Menu
2020-02-08T15:04:02-03:00
Rumo à bolsa

Acordo entre família Ermírio de Moraes e Banco do Brasil libera IPO do Banco Votorantim

O documento dos sócios é o ponto de partida para a abertura de capital do BV, que deverá render R$ 5 bilhões e está marcada para o mês de abril

8 de fevereiro de 2020
14:56 - atualizado às 15:04
Banco Votorantim BV

O Banco do Brasil e a família Ermírio de Moraes chegaram a um acordo que vai garantir a abertura de capital (IPO, na sigla em inglês) do Banco Votorantim, que hoje se autodenomina BV.

O documento é o ponto de partida para a operação que deverá render R$ 5 bilhões e está marcada para o mês de abril.

A assinatura de um novo acordo de acionistas é fundamental, pois o antigo não permitia que o BB vendesse ações ou tivesse outros sócios no negócio, explicou uma das quatro fontes consultadas sobre o tema. Até agora, eram permitidas apenas vendas de participações diretas, e não no mercado financeiro.

Com o novo acordo de acionistas, que depende do aval dos órgãos reguladores, o BV ficará livre para protocolar o pedido de IPO na Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Procurados, o BB e a família Ermírio de Moraes não comentaram. O BV também não se manifestou.

A ideia dos sócios é avaliar o BV na Bolsa entre R$ 20 bilhões e R$ 25 bilhões. Na quinta-feira, o banco anunciou lucro de R$ 1,37 bilhão ao longo de 2019, alta de 29,1% ante o ano anterior. Antes de 2018, o banco havia passado por um período de reestruturação.

Para o diretor de renda variável da Eleven Financial, Carlos Daltozo, considerada uma aceleração do lucro em 2020 e as mesmas projeções feitas a bancos tradicionais, o BV poderia ser avaliado em R$ 19 bilhões na Bolsa. "É um cenário possível, considerando a dinâmica atual da economia", disse.

Porém, o analista chama atenção para a possibilidade de o mercado exigir algum desconto no caso do BV, que tem o BB como controlador. Daltozo lembra que o banco público é negociado hoje com 25% de desconto sobre os pares privados no mercado financeiro.

De cara nova

O BV está debruçado em se posicionar na nova onda dos bancos digitais, que tem motivado a volta do setor à Bolsa. "Em vez de tentar mudar uma cultura corporativa e a forma como a organização está estruturada, o BV tenta se tornar um parceiro popular para as fintechs", disse Victor Schabbel, analista do Bradesco BBI, em breve comentário ao mercado.

Não foi apenas o nome do Votorantim que mudou. Em termos de resultado, o BV chegará à Bolsa com outra cara. Além da alta no lucro, os empréstimos avançaram 10% no ano passado, a rentabilidade média sobre o patrimônio líquido foi a 14%, ante 11,5% em 2018.

Na semana passada, o presidente do BB, Rubem Novaes, confirmou, em entrevista, que o banco e a família devem vender fatias proporcionais no IPO do BV. Conforme antecipou a Coluna do Broadcast em 28 de janeiro, cada sócio vai se desfazer de R$ 2 bilhões em ações do Votorantim na oferta.

Assim, a oferta secundária, que vai para o bolso dos acionistas, totalizaria R$ 4 bilhões. O R$ 1 bilhão restante será a parte primária, que injetará recursos no caixa do banco para financiar a expansão de suas atividades, com foco no digital.

Assim, os sócios vão manter a mesma proporção no BV, a despeito da oferta inicial de ações. Atualmente, a família Ermírio de Moraes detém 50,01% do capital com direito a voto do banco , enquanto o BB tem os demais 49,99%.

"É muito importante ter a oxigenação para o BV que a abertura para o mercado dá. O Votorantim está passando por um processo de modernização. Esperamos que seja um sucesso o IPO. Vamos vender apenas um pedaço na mesma proporção dos outros sócios", disse Novaes a jornalistas, depois de evento do Credit Suisse, na semana passada.

Os sócios também já bateram o martelo quanto ao sindicato de bancos que vai coordenar o IPO do BV. Além do próprio BB e do JPMorgan, que fez o trabalho de preparação do banco para a oferta, estão ainda envolvidos Goldman Sachs, Morgan Stanley, Itaú BBA, UBS e Bank of America.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Banco Central monta centro para acelerar a criação de fintechs

Laboratório de Inovações Financeiras e Tecnológicas (LIFT) apoia startups financeiras a desenvolverem projetos ao lado de técnicos que elaboram as normas regulatórias do mercado brasileiro.

Funcionários da Petrobras

FNP diz que todas as plataformas do litoral paulista aderiram à greve dos petroleiros

Petrobras diz que não está havendo redução da produção por conta do movimento, mas coordenador da Federação Nacional dos Petroleiros diz que estatal “mente”.

Sucessão

Herdeiros do agronegócio aliam tradição a avanço tecnológico

Nova geração de empresários do campo estão assumindo os negócios da família e ganhando influência no meio do agronegócio; conheça algumas histórias

Entrevista

Para Deutsche Bank, política ambiental de Bolsonaro prejudica investimento estrangeiro no país

Para Deepak Puri, diretor da área de Wealth Management nas Américas do Deutsche Bank, mesmo assim Brasil deve registrar uma recuperação mais forte neste ano.

Ganhando terreno

Carrefour anuncia aquisição de 30 lojas do Makro por R$ 1,95 bilhão

O plano da varejista é converter as bandeiras das unidades para Atacadão dentro de até um ano após fechar a transação

AS LIÇÕES 'FIRE' DO BILIONÁRIO

O que você perguntaria a Warren Buffett?

Aos 89, o mago de Omaha tem muito a ensinar a quem procura dar um gás nos seus investimentos em busca da sua aposentadoria precoce

Risco de lascas de vidro

Heineken anuncia recall voluntário de lotes de long neck com problemas na garrafa

A empresa identificou alteração na embalagem que pode levar lasca de vidro a ser aberta

Após imbróglio com os russos

Fertilizantes Heringer homologa plano de recuperação judicial

Segundo Fato Relevante divulgado ontem pela companhia, o plano foi homologado pelo juízo da 2ª Vara Cível da Comarca de Paulínia

Impostos

Decreto para zerar tributo em querosene de aviação sai neste ano, diz Secretário

O governo vai editar um decreto para zerar, a partir de 2021, a incidência de PIS/Cofins sobre o combustível utilizado em aeronaves.

Entrevista

‘A grande vacina é a continuidade das reformas’, diz Ana Paula Vescovi, economista do Santander

Banco revisou para baixo previsão de crescimento para 2020, após indicadores fracos.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements