Menu
2020-03-17T13:51:45-03:00
Felipe Saturnino
Crescimento menor, dólar maior

Santander corta projeção de PIB de 2% para 1% em 2020 e vê dólar a R$ 4,30

Choque global gerado pela pandemia do novo coronavírus subtrairá da atividade econômica brasileira 0,6 ponto percentual, enquanto os efeitos domésticos acarretarão em redução de 0,4 ponto do crescimento

17 de março de 2020
13:51
Santander
Imagem: Shutterstock

O Santander reduziu sua expectativa para PIB do Brasil em 2020 de 2% para 1%, disse Mauricio Oreng, chefe de pesquisa macroeconômica do banco, em audioconferência com jornalistas.

O choque global gerado pela pandemia do novo coronavírus subtrairá da atividade econômica brasileira 0,6 ponto percentual, enquanto os efeitos domésticos acarretarão em redução de 0,4 ponto do crescimento, afirmou Oreng.

Ele vê similaridades entre os efeitos de paralisação da atividade causados pelo vírus e pela greve dos caminhoneiros de 2018, com a diminuição gradual do choque. "O surto tem impacto relevante agora, mas se dissipa ao longo do tempo, como mostrou a China", disse.

Segundo o economista, é provável a realização de revisões mais frequentes de cenário, já que há incertezas sobre os impactos no cenário doméstico. Segundo ele, a previsão do banco hoje é de que o Brasil tenha uma contração de 0,2% do PIB no primeiro trimestre, voltando a se expandir no trimestre seguinte.

O dólar, por sua vez, deve caminhar para normalidade até o fim do ano, caindo do atual patamar para fechar 2020 cotado a R$ 4,30, disse ele. O Santander antes esperava que o dólar terminasse o ano em R$ 4,10. Para 2021, foi mantida a expectativa de dólar a R$ 4.

O cenário de câmbio leva em conta um menor número de importações e menor impacto nas contas externas, mas, ainda assim, o efeito baixista da atividade.

"A atividade é o fundamental aqui", disse Oreng, referindo-se às variáveis que pressionam a moeda.

No cenário global, o Santander trabalha com desaceleração intensa, em que a China cresça 4%, os Estados Unidos, 0%, e a Europa entre em recessão. Em 2021, no entanto, essas regiões teriam uma recuperação econômica. "No fim deste ano, a expansão monetária deve recuperar a atividade global e o ano que vem começa melhor, contando também com a alta de commodities."

O Banco Central do Brasil também deve cortar juros, na esteira dos bancos centrais estrangeiros, mas a visão é de que o espaço para a moderação da taxa básica é menor do que o do Federal Reserve.

O Santander espera que o BC corte a Selic em 0,5 ponto na reunião do Copom de quarta-feira, 18, e faça mais uma redução de 0,25 ponto na reunião de maio, terminando o ano em 3,5% ao ano. Os esforços fiscais para conter o coronavírus no Brasil limitam o espaço para cortes da Selic, segundo o economista.

Pacote contra coronavírus

Para Oreng, o pacote de R$ 147 bilhões em medidas de estímulos para enfrentar o novo coronavírus anunciado pelo Ministério da Economia reflete a restrição fiscal do governo. "Foi um pacote bastante comedido", afirmou ele.

O economista também afirmou que é possível que o governo flexibilize a meta fiscal ao aprovar gastos para combater a doença, mas que isso não significa flexibilização de vários tipos de gasto público.

"Os créditos extraordinários aprovados em uma situação de calamidade não estão sujeitos ao teto, então, não há necessidade de mexer no teto", disse Oreng.

Uma mudança no teto de gastos, aprovado no governo Michel Temer, pode diminuir a efetividade da política fiscal, disse Oreng. Isto porque, segundo ele, pode haver desancoragem das expectativas de inflação e diminuição da confiança do mercado com relação à capacidade do governo de pagar a dívida, afirmou Oreng.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Pesquisa Datafolha

59% são contra e 37% a favor da renúncia de Bolsonaro em meio à pandemia

Um levantamento do Datafolha, divulgado neste domingo, 5, mostra que 59% dos brasileiros são contra uma renúncia do presidente Jair Bolsonaro em meio ao combate à pandemia pela covid-19. Outros 37% são a favor, conforme vem sendo pedido por políticos da oposição. Outros 4% não sabem dizer. Para apenas 33% dos entrevistados, a gestão da […]

LIÇÕES PARA O SEU DINHEIRO

Recomendações de leitura para um investidor em quarentena

Três livros para você sobreviver ao isolamento e sair deste furacão como um investidor ainda melhor.

O BC e o coronavírus

Preferimos ter um lado fiscal um pouco pior para que as pessoas possam honrar seus contratos, diz Campos Neto

O presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, destacou que a instituição se preocupa em dar condições às empresas cumprirem suas obrigações financeiras, evitando um movimento de quebra massiva de contratos

Crise da Covid-19

Brasil ultrapassa marca de 10 mil casos de coronavírus

Em 24 horas, o Brasil notificou mais de mil novos casos de coronavírus e outros 72 casos fatais. A taxa de mortalidade no país está em 4,2%

Em conversa com o setor de varejo

Governo faz o máximo para o dinheiro chegar à ponta final, diz Guedes

O ministro Paulo Guedes, participou de conferência com líderes do setor de varejo neste sábado, detalhando as inciativas do governo na crise do coronavírus

Guerra de preços

Arábia Saudita e Rússia continuam trocando farpas e trazem preocupação ao mercado de petróleo

Arábia Saudita e Rússia voltaram a trocar acusações no âmbito da guerra de preços do petróleo — e já se começa a falar que a reunião emergencial da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) da próxima segunda-feira foi por água abaixo

Impactos

Crise do coronavírus reduz consumo de carne e já paralisa 11 frigoríficos no país

A indústria da carne já começa a sentir os primeiros efeitos da crise do coronavírus, com uma menor demanda por produtos — o que paralisa alguns frigoríficos no país

Seu Dinheiro no Sábado

MAIS LIDAS: Um bilionário na luta contra o coronavírus

A notícia a respeito das iniciativas do bilionário Elon Musk no combate à pandemia de coronavírus foi a mais lida dessa semana no Seu Dinheiro

Ano difícil

Braskem fecha 2019 com prejuízo líquido de R$ 2,8 bilhões, revertendo o lucro de 2018

A Braskem encerrou 2019 com um prejuízo bilionário e contração nas receitas e no Ebitda em relação a 2018

LIÇÕES PARA AVALIAR UM NEGÓCIO

8 formas de saber se é um bom investimento

Na escola, seu boletim é a marca do seu sucesso. Nos negócios, são as demonstrações financeiras. Se você quer ser bem-sucedido, precisa saber como tirar conclusões sobre a saúde da empresa e seu potencial.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements