Menu
2020-04-02T18:20:05-03:00
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa e UBS Escola de Negócios. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência CMA, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico.
Um respiro para a estatal

Ações da Petrobras disparam mais de 8% após Trump sinalizar uma trégua na guerra de preços do petróleo

As ações da Petrobras subiram mais de 8%, na esteira da valorização do petróleo — lá fora, cresce a expectativa quanto a um acordo entre russos e sauditas

2 de abril de 2020
12:28 - atualizado às 18:20
Petrobras
Imagem: Shutterstock

As ações da Petrobras fecharam em forte alta nesta quinta-feira (2), pegando carona na disparada dos preços do petróleo. Tudo isso por causa da percepção de que a Arábia Saudita e a Rússia estão perto de um acordo para esfriar a guerra de preços da commodity.

Os papéis ON da Petrobras (PETR3) subiram 8,59% hoje, a R$ 15,43, enquanto as ações PN da estatal (PETR4) avançaram 8,46%, a R$ 15,51. São as maiores cotações em mais de duas semanas — os ativos despencaram ao longo de março, em meio à crise do coronavírus.

O fortalecimento dos ativos da Petrobras ocorreu em paralelo à disparada do petróleo: o Brent com vencimento em junho subiu 21,02%, a US$ 29,94 o barril, enquanto o WTI para maio teve alta de 24,67%, a US$ 25,32.

A commodity já vinha tendo uma sessão positiva — no início da sessão, ambos os contratos operavam em alta de cerca de 7%, na esteira de comentários feitos pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. Em pronunciamento na Casa Branca, ele disse acreditar que sauditas e russos chegarão a um acordo em breve.

E, por volta das 11h30, Trump voltou a tocar no assunto, desta vez via Twitter. E, desta vez, foi ainda mais incisivo em suas declarações:

"Acabei de falar com o príncipe herdeiro da Arábia Saudita, que conversou com o presidente Putin, da Rússia, e eu espero e acredito que eles vão cortar [a produção de petróleo] em cerca de 10 milhões de barris, talvez muito mais", escreveu Trump, há pouco. "Se isso acontecer, será ótimo para a indústria de petróleo e gás".

A informação passada pelo presidente americano, com um número concreto para o corte de produção, fez a cotação do petróleo disparar e animou as bolsas globais, que se firmaram no campo positivo. Por aqui, o Ibovespa ganhou força e, agora, já sobe mais de 3% — veja aqui a cobertura completa dos mercados nesta quinta-feira.

Apesar de o salto de 20% nas cotações da commodity ser expressivo, vale ressaltar que os níveis de preço ainda estão relativamente baixos, na faixa entre US$ 25 e US$ 30 o barril — em abril do ano passado, o petróleo era negociado na faixa entre US$ 60 e US$ 70 o barril.

De qualquer maneira, trata-se de um estímulo importante e um alívio bem vindo num dos focos de tensão dos investidores nos últimos dias.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

Ações do mês

Vale, Magazine Luiza, Petrobras e JBS: como se comportaram as principais indicações das corretoras em maio?

As ações mais indicadas pelas corretoras tinham um perfil comum: resiliência e capacidade de adaptação. Elas foram muito testadas durante os últimos 30 dias, mas passaram com louvor

CAÇADOR DE ASSIMETRIAS

Direto ao ponto: comprar ou não comprar dólar?

A verdade é que ninguém sabe se o dólar vai cair, subir, andar de lado, dar cambalhota ou mortal carpado. Diante disso, quando me perguntam “comprar ou não comprar dólar”; eu devolvo com um segunda questionamento: “depende, você já tem dólar?”

Decisão em plenário

Toffoli marca julgamento sobre inquérito das fake news para semana que vem

O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Dias Toffoli, marcou para a próxima quarta, 10, o julgamento sobre a continuidade ou não das apurações do inquérito das fake news

Ministério atualiza dados

Brasil chega a 526,4 mil casos e 29,9 mil mortes por coronavírus

Até o momento, 211.080 pacientes estão recuperados da doença

seu dinheiro na sua noite

O mundo em ebulição

Caro leitor, Não bastasse uma pandemia mundial que paralisou a economia, tensões políticas no Brasil e o retorno da troca de farpas entre Estados Unidos e China, temos assistido também, nos últimos dias, a intensos protestos nos EUA contra o racismo. No último fim de semana, às já habituais manifestações em apoio ao governo aqui […]

Cresceu 3,7% em 2019

Vendas de festa junina nos supermercados devem crescer 0,6% em SP, diz associação

A perspectiva do avanço de vendas em supermercados é bem menor do que a registrada no ano passado, um crescimento de 3,7%

Queda no tráfego

Movimento em rodovias da Triunfo cai 13,9% na quarta semana de maio

O movimento de veículos leves recuou 77,3%, enquanto o tráfego de veículos pesados caiu 36,6%. Os dados se referem à Concebra, Concer, Transbrasiliana e Econorte

Termo de compromisso

BC multa Bradesco em R$ 92,2 milhões e solicita aprimoramento em operações de câmbio

A autarquia aplicou ainda multas de R$ 350 mil em oito funcionários do Bradesco. Os valores devem ser pagos em até 30 dias

Otimismo na bolsa

Ibovespa ignora tensões sociais e sobe mais de 1%, amparado na agenda econômica

O Ibovespa abriu o mês no campo positivo e foi às máximas desde 10 de março, sustentado pelos indicadores econômicos mais fortes na China e nos EUA. O dólar, por outro lado, teve um dia mais pressionado, colocando na conta as manifestações nos EUA e no Brasil

Pesquisa energética

Consumo de energia cai 6,6% em abril, diz EPE

O setor comercial foi o mais atingido, com queda de 17,9%, seguido pela indústria, com perda de 12,4% no consumo. Já o setor residencial subiu 6%, sinalizando aumento da demanda trazida pelo isolamento social, que obrigou as pessoas a ficarem mais em casa

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements