Menu
2020-04-08T08:47:41-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
Esquenta dos mercados

Cautela com coronavírus volta a predominar nos mercados

Fala de Donald Trump ameniza queda, mas dia deve ser de cautela nos negócios globais

8 de abril de 2020
8:07 - atualizado às 8:47
Queda de preços com coronavírus
Imagem: Shutterstock

Após dois dias de otimismo, refletindo a desaceleração dos casos do coronavírus no mundo, a cautela volta a predominar nos mercados globais. O foco é nos desdobramentos de médio e longo prazo da epidemia da covid-19.

Embora a doença tenha desacelerado em diversos países, a duração da situação ainda é incerta.

Nos Estados Unidos, os números são preocupantes, conta com quase 30 milhões de infectados e 12 mil mortos. O presidente Donald Trump usou um tom mais otimista para abrandar o humor dos mercados e afirmou que a doença pode estar perto do seu pico no país.

Segundo Trump, um novo pacote de medidas para lutar contra os efeitos do coronavírus está sendo preparado. O pacote seria compsto por US$ 250 bilhões e serviria para manter postos de trabalho no país. Já o vice-presidente americano, Mike Pence, informou que novas orientações sobre a quarentena devem ser divulgadas hoje.

Neste cenário, as bolsas asiáticas fecharam sem uma direção definida. No começo da manhã, os índices futuros em Nova York seguem a mesma tendência e operam perto da estabilidade.

Sem acordo

O Eurogrupo, formado por ministros das finanças dos países europeus, discutiu durante a madrugada a possibilidade de novas medidas de socorro para ajudar a zona do euro a lidar com o impacto do coronavírus, mas não houve acordo.

O fracasso nas negociações influenciam a abertura do pregão, que ocorre no campo negativo, com perdas superiores a 1%. As discussões serão retomadas amanhã.

Preocupação local

A bolsa brasileira terminou a terça-feira com um avanço de 3,08%, a 79.855,48 pontos. Além do clima mais ameno no exterior, o cenário político local também se mostrou menos crítico do que nos últimos dias.

Mas os investidores também estão de olho nos números da doença por aqui. No Brasil, o Ministério da Saúde contabilizou 114 mortes em um único dia. Ao todo, já são 667 mortes e 13,7 mil casos confirmados.

O Congresso brasileiro ainda encontra dificuldades para enfrentar a pandemia e votar as medidas necessárias para auxiliar no combate ao coronavírus.

O mercado local também observa a corrida pelos R$ 600 do auxílio-emergencial liberado pelo governo. Só ontem, 18,3 milhões de pessoas fizeram o pedido. Há divergências sobre a real quantidade de dinheiro alocada para sustentar a medida.

Ontem, Walter Braga Netto, ministro-chefe da Casa Civil defendeu união no governo, mas evitou se comprometer com a permanência de Luiz Henrique Mandetta, ministro da Saúde, no cargo.

Agenda

O destaque do dia fica com a divulgação da ata do Federal Reserve, nos Estados Unidos. No começo do mês passado, a entidade cortou o juros de forma extraordinária (15h).

No Brasil, o IBGE divulga o volume de serviços fevereiro (9h). No câmbio, o Banco Central faz leilão de até 10 mil contratos de swap para rolagem.

Em ritmo de recuperação

Após fortes baixas ontem, os investidores voltam a mostrar otimismo com a reunião da Opep+, que acontece amanhã (09) e os contratos futuros do petróleo mostram recuperação.

Por volta das 07h, o petróleo WTI para maio avançava 3%, a US$ 24,34. Já o Brent para junhotinha um avanço de 0,69%, a US$ 32,09.

Adaptando ao meio

O coronavírus tem obrigado diversas empresas a adotarem uma série de ações para preservar o caixa durante a crise. Dessa vez, foi o Magazine Luiza que divulgou suas medidas, dentre elas:

  • captação de R$ 800 milhões em debêntures;
  • redução da remuneração de executivos;
  • renegociação com fornecedores;
  • redução de jornada e salário de colaboradores.

No setor bancário, o Banco do Brasil limitou os dividendos aos acionistas. O valor ficou no limite mínimo obrigatório previsto em estatuto social, de 25%.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

Airbus A320

Itapemirim começa a receber aeronaves para voos comerciais após Anac autorizar

A Itapemirim diz que a segunda aeronave Airbus A320 de sua frota deve chegar ao aeroporto de Confins (MG) neste domingo

Efeito reverso

Elon Musk fez piada sobre o Dogecoin na TV aberta — e as cotações desabaram

Elon Musk fez a aguardada participação no SNL no último sábado, fazendo piada sobre si mesmo e falando do Dogecoin — mas a cotação caiu forte

Pesquisa da FGV

Presente mais caro: inflação do Dia das Mães é a maior dos últimos quatro anos

Levantamento da FGV mostra que a inflação no Dia das Mães é a maior desde 2017; eletrodomésticos e passagens aéreas tiveram maiores saltos

Expansão

SPX Capital assume operações do Carlyle no país

As operações do Carlyle no Brasil serão absrovidas pela SPX Capital. Com isso, a gestora de Rogério Xavier se expande em private equity

ESTRADA DO FUTURO

Um pé no abismo e outro na casca de banana: como identificar ações de empresas decadentes

Excesso de otimismo, planos mirabolantes e desprezo pela inovação estão entre as receitas para uma empresa falhar, segundo o gestor que se dedicou a descobrir empresas terríveis

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies