Menu
2020-12-16T18:25:47-03:00
Ivan Ryngelblum
Ivan Ryngelblum
Jornalista formado pela PUC-SP, com pós-graduação em Economia Brasileira e Globalização pela Fipe. Trabalhou como repórter no Valor Econômico, IstoÉ Dinheiro e Agência CMA.
planos para 2021

B3 quer crescer de forma orgânica, junto com mercado de capitais, diz CEO

Operadora da Bolsa aposta no lançamento de novos produtos e não vê grandes oportunidades de aquisições

16 de dezembro de 2020
15:27 - atualizado às 18:25
Presidente da B3, Gilson Finkelsztain, em cerimônia na sede da bolsa
Presidente da B3, Gilson Finkelsztain, em cerimônia na sede da bolsa - Imagem: Vinícius Pinheiro/Seu Dinheiro

O mercado de capitais brasileiro registrou feitos históricos em 2020. Apesar de uma pandemia sem precedentes, este foi o melhor ano para listagens iniciais de companhias desde 2007. Ele também foi marcado por um volume de negócios com ações e derivativos três vezes acima do visto nos anos anteriores.

Vista antes como uma opção de captação de recursos apenas para grandes companhias, a Bolsa atraiu empresas de diversos segmentos e tamanhos. Espaço dominado por investidores qualificados, o mercado de capitais começou a ver um crescimento na quantidade de pessoas físicas comprando e vendendo ações.

Os dados são positivos, mas nosso mercado de capitais ainda tem muito a evoluir. E é nesse processo de maturação que a B3 aposta para crescer suas operações e resultados, por meio do lançamento de novos produtos. Trata-se de uma estratégia que guia os negócios desde 2017, quando a BM&FBovespa e a Cetip se uniram e surgiu a B3, e que ela pretende perseguir com mais intensidade em 2021.

“A tendencia continua sendo a mesma. Existe potencial muito grande de crescimento do mercado brasileiro”, disse Gilson Finkelsztain, CEO da B3, durante encontro com a imprensa nesta quarta-feira (16). “É o início de uma jornada de crescimento do mercado de ações e do mercado de crédito, que ainda vão se desenvolver muito. Temos muita coisa para avançar na agenda de produtos e em volumes. A gente está muito dedicado a isso.”

Finkelsztain falou que o foco é continuar diversificando o cardápio de produtos em 2021, citando áreas como energia, seguros e crédito imobiliário. Grandes aquisições não estão no radar da B3 no momento, embora ela esteja sempre atenta a parcerias e incorporações menores.

“A maior parte do crescimento viria de crescimento orgânico, com desenvolvimento de produtos, mas a gente fica atento a oportunidades de crescimento inorgânicas em áreas que façam sentido a companhia atuar”, afirmou. “Não vemos uma grande aquisição transformacional no nosso segmento de atuação.”

Mais empresas e mais investidores

O CEO da B3 disse que as perspectivas para o mercado de capitais em 2021 são muito positivas, com o fim da pandemia aparecendo no horizonte e o excesso de liquidez pelo mundo colocado dinheiro no bolso dos investidores.

No Brasil, a expectativa de que os juros permanecerão em patamares historicamente baixos abre espaço para mais empresas realizarem ofertas públicas iniciais de ações (IPO, na sigla em inglês). Este cenário, combinado com a profusão de plataformas de investimentos e de educação financeira, deve atrair mais pessoas para a Bolsa.

Apesar do otimismo, Finkelsztain pontou que existem incertezas para a concretização deste cenário, a maioria vindo do mundo político. Para ele, o governo e o Congresso precisam deixar claro o compromisso com as reformas estruturais e a contenção dos gastos públicos, de modo que as condições de investimentos permaneçam positivas.

“A maior preocupação que o mercado tem é preservar os ganhos passados que o mercado de capitais teve até aqui, principalmente a inflação sob controle, para que os juros permaneçam baixos para o nosso histórico”, disse.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

Educação

Ações da Cogna avançam, mesmo com prejuízo líquido de R$ 90,975 milhões no 1º trimestre

Confira outros destaques do balanço da empresa, que viu uma queda de 18,1% nos investimentos

Exile on Wall Street

As bolsas deixaram os fundamentos de lado esta semana — mas você não deve!

A semana é de resultados, mas não se fala em outra coisa a não ser na alta de juros, após reunião do Copom que levou a Selic para 3,5% ao ano. Além disso, a inflação americana, que veio acima da expectativa, elevou as estimativas de juros futuros nos Estados Unidos.  Com isso, mesmo empresas com […]

esg

BTG e consórcio de investidores compram ativos florestais da Arauco no Chile por US$ 385,5 milhões

Segundo o banco, a transação do TIG envolve cerca de 80,5 mil hectares de áreas florestais de “alta qualidade e com manejo sustentável”, nas regiões do Centro e Sul do país

No Velho Continente

Amplo apoio monetário é essencial para garantir volta da inflação à meta, diz Banco Central Europeu

A avaliação, consensual entre os dirigentes, é justificada por incertezas sobre a pandemia e o ritmo de vacinação contra o coronavírus

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies