sexta-feira.

O BNDES já vem reduzindo sua carteira de renda variável desde o ano passado, quando se desfez da sua participação no frigorífico Marfrig, quando embolsou R$ 2 bilhões. O banco de desenvolvimento também pretende vender metade de sua fatia na JBS na B3, numa operação de R$ 8 bilhões.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

Pressão para todo lado

Comissão inicia discussões sobre a Reforma Administrativa; relator afirma que Bolsonaro precisa manifestar seu apoio

A comissão especial formada na Câmara dá hoje o pontapé inicial na discussão da reforma administrativa. A primeira reunião é cercada de forte pressão para definir a lista das categorias de Estado a serem incluídas na Proposta de Emenda à Constituição (PEC). O crescimento desse movimento é uma das preocupações do relator do projeto, deputado […]

Matéria-prima salgada

Commodities vão inflacionar o mercado de carros, diz presidente de consórcio que reúne Fiat, Jeep, Peugeot e Citroën

Além da pandemia e da falta de chips, o executivo vê com preocupação o movimento inflacionário das commodities usadas pelo setor

MERCADOS HOJE

Dólar fica abaixo dos R$ 5 pela primeira vez em um ano; confira as razões para a queda da moeda

Entrada de fluxo estrangeiro no país é acompanhada de alguns critérios técnicos e uma melhora na percepção de risco.

Ampliando investimentos

GM amplia em 75% investimentos em carros elétricos e automáticos até 2025

A projeção da empresa é de que seu Ebit fique entre US$ 8,5 bilhões e US$ 9,5 bilhões na primeira metade do ano

Análise do presidente

Para Bolsonaro, derrubada ou perda da validade da MP da Eletrobras provocará caos

A MP não tem consenso entre líderes e corre o risco de ser derrubada ou ter a votação adiada

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies