Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-10-30T17:52:24-03:00
Felipe Saturnino
Felipe Saturnino
Graduado em Jornalismo pela USP, passou pelas redações de Bloomberg e Estadão.
Mercados hoje

Ibovespa cai 3% com NY em dia de tombo de ‘big techs’

Gigantes da tecnologia têm dia de tombo forte com mercado à espera de eleições; dólar tem leve queda

30 de outubro de 2020
10:37 - atualizado às 17:52
Selo Mercados AGORA Ibovespa dólar
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

O Ibovespa caminha para fechar o mês em baixa, revertendo apenas nesta semana todo o movimento positivo que havia registrado em outubro.

O principal índice acionário da bolsa brasileira sofre nesta sexta-feira (30) outro tombo, refletindo a piora do humor dos investidores nos Estados Unidos, enquanto os índices europeus terminaram o dia enviando sinais mistos.

As bolsas americanas continuam apresentando fortes perdas, em uma reação negativa em face dos resultados divulgados por gigantes da tecnologia como Amazon, Apple e Facebook ontem, após o fechamento dos mercados. Os papéis do Twitter são outros que sofrem os efeitos da má repercussão entre investidores — as ações tombam incríveis (!) 21,6% agora.

Mesmo com lucro acima do esperado, os papéis dessas empresas caem forte neste momento. Por volta das 16h40, S&P 500 cai 2%; o Dow Jones, rumo ao seu pior mês desde março, recua 1,5%; e o Nasdaq, com o peso das gigantes, cai 3,15%.

No mesmo horário, o Ibovespa tomba 3,1%, aos 93.617,22 pontos. O índice caminha para terminar outubro no zero, após ter chegado a retomar o patamar de 100 mil pontos na semana passada. Na mínima

O dólar registra queda de 0,4%, cotado aos R$ 5,7463, em uma sessão volátil em que, na máxima, alcançou o nível de R$ 5,80, em avanço de 0,72%. A divisa saiu do pico após atuação do Banco Central no mercado de câmbio, com a oferta de dólar no mercado à vista. No mês, a moeda acumula ganho de 2,1%.

Os juros futuros encerraram a sessão em um comportamento misto. Taxas curtas subiram, enquanto mais longas apontaram para diferentes direções, sofrendo pequenas variações ou ficando próximas da estabilidade. Confira os principais vencimentos:

  • Janeiro/2021: de 1,94% para 1,96%
  • Janeiro/2022: de 3,48% para 3,46%
  • Janeiro/2023: de 5,04% para 5,05%
  • Janeiro/2025: estável em 6,78%

Vale lembrar que os mercados locais estão fechados na segunda (2) por ocasião do feriado de Finados.

Top 5

Depois de divulgar o seu balanço do terceiro trimestre, a Suzano está entre os principais desempenhos positivos do dia. Confira aqui os últimos números divulgados. Você também pode conferir a compilação de análises sobre a ação, em matéria feita pelo Ivan Ryngelblum.

Na leitura dos especialistas, o destaque fica para o Ebitda, que superou as estimativas, e o fluxo de caixa livre e o grau de desalavancagem.

CÓDIGOEMPRESAPREÇO (R$)VARIAÇÃO
VIVT4Telefônica Brasil ON           42,68 1,26%
FLRY3Fleury ON           27,53 0,36%
RAIL3Rumo ON           18,32 -0,05%
BRFS3BRF ON           16,91 -0,06%
SUZB3Suzano ON           50,11 -0,12%

A divulgação do balanço da B2W foi positiva, mas os investidores reagem negativamente ao cenário de ampliação de casos de covid no exterior e os papéis da empresa caem.

Ações da controladora Lojas Americanas também operam entre as principais quedas percentuais do dia, bem como outros papéis de varejistas (Hering e Via Varejo), o que mostra a aflição dos investidores sobre o setor de consumo. Veja as principais quedas:

CÓDIGOEMPRESAPREÇO (R$)VARIAÇÃO
BTOW3B2W ON           75,04 -9,21%
LAME4Lojas Americanas PN           23,04 -6,68%
VVAR3Via Varejo ON           17,08 -6,41%
HGTX3Cia Hering ON           16,01 -6,21%
GOLL4Gol PN           15,69 -5,54%

Incerteza no mercado externo

O crescimento do número de casos de coronavírus na Europa e nos Estados Unidos fica no radar. Ontem os Estados Unidos registraram recorde de infecções pelo coronavírus, com 90 mil casos.

A proximidade das eleições americanas também injeta incertezas nos mercados. As principais praças acionárias europeias, como Londres, Paris e Frankfurt, apontaram para lados diferentes no fim do dia, dando a imagem da volatilidade atual dos mercados.

Durante a madrugada, as bolsas asiáticas tiveram quedas superiores a 1%. No entanto, dados econômicos melhores que o esperado das economias americanas e europeias ajudam os índices a resgatarem um pouco de fôlego, o que leva as bolsas a operarem com certa instabilidade no começo desta manhã.

O Produto Interno Bruto da zona do euro cresceu 12,7%, o da França saltou 18,2% e o da Alemanha teve alta de 8,2% no terceiro trimestre. Nos Estados Unidos, os gastos com consumo avançaram acima do previsto em setembro, 1,4%.

Além do clima pesado no exterior, os investidores locais também seguem monitorando o clima político em Brasília e se preparam para a pausa nos negócios na segunda.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Rumo ao topo

Após compra da Extrafarma, veja as armas da Pague Menos (PGMN3) na luta pela liderança do varejo farmacêutico

Além dos planos de inaugurar 200 lojas entre 2020 e 2021, a empresa quer aumentar a sua fatia nas vendas online e por telefone

FECHAMENTO DA SEMANA

Desaceleração chinesa preocupa, alta do IOF desagrada e o Ibovespa acumula queda de 2,5% na semana; dólar avança

Decisão de aumentar o IOF de forma temporária não agradou o mercado e o Ibovespa voltou a operar em queda firme

Mercado desaprovou

Allied Tecnologia (ALLD3) desaba mais de 10% após revelar que estuda oferta restrita de ações

Vale lembrar que a empresa estreou na B3 em abril deste ano, após um IPO que movimentou cerca de R$ 190 milhões

MAU HUMOR DÁ O TOM

5 razões por que o Ibovespa não para de cair

Problemas fiscais e tensão internacional geram incertezas e refletem em um Ibovespa cada vez mais próximo dos 100 mil pontos

Petróleo digital

Petrobras (PETR4) inaugura centro de computação em nuvem; tecnologia vai acelerar digitalização da estatal

A adoção gradativa da computação em nuvem também será realizada com a parceria das empresas Amazon e Microsoft

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies