Menu
Marina Gazzoni
O melhor do Seu Dinheiro
Marina Gazzoni
2020-01-30T09:27:20-03:00
Tudo que vai mexer com seu dinheiro hoje

12 notícias para você começar o dia bem informado

30 de janeiro de 2020
9:27
O Melhor do Seu Dinheiro; investimentos
Imagem: Andrei Morais/Seu Dinheiro

Hoje eu trago um exemplo concreto do que você ganha ao ser leitor do Seu Dinheiro. Ao menos uma vez por mês, o nosso colunista Alexandre Mastrocinque recomenda um papel para comprar na bolsa. TODAS as suas indicações ganharam do Ibovespa. Uma ação chegou a se valorizar 75% em cerca de quatro meses. Veja o resultado e tire suas próprias conclusões... 

O que você precisa saber hoje:

Investimentos

SEU DINHEIRO PREMIUM
• Quem seguiu as sugestões do Alexandre Mastrocinque ganhou dinheiro? Foram oito recomendações até agora e 100% delas tiveram desempenho melhor que o Ibovespa. Veja as rentabilidades acumuladas desde um dia antes da publicação da sugestão no Seu Dinheiro:

No texto de hoje, o Alê revisita suas recomendações e responde a pergunta que mais importa: é hora de comprar ou vender esses papéis? A resposta está neste link. Se você ainda não é um leitor Premium, pode destravar seu acesso aqui (a assinatura custa apenas R$ 9,90 e você pode cancelar em 30 dias sem custo). 

---
CONTEÚDO PATROCINADO
• Esta é a maneira mais inteligente de se investir em imóveis no século XXI. Descubra os melhores fundos imobiliários para 2020. 

• As pequenas empresas devem ser as maiores surpresas na bolsa. Veja como encontrar ações com maior potencial de valorização.
---

Mercados

• O Ibovespa continuou ontem a se afastar das máximas e terminou o dia em queda de 0,94%, aos 115.384,84. O dólar à vista teve alta de 0,62%, indo a R$ 4,2193.

• O movimento destoa da bolsas americanas, que ficaram perto do zero a zero. A decisão do Federal Reserve de manter a taxa de juros americana na faixa entre 1,50% e 1,75% ao ano teve pouca repercussão.

• O que mexe com os mercados hoje? As notícias em torno do avanço do coronavírus dividem a atenção dos investidores com a divulgação da prévia do PIB americano do 4º trimestre e balanços corporativos no exterior. Na Ásia, as sessões fecharam em queda. Os índices futuros das bolsas de Nova York amanhecem no vermelho. 

Empresas

• Um banco público tem a mesma condição que um banco privado de se adaptar aos novos tempos? Quem fez essa pergunta - e respondeu - foi o presidente do Banco do Brasil, Rubens Novaes. Ele contou a uma plateia de investidores e executivos que a instituição tem ciência de suas limitações e defendeu parcerias com empresas privadas, inclusive fintechs. A Julia Wiltgen acompanhou a mesa de perto e traz os detalhes. 

• O presidente do BB confirmou a intenção de se desfazer de fatia proporcional à família Ermírio de Moraes no IPO do Banco Votorantim, atual BV.

• A privatização da Eletrobrás deve sair no segundo semestre deste ano, segundo o presidente da estatal, Wilson Ferreira. A ideia é diluir a participação da União por meio de uma oferta subsequente de ações na bolsa. 

• A assembleia de credores do grupo Odebrecht foi adiada para o dia 18 de março. O plano de recuperação judicial está previsto para ser entregue no dia 13. A decisão foi tomada ontem, em reunião que durou pouco mais de 20 minutos. 

• A ação da Tesla avança mais de 10% no pré-mercado após a empresa divulgar um lucro acima do esperado e recorde de entregas no quarto trimestre de 2019. Os planos para este ano seguem ambiciosos. 

• O Facebook mostrou desaceleração no ritmo de crescimento - o menor desde o IPO da empresa. As ações desabam no pré-mercado. 

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

sinal verde

Anac autoriza Virgin Atlantic, do bilionário Richard Branson, a operar no Brasil

Segundo o órgão regulador, a empresa manifestou interesse em voar, a partir de março deste ano, entre as cidades de Londres e São Paulo.

Esquenta dos mercados

Tensão renovada nos mercados com disseminação do coronavírus para fora da China

Com coronavírus no radar, os investidores brasileiros devem buscar cautela para se proteger do movimento dos mercados durante o feriado

comunicado oficial

Banco Central do Japão diz que é cedo para discutir medidas em resposta ao coronavírus

Coronavírus pode afetar a economia japonesa, ao desacelerar suas exportações para a China, segundo presidente da autoridade monetária

novidade do bc

BC cria linha de redesconto para participantes do PIX nos pagamentos instantâneos

Em novembro, o BC planeja colocar em funcionamento o PIX. O sistema permitirá pagamentos instantâneos – ou seja, transferências de recursos 24 horas por dia, sete dias por semana, durante todo o ano

decisão do supremo

STF mantém lei que libera renovação antecipada de concessões de ferrovias

Processo foi apresentado em 2018 pela então PGR, para quem as normas previstas na legislação ofenderiam as regras de licitações e o princípio da competitividade

de olho nas cifras

CMN aprova limite de R$ 8,4 bi de crédito por estados e municípios e estatais

Valor ficou bem abaixo do liberado em anos anteriores – em 2019 foi de R$ 24,5 bilhões em 2019 e R$ 24 bilhões em 2018

Sextou com o Ruy

Alguém te deu uma dica de investimento? Leia este texto antes de aceitar

Seja na cadeira do dentista ou no mercado financeiro, cuidado com os conflitos de interesse, que podem ser extremamente danosos para você e sua família

Contas analisadas

CMN aprova balanço do Banco Central no 2º semestre de 2019, com lucro de R$ 64,5 bilhões

Com os R$ 21,04 bilhões de lucro no primeiro semestre, o resultado total do ano para a instituição em 2019 foi de R$ 85,57 bilhões

Novidade na área

Caixa confirma parceria om Visa em cartões

Acordo marca o primeiro negócio fechado pelo banco público para constituir um braço de meios de pagamentos

Ano trágico

Vale tem prejuízo de US$ 1,7 bilhão em 2019; provisões e despesas por Brumadinho chegam a US$ 7,4 bilhões

A Vale fechou 2019 com um prejuízo bilionário, fortemente pressionada pelas provisões relacionadas ao rompimento da barragem em Brumadinho — efeitos que superaram em muito os ganhos relacionados à valorização do minério de ferro no ano

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu