Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-09-12T15:38:57-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
No bolso do acionista

A Vale pode virar uma das maiores pagadoras de dividendos da B3?

Vale anunciou dividendo gordo aos acionistas e a expectativa do mercado é que a mineradora não pare por aí. Mas até onde (ou quanto) a empresa pode pagar?

12 de setembro de 2020
13:04 - atualizado às 15:38
Navio da Vale
Imagem: Agência Vale

O anúncio de que a Vale voltará a distribuir dividendos deu um impulso às ações da mineradora (VALE3) nesta sexta-feira, que foram destaque em um dia de queda do Ibovespa.

A Vale vai pagar R$ 2,4075 por ação no próximo dia 30 de setembro. Terão direito aos proventos os acionistas nos registros da companhia em 21 de setembro.

A empresa não paga dividendos aos acionistas desde o rompimento da barragem em Brumadinho (MG), mas anunciou que retomaria a distribuição de parte dos resultados na divulgação dos resultados do segundo trimestre.

Com base na cotação das ações da Vale na quinta-feira, o dividendo por si só representa um retorno (dividend yield) de 4,1% — mais que o dobro do que um investidor ganharia na renda fixa mais conservadora.

Os papéis reagiram em alta de quase 6% ao anúncio no pregão de ontem da B3, com a expectativa de que a Vale não pare por aí. Mas até onde (ou quanto) a empresa pode pagar? Os analistas do Credit Suisse fizeram as contas.

No caso de a cotação do minério de ferro ficar em US$ 104 a tonelada nos próximos 12 meses, a Vale poderia remunerar os acionistas em no mínimo 10% com dividendos, segundo o banco suíço.

Esse percentual poderia aumentar para até 24% incluindo pagamentos de proventos extraordinários, o que colocaria a mineradora entre as maiores pagadoras de dividendos da B3.

“Apesar do compromisso com os esforços de reparação relacionados à tragédia de Brumadinho, a Vale tem capacidade financeira para remunerar seus acionistas sem pressionar o balanço”, escreveram os analistas Caio Ribeiro e Gabriel Galvão.

Mesmo em um cenário mais conservador, de preço do minério a US$ 84, o "dividend yield" da ação ficaria em 7%, podendo subir para 12% com o pagamento de proventos extraordinários.

O Credit Suisse tem recomendação "outperform" (equivalente a compra) para as ações da Vale. Os papéis acumulam alta de 16% no ano, contra uma queda de 15% do Ibovespa.

A companhia, porém, ainda sente os efeitos da tragédia de Brumadinho e desde então ficou (merecidamente) de fora da carteira de investidores que analisam requisitos ESG — sigla em inglês para princípios ambientais, sociais e de governança.

A Vale vem tentando reverter a imagem e na visão de alguns investidores, como a gestora Squadra, o mercado vai começar a perceber a mudança nas práticas da mineradora.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

ainda não acabou

Controladores da Alliar (AALR3) contratam XP para vender o negócio, diz jornal

Empresa de diagnósticos foi alvo, recentemente, de disputa pelo controle pela Rede D’Or e fundos ligados ao empresário Nelson Tanure

Mais recursos

Democratas aprovam pacote de US$ 3,5 tri no Comitê de Orçamento da Câmara dos EUA

Recursos serão destinados à rede de segurança social e programas relacionados a mudanças climáticas. Obtenção de quase unanimidade para aprovação no Congresso é desafio

Clube do livro

“Era para termos entrado no Primeiro Mundo há 30 anos”, escreve Gustavo Franco em seu novo livro “Lições Amargas”; leia a resenha completa

O ex-presidente do Banco Central tece críticas ao Brasil e sua estagnação prolongada e apresenta uma “história provisória da atualidade”

ESPECIAL DE ANIVERSÁRIO

Onde investir para os próximos 3 anos: 3 indicações para chegar, com consistência, ao primeiro milhão

E não se esqueça: é essencial começar o quanto antes, fazer aportes constantes e diversificar os investimentos

IPO adiado

Bluefit: nem desconto de 20% garante estreia da rede de academias na bolsa

Inicialmente estimado em R$ 600 milhões, IPO da rede de academias de baixo custo agora deverá ter o valor reduzido e envolver apenas investidores institucionais, como fundos e fundações

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies