Menu
2020-10-30T08:22:04-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
Cursando jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
esquenta dos mercados

Com olhar voltado para as eleições americanas e covid-19 pelo mundo, investidores retomam cautela

Eleições e aumento de casos do coronavírus pelo mundo seguem sendo os principais fatores de aversão ao risco. No Brasil, investidores também monitoram clima político

30 de outubro de 2020
8:06 - atualizado às 8:22
Ibovespa mercados queda
Imagem: Shutterstock

A semana chega ao fim como começou, com a aversão ao risco tomando conta do mercado. De olho no crescimento do número de casos de coronavírus na Europa e nos Estados Unidos - com novas medidas de isolamento social anunciadas - e na proximidade das eleições americanas, os investidores voltam a apostar na cautela, depois do alívio observado na sessão de ontem.

No Brasil, o feriado de segunda-feira (02), véspera das eleições americanas, aumenta a tensão. Os investidores locais monitoram o clima político em Brasília e dados do desemprego que serão divulgados hoje.

Virando a mesa

O dia até começou no vermelho, mas o Ibovespa conseguiu devolver parte das perdas do dia anterior ao fim da sessão de ontem.

A recuperação das bolsas americanas e o bom desempenho de Petorbras e Vale - que haviam divulgado os resultados do terceiro trimestre na noite anterior - ajudou a bolsa brasileira a se firmar em alta e terminar o dia avançando 1,27%, aos 96.582,12%. O dólar teve leve alta de 0,09%, cotado a R$ 5,7451.

O avanço maior que o esperado do PIB americano e o número mais baixo de pedidos de seguro-desemprego no país animou os negócios, mesmo que o cenário local siga atribulado com a tensão entre o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto.

No vermelho

A instauração de novas medidas de isolamento social na Europa - principalmente na Alemanha e França - e a proximidade do fim das eleições nos Estados Unidos segue deixando os mercados no vermelho.

Durante a madrugada, as bolsas asiáticas tiveram quedas superiores a 1%.

E hoje, um novo fator aumenta ainda mais a tendência de aversão ao risco dos últimos dias.

As grandes empresas de tecnologia - Amazon, Alphabet, Apple e Facebook - divulgaram os seus balanços trimestrais na noite de ontem e resultado não agradou. Mesmo com lucro acima do esperado, as empresas passaram a operar em queda firme no after hours em Nova York e devem puxar as baixas do dia. Os índices futuros em Wall Street operam com quedas superiores a 1%.

Na Europa, as bolsas também operam no vermelho, mas apresentaram uma melhora após dados econômicos da região. O Produto Interno Bruto da zona do euro cresceu 12,7%, o da França saltou 18,2% e o da Alemanha teve alta de 8,2% no terceiro trimestre.

Agenda

A agenda de hoje tem a divulgação da Pnad Contínua, com a taxa de desemprego do trimestre passado (9h). O Banco Central também divulga o balanço consolidado do setor público (9h30). Segundo o Broadcast, o desemprego deve subir a 14,2%.

Nos Estados Unidos, o dia reserva a divulgação de dados sobre renda pessoal (9h30) e sentimento do consumidor (11h).

A agenda de balanços corporativos está mais tranquila nesta sexta-feira. No exterior, destaque para ExxonMobil e Chevron.

Balanços

Confira os últimos números divulgados pelas empresas brasileiras.

  • A Suzano Papel e Celulose teve prejuízo líquido de R$ 1,157 bilhão no terceiro trimestre. O valor representa queda de 66,54% na comparação anual.
  • A rede de laboratórios de diagnóstico Fleury apresentou lucro líquido de R$ 132,1 milhões entre julho e setembro, marca 45% maior do que o apresentado um ano antes. A empresa chamou a atenção para o aumento de 15,4% na receita bruta, a R$ 943,8 milhões.
  • A Totvs informou lucro de líquido de R$ 79,311 milhões, em uma queda de 9,3% na comparação anual.
Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

gestão segue independente

Holding do BTG Pactual compra consultoria de energia PSR

Um dos principais objetivos da parceria é propiciar a expansão da companhia no mercado global de energia

recursos contra a doença

Câmara aprova liberação de R$ 1,9 bilhão para compra de vacinas contra Covid-19

Dinheiro vai custear contrato entre a Fiocruz, vinculada ao Ministério da Saúde, e o laboratório AstraZeneca; recursos virão da emissão de títulos públicos

permissão especial

Anvisa divulga regras para autorização emergencial de vacina contra covid-19

Modo simplificado terá menos exigências do que os registros de outros medicamentos e tratamentos, mas a agência declarou que serão garantidos requisitos de segurança

seu dinheiro na sua noite

Uma previsão (conservadora) para a bolsa em 2021

Depois de tudo que passamos em 2020 (e o ano ainda não acabou), eu admiro a coragem de quem se arrisca a fazer previsões para o desempenho dos investimentos. As estimativas podem parecer mero chute — e às vezes são mesmo — mas no geral têm fundamento. Com algum trabalho, é possível calcular o fluxo […]

emissão de dívida em dólar

Tesouro capta US$ 2,5 bilhões no exterior com títulos de 5, 10 e 30 anos

Houve forte demanda pelos títulos de dívida externa, que superou a oferta em mais de 3 vezes, diz instituição; volume emitido com bônus de 10 anos foi o maior, de US$ 1,25 bi

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies