Menu
2020-11-30T10:59:28-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
Razões para sorrir

Com estratégia pulverizada ao longo de novembro, Black Friday fez Magalu crescer mais de 100% no digital

Na ressaca da Black Friday, os investidores pesam o desempenho das companhias de varejo nos últimos dias. Por volta das 10h50, as ações do Magalu subiam 2,03%.

30 de novembro de 2020
10:56 - atualizado às 10:59
magazine luiza
Imagem: Divulgação / Magazine Luiza no Facebook

Tradicionalmente, a segunda-feira pós-Black Friday também reserva descontos e oportunidades para os consumidores. É a chamada Cyber Monday, com descontos concentrados no segmento de informática. O Magazine Luiza, no entanto, decidiu não esperar o fim de novembro para anunciar o sucesso do mês de descontos —  e os números são animadores.

Com a situação sanitária em volta da pandemia do coronavírus ainda muito complicada, a gigante varejista decidiu apostar em descontos e promoções ao longo de todo o mês de novembro, não só na tradicional última sexta-feira.

Segundo o Magalu, a estratégia fez com que tanto a venda nas lojas físicas quanto nos canais digitais da marca aumentassem, superando a meta de vendas para novembro.

Em escala global, a pandemia da covid-19 tem favorecido as empresas de e-commerce. No Brasil o cenário não tem sido diferente e as empresas surfam um crescimento exponencial de vendas realizadas no e-commerce. No caso do Magazine Luiza, o 'black november' ajudou a companhia a crescer acima dos 100% o volume de vendas no digital.

Com o resultado, a Ebit/Nielsen estima que a varejista tenham aumentado em 10 pontos percentuais a sua participação de mercado no e-commerce brasileiro.

Na ressaca da Black Friday, os investidores pesam o desempenho das companhias de varejo nos últimos dias. Por volta das 10h50, as ações do Magalu subiam 2,03%.

E não foi só os canais digitais da marca que viveram bons dias. As lojas físicas seguiu a tendência dos meses anteriores e seguiu crescendo. Com a antecipação das promoções, o movimento foi mais intenso no começo do mês e se manteve estável durante a Black Friday. A medida buscou evitar aglomerações.

A empresa também comemora o crescimento das vendas em outras categorias além das tradicionais, como no setor de mercados. Segundo o comunicado, o Magalu vendeu mais de um milhão de itens como cerveja, ketchup, creme de leite, achocolato, fralda e protetor solar.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

Novo competidor

Grupo catarinense que fatura R$ 8,8 bi vai abrir 1º atacarejo no estado de SP

O Grupo Pereira vai abrir uma unidade da Fort Atacadista, sua bandeira de atacarejo, na cidade de Jundiaí; forte competição em SP é desafio

Tensão em Brasília

Racha no Congresso põe reformas em xeque

A decisão do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), de fatiar a reforma tributária foi vista como a pá de cal nas chances de avanço das reformas no Congresso até o fim do atual governo. Embora Lira tenha prometido abrir o diálogo com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), para definir os próximos passos, […]

Rapidinhas da semana

BLINK: Itaúsa, B2W, Eletrobras e mais recomendações rápidas

Felipe Miranda, sócio-fundador e CIO da Empiricus, fala sobre Alpargatas, Eletrobras, Itaúsa, Lojas Americanas e muito mais no Blink

Reserva de emergência

Jeff Bezos, o homem mais rico do mundo, vende ações da Amazon e põe US$ 5 bi na conta

O bilionário Jeff Bezos vendeu cerca de 1,5 milhão de ações da Amazon nos últimos dias e pode vender outros 500 mil papéis em breve

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies