Menu
2020-05-12T16:06:20-03:00
Estadão Conteúdo
Reflexo da covid-19

Setor de turismo já perdeu R$ 62,56 bilhões desde início da pandemia, diz CNC

Levantamento considera um período de quase dois meses: desde 15 de março, poucos dias após a Organização Mundial de Saúde (OMS) decretar oficialmente estado de pandemia, até o último dia 10 de maio

12 de maio de 2020
16:06
Pessoas se exercitam no Rio em meio à pandemia do coronavírus
Pessoas se exercitam no Rio em meio à pandemia do coronavírus - Imagem: Shutterstock

O setor de turismo brasileiro já perdeu R$ 62,56 bilhões desde o início da pandemia do novo coronavírus, calculou a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). O levantamento considera um período de quase dois meses: desde 15 de março, poucos dias após a Organização Mundial de Saúde (OMS) decretar oficialmente estado de pandemia, até o último dia 10 de maio.

Os serviços turísticos foram um dos segmentos da economia mais impactados pela covid-19, em decorrência das medidas para impedir a disseminação do vírus, como o isolamento social e o fechamento das fronteiras em diferentes países, fazendo despencar o fluxo de passageiros de transporte aéreo em todo o mundo, assim como também no Brasil.

O estudo considera no cálculo a forte correlação entre o fluxo de passageiros em voos e a geração de receitas no turismo. Informações coletadas pela CNC sobre os 16 maiores aeroportos do Brasil, que detêm mais de 80% do fluxo de passageiros, mostram que as taxas de cancelamento de voos nacionais e internacionais saltaram de uma média diária 4% nos primeiros dias de março para 93% até o final de março.

Como resultado, as atividades turísticas perderam R$ 13,4 bilhões apenas na segunda quinzena de março, quando houve o agravamento da pandemia no Brasil.

Segundo a CNC, a paralisia quase completa do setor nas semanas seguintes ainda agravou o prejuízo, que totalizou R$ 36,94 bilhões no mês de abril e levou a mais uma perda R$ 12,24 bilhões nos dez primeiros dias de maio.

O economista Fabio Bentes, responsável pelo estudo da CNC, acredita não ser possível ainda precisar quando o segmento iniciará uma recuperação.

"Ainda é muito cedo. Acho pouco provável que o setor de turismo consiga iniciar essa recuperação ainda neste ano. Trata-se da prestação de serviços considerados não essenciais, que testarão os protocolos de combate à Covid-19 nos próximos meses", avaliou Bentes.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

Novos tempos

Alvo de Bolsonaro, home office avança no setor público

Bolsonaro usou trabalho remoto para atacar presidente da Petrobras

Mais uma na área

FDA autoriza uso emergencial de vacina de dose única nos EUA

Imunizante é produzido pela Johnson & Johnson

Contra a pandemia

Matéria-prima para produção de 12 milhões de doses de vacina chega ao Rio

Total de efetivamente imunizados não chega a 1% da população brasileira

Acordo confirmado

Notre Dame Intermédica e Hapvida chegam a acordo para combinação de negócios

Ações da Notre Dame serão incorporadas pela Hapvida; acordo resultará em uma das maiores empresas de saúde do mundo

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies