Menu
Ruy Hungria
Sextou com o Ruy
Ruy Hungria
É formado em Física e especialista em bolsa e opções na Empiricus
2020-12-11T15:10:35-03:00
NEGÓCIOS DIGITAIS

Seguidores ou consumidores? Por que o grupo Soma gastou R$ 210 milhões para comprar grife que bomba no Instagram

Com avanço do e-commerce, empresas estão interessadas em estratégias de engajamento em redes sociais

11 de dezembro de 2020
6:37 - atualizado às 15:10
Imagem conceitual traz ícones de likes em redes sociais
O valor das redes sociais - Imagem: Shutterstock

Eu vou te confessar uma coisa – e entendo perfeitamente se você me disser que sou antiquado e obsoleto: eu não tenho perfil no Instagram. Aliás, nem no Instagram, nem no Twitter, nem no Facebook, nem em qualquer outra rede social.

Nada contra quem passa horas nessas plataformas, mas essa definitivamente não é uma maneira que eu gostaria de gastar os poucos minutos livres que sobram do meu dia.

Exceção

Mas a verdade é que eu sou uma exceção. As pessoas gastam cada vez mais tempo em redes sociais, e os brasileiros e brasileiras estão entre os campeões quando o assunto é tempo acumulado nessas plataformas, com uma média de quase 4 horas por dia. 

Elaboração: Seu Dinheiro. Fonte: GlobalWebIndex

Tão surpreendente quanto o número de horas dedicadas é o número de brasileiros que as utilizam: são mais de 70 milhões de perfis no Instagram, e mais de 90 milhões no Facebook e no Youtube.

Elaboração: Seu Dinheiro. Fonte: Comscore

Você pode amar ou odiar as redes sociais. No entanto, com tanta gente utilizando essas plataformas e durante tantas horas por dia, o que você não pode é ignorar o poder que elas exercem na vida das pessoas.

E já tem muita gente e muitas empresas se aproveitando disso para ganhar uma grana.

Seguidores ou consumidores?

Se você acompanha minimamente o setor de moda, já deve ter ouvido falar nas varejistas Arezzo, Lojas Renner, Hering, Levi's, entre tantas outras redes famosas.

No entanto, a não ser que você acompanhe assiduamente postagens de blogueiras de moda, é bem provável que nunca tenha ouvido falar na byNV.

Criada pela blogueira Nati Vozza em 2012, a marca de roupas com DNA 100% digital simplesmente explodiu nos últimos anos. E não foi baseada em métodos tradicionais, como abertura de lojas ou comercial na televisão, por exemplo.

A estratégia foi monetizar o potencial de consumo do público mais engajado e disposto a comprar os seus produtos: seus mais de um milhão de seguidores fiéis do Instagram.

Estratégia que surtiu ótimos resultados.

Faturamento da byNV. Fonte: Relação com investidores do Grupo Soma

Vendas + know-how

Menos de dez anos depois de ser criada, a byNV acabou de ser vendida ao Grupo Soma (SOMA3) – dono de marcas importantes como Farm e Animale – por nada menos do que R$ 210 milhões.

Mas se engana quem pensa que o Grupo Soma desembolsou essa grana apenas pela marca e pelas roupas da byNV.

Mais do que isso, o Soma está trazendo para dentro do grupo um know-how que vai ficando cada vez mais importante à medida que a utilização das redes sociais aumenta: como utilizar essas plataformas de modo a atrair mais seguidores, conseguir engajar e monetizar esse grande público sem a necessidade de gastar rios de dinheiro com marketing – exatamente como a Nati Vozza conseguiu fazer com a sua própria marca.

Dado que caminhamos para uma digitalização cada vez maior do varejo, a aquisição mostrou uma capacidade diferenciada dos executivos do Grupo Soma em enxergar e aproveitar mudanças de tendência que não apenas carregam boas oportunidades, como podem fazer a diferença entre as marcas que vão conseguir triunfar lá na frente.

Por essa capacidade diferenciada de gestão somada a marcas de grande qualidade é que eu recomendei aos assinantes da Empiricus participarem do IPO de SOMA3, e continuo enxergando valor nos papéis mesmo depois de cerca de 30% de valorização desde então.

Fonte: Google

 O próximo Instagram milionário

O interessante dessa história toda é que, enquanto milhões de pessoas usam a rede social para ficar matando horas e horas dos seus dias, muita gente está começando a entender que essas plataformas representam uma enorme oportunidade de criação de valor.

Seja para divulgar os produtos da sua loja e turbinar as vendas do final do ano, ou para angariar milhares (milhões?) de followers e engajá-los de tal modo que eles consumam tudo aquilo que você indique, o Instagram passou a ser uma ferramenta importantíssima nas mãos de quem souber utilizá-lo – não é, Grupo Soma?

Diante dessa oportunidade que as redes abrem para qualquer negócio, a Empiricus está lançando um curso inédito que ensina como transformar o Instagram em uma verdadeira máquina de vendas.

Se você tem interesse ou conhece alguém que possa se interessar, deixo aqui o convite para saber mais.

Um grande abraço e até a próxima!

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Confiança em alta

Casa Branca não vê fator gerador de inflação que Fed não possa controlar

A presidente do Conselho de Consultores Econômicos do governo ressaltou que é importante focar nas tendências para os índices ao invés de oscilações semanais ou mensais

Política monetária em detalhes

Diretor do BC afirma que Selic em 2% não era mais necessária e defende centro da meta inflacionária

Bruno Serra explicou que a retomada da atividade econômica foi mais rápida do que se imaginava e justificou a elevação da taxa básica de juros

ESTRADA DO FUTURO

O que rola nos bastidores de uma startup de sucesso: uma conversa com Paulo Veras, ex-CEO e fundador da 99Taxi

Na edição desta semana do Tela Azul, recebemos o Paulo Veras, ex-CEO e fundador da 99Taxi.

Receita Federal dos EUA

Binance é investigada por manter contas suspeitas de lavagem de dinheiro nos EUA

Desde 2019, a Binance não oferece mais serviços de trading de criptomoedas para quem mora nos Estados Unidos

Sobe e desce da commodity

Dia de correção: minério de ferro cai forte e derruba ações da Vale e siderúrgicas

As ações da Vale, Gerdau, Usiminas e CSN estão entre as maiores baixas do Ibovespa hoje, influenciadas pela cotação do minério de ferro

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies