Menu
2020-09-12T15:38:57-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA. Trabalhou por 18 anos nas principais redações do país, como Agência Estado/Broadcast, Gazeta Mercantil e Valor Econômico. É coautor do ensaio “Plínio Marcos, a crônica dos que não têm voz" (Boitempo) e escreveu os romances “O Roteirista” (Rocco), “Abandonado” (Geração) e "Os Jogadores" (Planeta).
No bolso do acionista

A Vale pode virar uma das maiores pagadoras de dividendos da B3?

Vale anunciou dividendo gordo aos acionistas e a expectativa do mercado é que a mineradora não pare por aí. Mas até onde (ou quanto) a empresa pode pagar?

12 de setembro de 2020
13:04 - atualizado às 15:38
Navio da Vale
Imagem: Agência Vale

O anúncio de que a Vale voltará a distribuir dividendos deu um impulso às ações da mineradora (VALE3) nesta sexta-feira, que foram destaque em um dia de queda do Ibovespa.

A Vale vai pagar R$ 2,4075 por ação no próximo dia 30 de setembro. Terão direito aos proventos os acionistas nos registros da companhia em 21 de setembro.

A empresa não paga dividendos aos acionistas desde o rompimento da barragem em Brumadinho (MG), mas anunciou que retomaria a distribuição de parte dos resultados na divulgação dos resultados do segundo trimestre.

Com base na cotação das ações da Vale na quinta-feira, o dividendo por si só representa um retorno (dividend yield) de 4,1% — mais que o dobro do que um investidor ganharia na renda fixa mais conservadora.

Os papéis reagiram em alta de quase 6% ao anúncio no pregão de ontem da B3, com a expectativa de que a Vale não pare por aí. Mas até onde (ou quanto) a empresa pode pagar? Os analistas do Credit Suisse fizeram as contas.

No caso de a cotação do minério de ferro ficar em US$ 104 a tonelada nos próximos 12 meses, a Vale poderia remunerar os acionistas em no mínimo 10% com dividendos, segundo o banco suíço.

Esse percentual poderia aumentar para até 24% incluindo pagamentos de proventos extraordinários, o que colocaria a mineradora entre as maiores pagadoras de dividendos da B3.

“Apesar do compromisso com os esforços de reparação relacionados à tragédia de Brumadinho, a Vale tem capacidade financeira para remunerar seus acionistas sem pressionar o balanço”, escreveram os analistas Caio Ribeiro e Gabriel Galvão.

Mesmo em um cenário mais conservador, de preço do minério a US$ 84, o "dividend yield" da ação ficaria em 7%, podendo subir para 12% com o pagamento de proventos extraordinários.

O Credit Suisse tem recomendação "outperform" (equivalente a compra) para as ações da Vale. Os papéis acumulam alta de 16% no ano, contra uma queda de 15% do Ibovespa.

A companhia, porém, ainda sente os efeitos da tragédia de Brumadinho e desde então ficou (merecidamente) de fora da carteira de investidores que analisam requisitos ESG — sigla em inglês para princípios ambientais, sociais e de governança.

A Vale vem tentando reverter a imagem e na visão de alguns investidores, como a gestora Squadra, o mercado vai começar a perceber a mudança nas práticas da mineradora.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

negócio em foco

BofA vê negócio entre Linx e Totvs com sinergias de R$ 3,8 bi

Acionistas da Linx receberiam diretamente 40% do valor das sinergias da fusão com Totvs, diz banco

seu dinheiro na sua noite

Vitória do Ibovespa (no segundo tempo)

“O time no segundo tempo ganhou de 2 a 1.” Foi assim que Fernando Diniz, o técnico do São Paulo, reagiu depois da derrota por 4 a 2 para a LDU no meio da semana e que praticamente eliminou a equipe da Libertadores. Diniz preferiu ignorar os 3 a 0 que o time levou na […]

Que modorra!

Bolsa passa por correção, mas zera perdas na reta final do pregão; dólar retoma alta

Principal índice de ações da B3 passou por correção e ignorou durante a maior parte do dia o impulso do setor de tecnologia à bolsa de Nova York

setor público

Reforma administrativa economiza R$ 400 bi até 2034, aponta estudo

Mesmo restringido a reforma apenas a novos servidores, o setor público poderia economizar pelo menos R$ 24,1 bilhões em 2024 com a aprovação das mudanças no seu RH, liberando o governo para investir mais em saúde, educação e segurança pública, segundo centro de estudos

retomada em pauta

Recuperação está longe de concluída, diz presidente do Fed do Kansas

Esther George fez a declaração durante discurso sobre os bancos comunitários, no qual enfatizou o papel destes para dar estabilidade na crise e apoiar a recuperação

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements