Menu
2020-08-04T08:31:52-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
Cursando jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
esquenta dos mercados

Sem fôlego para continuar rali, bolsas internacionais exibem sinais mistos

Bolsas na Europa operam sem uma direção única e os índices futuros em Nova York estão no vermelho. No Brasil, o destaque da agenda fica com a divulgação da produção industrial de junho.

4 de agosto de 2020
8:10 - atualizado às 8:31
A primeira onda de valorização da bolsa já passou, mas ainda dá tempo de surfar na segunda
Imagem: Shutterstock

Um movimento de realização dos lucros recentes é observado nesta manhã de terça-feira no mercado internacional, após as altas significativas observadas ontem. Na Europa, a inflação ao produtor (PPI) acima das expectativas deu fôlego aos investidores, mas as bolsas no continente ainda operam de forma mista. Nos Estados Unidos, os índices futuros recuam. Os agentes financeiros seguem de olho nos balanços corporativos, na disseminação do coronavírus e nas negociações de um novo pacote de estímulos nos EUA.

No Brasil, o destaque da agenda fica com a divulgação da produção industrial de junho. Segundo o Projeções Broadcast, o índice deve ter uma alta de 7,8%. O mercado local também aguarda a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) sobre o futuro da Selic.

Descolado de Wall Street

Enquanto as bolsas de valores europeias e americanas exibiam ganhos consistentes, o Ibovespa - que na maior parte do tempo segue o comportamento dos mercados internacionais - teve um comportamento inverso e fechou o dia com leve queda de 0,08%, aos 102.829,96 pontos

No mercado local, os investidores monitoram os ruídos em torno da reforma tributária, os balanços corporativos do segundo trimestre e aguardam a decisão do Comitê de Política Monetária, que será anunciada amanhã. A situação leva os investidores a procurarem abrigo no dólar, assim, a moeda americana fechou o dia em alta de 1,86%, aos R$ 5,3140. 

No campo corporativo, os investidores refletem os números do segundo trimestre do banco Itaú, divulgado na noite de ontem. O bancão registrou queda de 40,2% no lucro líquido, indo a R$ 4,2 bilhões. 

Produção industrial

Nesta terça-feira, o grande destaque da agenda de divulgações  é a produção industrial de junho. Segundo o Projeções Broadcast, a reabertura econômica deve levar o setor industrial a subir cerca de 7,8% no mês. O acumulado no trimestre deve ser de 18,15%. 

Exterior misto

O desempenho positivo da ações do setor de tecnologia fizeram o índice Nasdaq renovar a sua máxima de fechamento. 

O desempenho positivo em Wall Street impulsionou os mercados asiáticos durante a madrugada. As bolsas no continente fecharam em alta, com exceção do Shenzen Composto, na China, que teve queda de 0,65%. 

Hoje, no entanto, as bolsas europeias e os índices futuros em Nova York parecem ceder ao movimento de realização de lucros. Na Europa, a inflação ao produtor (PPI) acima das expectativas injetou ânimo nas bolsas, mas não o suficiente para engatar uma alta mais consistente.

Os investidores seguem otimistas com a possibilidade de uma retomada econômica mais rápida, mas os velhos conhecidas pontos de cautela seguem no radar. 

Ontem, a Organização Mundial da Saúde (OMS) alertou sobre a possibilidade de que uma vacina não surja ou seja o suficiente para conter o surto do coronavírus, em um momento em que o mundo volta a registrar número recorde de infectados. 

Nos Estados Unidos, os agentes financeiros observam as negociações para um novo pacote de estímulos fiscais, que tem sido motivo de impasse entre republicanos e democratas. 

O destaque dos balanços internacionais hoje fica com a petroleira britânica BP e a Disney. 

Petróleo em queda

As preocupações com um possível aumento da oferta de petróleo pela Opep+ pesam no preço do barril. Por volta das 7h15, o petróleo WTI para setembro recuava 0,63%, enquanto o Brent para outubro tinha queda de 0,66%.

Agenda

Além da produção industrial de junho (9h), no Brasil também temos a divulgação das vendas de veículos em junho pela Fenabrave. 

Lá fora, destaque para o índice de preços ao consumidor da OCDE, números do estoque de petróleo dos Estados Unidos e o PMI Composto e de serviços da China. 

Fique de olho

  • B2W e Multiplan fecharam parceria para integrar mais de 5 mil lojas no marketplace da varejista digital.
  • TOTVS irá realizar pagamento de juros sobre capital próprio no valor de R$ 0,07 por ação, totalizando R$ 39,7 milhões.
  • Vale irá ressarcir o INSS em R$ 129,5 mil por benefícios pagos às vítimas de Brumadinho
Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

PANDEMIA NO PAÍS

Covid-19: Brasil registra 863 óbitos e 32.058 novos casos em 24h

Segundo Ministério da Saúde, 86,6% dos paciente estão recuperados

privatização na berlinda

Justiça de Alagoas suspende leilão para concessão de saneamento na B3

No último dia 24, a 1ª Vara da Comarca de Marechal Deodoro negou liminar ao Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Marechal Deodoro (SAAE), que pedia a suspensão do processo licitatório

fatia relevante

Gestora Atmos passa a deter 6,68% das ações preferenciais do Inter

Fundo passou a deter cerca de 25,3 milhões de papéis PN do Inter

seu dinheiro na sua noite

Onde está o Guedes?

Paulo Guedes esteve presente ontem no anúncio do programa Renda Cidadã pelo governo, ao lado de Jair Bolsonaro e lideranças do Congresso. Mas os investidores no mercado financeiro não reconheceram no ministro a figura que prometeu implementar uma agenda de medidas liberais na economia, incluindo privatizações e reformas. A desconfiança sobre como a equipe econômica encaixaria […]

ajuste fiscal

Propostas para o Renda Cidadã não têm intenção de driblar teto, diz secretário do Tesouro

“A gente sabe que o teto é baseado em credibilidade e não adianta tomarmos ações que minem a credibilidade do teto”, disse Bruno Funchal

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements