Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-09-11T06:28:57-03:00
Estadão Conteúdo
retomada

Azul: Demanda por voos aumenta 26,4% em agosto na comparação com julho

Em relação ao mesmo mês de 2019, o indicador teve queda de 68,7%

11 de setembro de 2020
6:28
Avião da Azul
Imagem: Shutterstock

A Azul divulgou seus resultados de tráfego de passageiros do mês de agosto, com um aumento de 26,4% na demanda (RPK) na comparação com julho. Em relação ao mesmo mês de 2019, o indicador teve queda de 68,7%.

Já a oferta de assentos (ASK) teve crescimento de 33,3% em agosto na comparação mensal, e queda de 65,6% em um ano. Assim, a taxa de ocupação caiu de 79,6% em julho para 75,5% em agosto. No ano passado, a ocupação estava em 83%.

A recuperação na relação mensal se deve aos voos domésticos, com crescimento de 29,8% na demanda e de 36,2% na oferta, e taxa de ocupação de 75,7%, queda de 3,7 pontos em relação a julho. Quando é feita a comparação com agosto de 2019, a demanda tem queda de 61,6%, e a oferta, de 58,1%, com a ocupação caindo 6,9 pontos.

Para os voos internacionais, a demanda teve queda de 4,3% em relação a julho, e de 90,5% na comparação anual. A oferta aumentou 6,6% em um mês, e caiu 89% em 12 meses. A taxa de ocupação terminou o mês passado em 72,7%, ante 81% em julho e 84,2% em agosto de 2019.

Outubro

Em Fato Relevante, a Azul informou que espera operar 505 decolagens diárias nos dias de maior demanda, para 89 destinos. Segundo a companhia, a capacidade total no próximo mês vai representar cerca de 55% da oferta de outubro de 2019, e a capacidade doméstica chegará a 60%.

"Com base nos dados de demanda mais recentes, que também incluem uma melhora significativa na nossa tarifa média e receita, estamos confiantes que estamos no caminho certo para alcançar nossa projeção de capacidade para o final do ano", diz Abhi Shah, vice-presidente de receitas da Azul.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Fusão cheia de travas

Na Omega Geração (OMGE3), um grupo importante de acionistas está descontente — e quer barrar os planos da empresa

Fundos detentores de 28,6% da Omega Geração (OMGE3) se uniram e dizem que não vão aprovar a fusão com a Omega Distribuição nos termos atuais

Potencial de 36% de alta

Como fica a XP após a separação do Itaú? Para o JP Morgan, é hora de comprar as ações da corretora

A equipe do JP Morgan vê as pressões vendedoras nas ações da XP após a separação com o Itaú se dissipando; assim, a recomendação é de compra

Digitalização

A hora e a vez do e-commerce: com pandemia, comércio online mais que dobra e já chega a 21% das vendas do varejo

O fechamento das lojas físicas promovido pela pandemia fez o setor de varejo acelerar a aposta no e-commerce e nas vendas digitais

A bolsa como ela é

Stone, Inter e Méliuz caem forte na bolsa. É o fim das fintechs como as conhecemos?

Muito desse movimento tem a ver com a subida dos juros. Mas alguns fatores específicos também pesaram sobre as ações. Em alguns casos, pesaram com razão; em outros, nem tanto

Ajuste seu relógio

Pregão terá uma hora a mais a partir de novembro; entenda a mudança e veja a nova agenda da bolsa

As alterações começam a valer a partir do dia 8 de novembro; a B3 vai ajustar a bolsa para refletir o fim do horário de verão nos EUA

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies