IPCA + 7,5%: receba esta e outras ofertas ‘premium’ de renda fixa no WhatsApp; clique aqui

Ruy Hungria
Sextou com o Ruy
Ruy Hungria
É formado em Física e especialista em bolsa e opções na Empiricus
Cotações por TradingView
2022-07-29T11:38:54-03:00
SEXTOU COM O RUY

A armadilha dos dividendos: cuidado para não cometer o maior erro dos investidores que buscam ‘vacas leiteiras’ na bolsa

Quem não gosta de ver um dinheirinho pingando na conta? O problema é que muitas vezes os dividendos prometidos são insustentáveis; entenda

29 de julho de 2022
6:01 - atualizado às 11:38
moedas em fileira, simbolizando dividendos e juros sobre capital próprio
Promessa de dividendos elevados pode ser uma armadilha. Imagem: Shutterstock

Já virou rotina: pelo menos uma vez por mês, no plantão de dúvidas da série Vacas Leiteiras, Rodolfo Amstalden, Richard Camargo e eu temos que explicar por que um monte de companhias que pagam bons dividendos não servem para a nossa seleção.

Às vezes são empresas que pagam dividend yields de dois dígitos, em setores considerados estáveis. E mesmo assim dizemos não. Por quê?!

Yields elevados em dividendos podem ser uma armadilha

Quem não gosta de ver uma grana pingando na conta todo mês ou, pelo menos, várias vezes no ano? Eu adoro, e tenho certeza que você também.

Este é o foco da série Vacas Leiteiras: investir em empresas boas pagadoras de dividendos.

O problema é que muitas vezes os dividendos prometidos por elas não são sustentáveis, seja porque a empresa está em um setor com perspectivas pouco favoráveis, ou porque ela mesma vai começar a enfrentar uma queda de resultados pela frente.

Nesses casos, a companhia pode até pagar dividendos polpudos no período. Mas é provável que a capacidade de distribuição futura seja comprometida, e as ações passem por uma reprecificação negativa no meio do caminho. É provável que, mesmo com bons dividendos no ano, as ações venham a se desvalorizar tanto que o seu prejuízo vai ser grande.

Qualicorp, um exemplo prático

Vamos pegar a Qualicorp (QUAL3) como exemplo. A companhia é a maior administradora de planos de saúde coletivos do Brasil e distribuiu um yield de mais 20% em dividendos desde o início do ano passado (considerando a cotação média da ação no período), o que parece ótimo.

Mas a Quali vem sofrendo com a inflação médica e com a queda do poder de compra da população. Os reajustes anuais dos planos têm provocado maiores churns (cancelamentos) e também o que o mercado chama de trade down, que é a migração de clientes para planos mais baratos.

Fonte: Qualicorp

Isso tem um efeito negativo sobre a receita. Mas fica ainda pior.

Para tentar acelerar a adição de vidas ao portfólio e estancar a perda de clientes neste ambiente desfavorável, a companhia está pagando comissões e bônus mais elevados nos últimos trimestres, o que está atrapalhando a sua rentabilidade.

O Ebitda caiu 9% no primeiro trimestre deste ano, com um recuo de 3 pontos percentuais de margem. O Lucro  Líquido, por sua vez, despencou 35%.

O resultado disso foi uma desvalorização de 71% de QUAL3 desde o início de 2021,  sem considerar os dividendos recebidos.

Fonte: Yahoo! Finance

Considerando os 20% de yield médio no período (R$ 3 por ação), o resultado ainda foi muito negativo: -68%.

Moral da história

Acho que você já entendeu aonde eu quero chegar. De nada adianta um yield turbinado se o preço da ação despencar.

Quem investiu R$ 34,50 em QUAL3 no início de 2021 em busca de um dividendo de R$ 3 em 18 meses, está hoje com um patrimônio que não chega a R$ 13 (R$ 9,50 em QUAL3 + R$ 3 de dividendos).

Definitivamente não valeu a pena!

Foco em dividendos precisa ser mais abrangente

Na minha opinião, o maior erro de quem investe em dividendos é focar apenas em yields elevados, deixando de lado todo o resto.

Além dos yields, é preciso se atentar ao crescimento de lucros, sustentabilidade de resultados, dívida, geração de caixa, e muitos outros fatores que podem acabar transformando o seu investimento em uma baita furada.

É com base nesses fatores, e muitos outros, que escolhemos as ações da série Vacas Leiteiras. Mesmo neste ano turbulento, a carteira indicada se valoriza 8%.

O motivo dessa boa performance? A série está repleta de empresas com perspectivas favoráveis, balanço sólido e capacidade de manter a distribuição de proventos mesmo neste momento macroeconômico difícil.

A Petrobras, que sobe mais de 35% no ano e anunciou uma quantia absurda de dividendos ontem, está em nossa seleção.

Se quiser conferir a lista completa com as melhores pagadoras de dividendos (melhores mesmo!), deixo aqui  o convite.

Um grande abraço e até a semana que vem!

Ruy

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Desestatização

Privatização da Sabesp (SBSP3) seguirá modelo parecido com a da Eletrobras (ELET3), diz Tarcísio

1 de fevereiro de 2023 - 17:25

Segundo governador, redução da fatia do governo na Sabesp pode ser feita de maneira gradual. Promessa é melhorar eficiência e reduzir tarifa

OLHANDO PARA O FUTURO

Sob o comando de Wilson Ferreira Júnior, a Eletrobras (ELET3) se volta para eficiência e redução de custos

1 de fevereiro de 2023 - 16:45

Entre as medidas adotadas pela Eletrobras (ELET3) já no início desta nova gestão estão a adoção de um Programa de Demissão Voluntária (PDV)

DESACELEROU!

Fim de um ciclo? Fed eleva taxa de juros em ritmo menor; veja o que Powell falou e a reação em Wall Street

1 de fevereiro de 2023 - 16:07

O oitavo aperto monetário seguido foi de 0,25 ponto percentual, o que colocou o juros na faixa entre 4,50% e 4,75% ao ano — no menor aumento da série que começou em março de 2022

ANÁLISE DE RISCOS

É hora de vender fundos imobiliários que têm a Americanas (AMER3) como inquilina? Confira a resposta da XP

1 de fevereiro de 2023 - 15:43

Ainda não há como calcular precisamente o efeito do processo para os FIIs, mas a XP analisou os potenciais impactos em oito fundos que mantêm uma relação contratual com a empresa

Copo cheio de espuma

A Ambev (ABEV3) tem inconsistências contábeis a la Americanas? É melhor ir com calma antes de tirar conclusões

1 de fevereiro de 2023 - 15:21

O fantasma de Lemann e das Americanas derruba as ações da Ambev (ABEV3) hoje. Mas há pouca semelhança entre os casos

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies