Menu
2020-10-27T16:18:43-03:00
Felipe Saturnino
Felipe Saturnino
Graduado em Jornalismo pela USP, passou pelas redações de Bloomberg e Estadão.
alta forte

Mercado de juros futuros tem dia tenso e aumenta pressão sobre BC na véspera da decisão do Copom

Selic atualmente está em 2% ao ano; mercado presta atenção em postura que será adotada pelo Copom em meio à alta da inflação e ao risco fiscal

27 de outubro de 2020
16:07 - atualizado às 16:18
20/08/2019 Cerimônia de Lançamento do IPCA para Crédito Imobi
Presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto. - Imagem: Alan Santos/PR

Os juros futuros dos depósitos interbancários (DI) saíram da disparada que estavam mais cedo, mas sustentam forte alta nesta terça-feira (27) na B3.

Em uma sessão de ganhos firmes do dólar frente ao real, subindo 1,06% para R$ 5,67, as taxas para os principais vencimentos chegaram a avançar 0,18 ponto percentual — o caso dos juros para os contratos de DI para janeiro de 2023, que atingiram 5%. Acompanhe a cobertura completa de mercados do Seu Dinheiro.

O movimento ocorre na véspera da decisão do Copom sobre a taxa básica de juros da economia brasileira, a Selic. Os juros se encontram atualmente na mínima histórica, a 2%, em um cenário de inflação crescente e deterioração fiscal.

Na sexta, o IPCA-15, a chamada prévia da inflação, apresentou alta de 0,94% em outubro, o maior avanço para o mês desde 1995, embalado pela alta dos preços de alimentos.

Neste cenário, o Banco Central poderá adotar uma postura explicitamente mais dura sobre a alta dos preços no curto prazo, possivelmente fechando a possibilidade de cortes.

Mas o risco fiscal, em meio ao crescimento do déficit primário e às incertezas sobre a manutenção do teto de gastos, ainda é o mais preocupante e a verdadeira causa da alta de taxas de maior prazo.

"A curva longa responde ao risco fiscal, não à inflação", diz Adauto Lima, economista da Western Asset Management. "Se não há sinalização de que o teto vai ser mantido, essas taxas longas vão continuar subindo", afirma Lima.

Neste momento, as taxas dos contratos de vencimento em janeiro de 2025 são os maiores avanços. Confira os juros dos principais vencimentos:

  • Janeiro/2021: de 1,96% para 1,95%
  • Janeiro/2022: de 3,39% para 3,45%
  • Janeiro/2023: de 4,84% para 4,91%
  • Janeiro/2025: de 6,57% para 6,66%
Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Aura e Aeris: veja o que dizem os CEOs das novatas da bolsa e outras notícias que bombaram na semana no Seu Dinheiro

Novidade na praça sempre causa burburinho. Na bolsa não é diferente. É bem verdade que as opiniões divergem:Lindas!Não são lá tudo isso…Não sei, nunca ouvi falarA bolsa brasileira recebeu 43 novas integrantes em 2020 e 2021. E a fila para entrar continua a aumentar. Para você, amigo leitor, isso é excelente. São mais ações na […]

Expansão

Rede D’Or assina memorando para aquisição de hospital na Paraíba

Documento prevê que Rede detenha 51% do capital social do Hospital Nossa Senhora das Neves

Após investigação

China multa Alibaba em US$ 2,8 bilhões por prática de monopólio

Foco foi prática que força comerciantes a escolherem uma plataforma, em vez de poderem trabalhar com mais.

Efeitos da Covid

Grupo Educação Metodista se prepara para pedir recuperação judicial

Com dívidas de cerca de R$ 500 milhões e em dificuldades desde 2015, o grupo viu sua situação se deteriorar em meio à pandemia

Cessão onerosa

Petrobras: Conselho aprova acordo sobre excedentes em Sépia e Atapu

Para a área de Atapu, a participação da estatal na cessão onerosa fica em 39,5% e em Sépia de 31,3%.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies