Menu
2020-08-31T16:40:28-03:00
Ricardo Gozzi
Mercados hoje

Ibovespa acentua queda e dólar mantém-se em alta após apresentação do Orçamento

Apresentação da LDO e expectativa com prorrogação do auxílio emergencial deixam os investidores com um pé atrás

31 de agosto de 2020
10:20 - atualizado às 16:40
Selo Mercados AGORA Ibovespa dólar
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

O Ibovespa opera em queda desde a abertura deste último pregão de agosto e viu o movimento se acentuar depois da apresentação do projeto de lei orçamentária para 2021 apresentado na tarde desta segunda-feira pelo governo ao Congresso.

Os agentes do mercado avaliam a apresentação da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2021 em busca de detalhes sobre os rumos das contas públicas.

A apresentação da proposta de orçamento ocorre em um momento no qual as despesas públicas crescem devido a medidas emergenciais tomadas com o objetivo de atenuar as consequências da pandemia do novo coronavírus.

Outro fator a inspirar cautela entre os investidores é a prorrogação do auxílio emergencial. O presidente Jair Bolsonaro tem sinalizado que a ajuda será estendida até dezembro, mas pela metade dos atuais R$ 600 mensais. Um anúncio oficial é esperado para amanhã.

E enquanto as principais bolsas europeias fecharam em queda, o tom negativo em Wall Street ajudou a manter a bolsa brasileira para baixo hoje. Por volta das 16h40, o Ibovespa caía 1,98%, a 100.118 pontos.

Apesar da queda generalizada no principal índice brasileiro de ações, o recuo no preço dos papéis ON da resseguradora IRB Brasil (IRBR3) chama a atenção pela intensidade. No fim de semana, a empresa reportou prejuízo de R$ 685,1 milhões no segundo trimestre de 2020, de lucro de R$ 397,5 milhões um ano antes.

Já os temores dos investidores com a questão fiscal repercutem com mais ênfase nas bluechips do Ibovespa, em especial as ações ON e PN da Petrobras (PETR3 e PETR4) e da Eletrobras (ELET3 e ELET6).

O setor de siderurgia, por sua vez, vai na contramão da queda do índice, com destaque para o bom desempenho do papel ON da CSN (CSNA3) em decorrência da alta do dólar e do minério de ferro nos mercados internacionais.

Dólar e juro

O dólar firmou-se em alta em meio à disputa pela formação da taxa PTax, que costuma ser antecedida por intensa volatilidade no mercado de câmbio, e manteve a apreciação pelo restante da sessão.

Parte do movimento é atribuída a um ajuste depois da forte queda do dólar ante o real na semana passada em reação à mudança na condução da política monetária do Federal Reserve Bank, o banco central norte-americano.

Por volta das 16h40, a moeda norte-americana operava em alta de 1,22%, cotada a R$ 5,4811.

Já os contratos de juros futuros fecharam em alta. Eles também passaram por ajuste depois da intensa queda registrada na sexta-feira. Outro fator de pressão sobre os juros hoje foi a expectativa com a apresentação da LDO para 2021.

Confira as taxas negociadas de alguns dos principais contratos negociados na B3:

  • Janeiro/2022: de 2,820% para 2,840%;
  • Janeiro/2023: de 4,010% para 4,040%;
  • Janeiro/2025: de 5,820% para 5,880%;
  • Janeiro/2027: de 6,780% para 6,840%.
Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

Indústria em expansão

Brasil vive ‘boom’ de gestoras de recursos

De janeiro a março, Anbima registrou 27 novas gestoras

Pandemia

Governo proíbe entrada de estrangeiros em voos provenientes da Índia

Restrição vale também para Reino Unido, Irlanda do Norte e África do Sul

Imposto de renda

Cerca de 12 milhões de pessoas ainda não enviaram declaração

Balanço foi divulgado pela Receita Federal na sexta-feira; prazo termina em 31 de maio

COLUNA DO JOJO

Como Jojo Wachsmann investiria o prêmio de R$ 1,5 milhão de Juliette, campeã do BBB21

CIO da Vitreo conta como alocaria uma carteira diversificada, segura e rentável com o prêmio do maior reality show do Brasil

Vai e vém

Demanda por crédito no Brasil cai 11% em abril, mas sobe 231% em 12 meses

Oscilação do índice medido pela Neurotech é atribuída a sazonalidade

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies