Menu
Ruy Hungria
Sextou com o Ruy
Ruy Hungria
É formado em Física e especialista em bolsa e opções na Empiricus
Dados da Bolsa por TradingView
2020-04-16T22:09:57-03:00
VACAS LEITEIRAS DA BOLSA

Gosta de dividendos? Tome cuidado com esse indicador ‘infalível’

Depois da queda de mais de 30% do Ibovespa e de várias das suas ações, muitas das companhias que já eram boas pagadoras de proventos atingiram níveis excelentes de dividend yield. A questão é: será que essas ‘vacas leiteiras’ da bolsa terão o que distribuir depois da crise?

17 de abril de 2020
5:50 - atualizado às 22:09
cash cow
Imagem: Shutterstock

Se existe uma categoria de empresas que sempre chama a atenção dos investidores é a de boas pagadoras de dividendos – também conhecidas como vacas leiteiras.

Sabe por quê?

Ao receber gordos dividendos de uma empresa os investidores dependem menos da valorização das ações para colocarem algum rendimento no bolso.

Se a maré está boa, ganha-se com a valorização das ações mais o "pinga-pinga" dos proventos.

Se a maré está ruim, o valor das ações tende a cair. Mas os rendimentos continuam sendo pagos, amenizando as perdas da marcação a mercado ou, em alguns casos, até anulando essas desvalorizações.

Turbinando o rendimento

Uma maneira de medir o potencial de uma empresa pagar dividendos é através do indicador conhecido como "dividend yield". Ele mede a relação entre o montante anual que a companhia proporciona na forma de dividendos aos seus acionistas e o preço de uma ação.

Por exemplo, se uma empresa distribuiu R$ 5 de dividendos por ação no ano e os papéis estão cotados a R$ 100, o dividend yield será de 5%.

Quanto maior o dividend yield, maior rentabilidade do investidor.

Existem algumas maneiras de turbinar esse yield para que o investidor tenha rendas ainda melhores.

A primeira – e mais óbvia – acontece quando a empresa passa a pagar mais dividendos do que antes. Isso acontece, por exemplo, quando o lucro dela aumenta e ela decide distribuir essa grana extra aos seus acionistas.

Uma outra situação na qual o dividend yield é turbinado ocorre quando o preço da ação despenca. Se, por exemplo, o preço daquela mesma ação cai de R$ 100 para R$ 50 e os dividendos são mantidos intactos, o yield dobra e sobe para 10%.

E é justamente sobre esse ponto que eu gostaria de chamar a sua atenção. 

A grande armadilha

Depois da queda de mais de 30% do Ibovespa e de várias das suas ações, muitas das companhias que já eram boas pagadoras de proventos atingiram níveis excelentes de dividend yield.

Esses rendimentos parecem ainda mais atrativos quando nos lembramos que a taxa Selic está abaixo dos 4%.

Não é à toa que muita gente têm voltado a investir pesado na Bolsa com o argumento de que os dividendos elevados na comparação com o preço das ações já seriam suficientemente interessantes para justificar a compra delas.

Essa tese até faz sentido, o problema é que a maioria dos caçadores de yields estão cometendo um erro perigosíssimo.

Eles estão comprando ações de muitas empresas que distribuíram dividendos polpudos nos últimos anos, mas que, infelizmente, não serão capazes de pagar um centavo de proventos aos seus acionistas em 2020 – e talvez nem em 2021 –, tamanho será o impacto da quarentena em seus resultados.

Baseados nos dividendos pagos em 2019, muitos acionistas vão se decepcionar com os rendimentos recebidos neste e nos próximos anos.

Por isso, antes de colocar o seu suado dinheiro nas ações com elevado dividend yield, é crucial escolher as empresas certas, que atravessarão a crise com resultados pouco afetados e que manterão a capacidade de oferecer uma renda recorrente elevada aos seus acionistas.

Essa certamente não é uma tarefa trivial, pois exige muito estudo do que acontecerá com cada uma das companhias listadas e com seus respectivos setores de atuação.

Felizmente, o Sergio Oba já realizou um estudo minucioso e traz para você a lista com as melhores Vacas Leiteiras para investir em 2020. Essas empresas estão prontinhas para trazer ótimos rendimentos mesmo que a Bolsa não ajude.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

De onde vem o dinheiro?

Governo confirma Auxílio Brasil em R$ 400, mas sem revelar de onde vai tirar o dinheiro para bancar o benefício

O ministro da Cidadania não respondeu às perguntas da imprensa nem confirmou a fonte de renda para o novo programa social, o que é a grande preocupação dos mercados

O que vem depois da lua?

Depois do recorde: até onde vai a alta do bitcoin? Especialista em criptomoedas responde

Depois da aprovação do primeiro ETF em criptomoedas, o bitcoin (BTC) não para de subir e as estimativas são otimistas — mas os EUA podem mudar o jogo

Analistas respondem

Ações da Vale aprofundam queda com sinais ruins do relatório de produção e vendas no 3º trimestre. Hora de comprar VALE3?

Analistas apontam que, enquanto a produção foi sólida, a venda de minério de ferro veio abaixo do esperado até pelas estimativas mais conservadoras

Puxando os ETFS

Chove bitcoin, molha ETF: fundos de índice brasileiros sobem até 19% em dia de recorde do BTC

Enquanto o primeiro ETF de criptomoeda dos Estados Unidos avança tímidos 3%, na B3, o avanço é de até 19,78%

Cabo de guerra

Sem explicar origem da verba, Bolsonaro confirma Auxílio Brasil em R$ 400 e promete respeitar teto de gastos

Apesar da promessa do presidente, o governo flerta com a flexibilização do teto para conseguir arcar com o valor do benefício

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies