Menu
2020-06-23T16:28:10-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Mercados hoje

Ibovespa reduz alta com peso dos bancos; dólar acentua queda para R$ 5,14

O Ibovespa acompaha o movimento positivo observado nos mercados acionários globais. Investidores reagem a fala de Trump de que o acordo comercial preliminar firmado com a China continua em vigor.

23 de junho de 2020
10:33 - atualizado às 16:28
Selo Mercados AGORA Ibovespa dólar
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

Depois de um dia de forte realização dos lucros na bolsa brasileira, o Ibovespa abriu em clima de alívio com o otimismo observado no exterior, mas o ânimo arrefeceu.

Os mercados internacionais repercutem a fala do presidente Donald Trump, que reforçou que o acordo comercial assinado em janeiro entre Estados Unidos e China continua em vigor.

O bom humor fez o principal índice acionário da B3 se aproximar do patamar de 97 mil pontos, por volta das 12h45, quando subia 1,59%. Agora, no entanto, a bolsa reduz a alta para 0,5%, aos 95.833,18 pontos. O motivo? Os bancos.

As ações das empresas pesam negativamente no índice nesta tarde. Por volta das 16:15, ação do Banco do Brasil ON (BBAS3) caía 0,18%, os papéis do Bradesco ON (BBDC3) e PN (BBDC4) tinham queda de 0,46% e 0,93%. Enquanto isso, a unit do Santander (SANB11) recuava 1,14% e a ação PN do Itaú (ITUB4) tinha baixa de 2,06%.

O dólar abriu com forte alívio e mantém a tendência. Por volta do mesmo horário, a moeda americana recuava mais de 2%, cotado a R$ 5,14.

O presidente americano usou o Twitter para desmentir a fala do de Peter Navarro, conselheiro de comércio da Casa Branca. Em entrevista à Fox News, Navarro havia dito que o pacto comercial com a China havia chegado ao fim.

"O acordo comercial com a China continua intacto. Tomara que eles continuem a seguir os termos do acordo".

As bolsas americanas marcam altas superiores a 0,7%. O S&P 500 avança 0,77%, para 3.141,76 pontos. O Dow Jones sobe 0,81%, para 26.236,75 pontos, enquanto o Nasdaq ganha 1,08%, aos 10.164,75 pontos.

Segundo os dados do instituto IMS Markit divulgado nesta manhã, o índice de gerente de compras (PMI) de serviços subiu a 46,7 em junho. O número veio abaixo da previsão dos analistas, que era de 48. Já o PMI industrial subiu para 49,6, enquanto a previsão era uma alta de 52.

Os principais índices acionários na Europa — DAX, na Alemanha, CAC-40, na França, e FTSE 100, na Inglaterra — também tiveram performances positivas na sessão desta terça.

Mais cedo, os dados de atividade da zona do euro, Reino Unido e Alemanha animaram os investidores, com números melhores do que o esperado. O PMI composto da zona do euro subiu de 31,9 para 47,5 em junho. A expectativa era de 40,9. Na Alemanha, o índice foi de 32,3 para 35,8. No Reino Unido, o PMI composto foi de 30 para 47,6.

Com o cenário comercial otimista, fica em segundo plano o avanço do coronavírus — que volta a ganhar força em algumas regiões dos Estados Unidos e em Pequim.

Por aqui, o clima positivo observado nos mercados internacionais se sobrepõe ainda ao noticiário político em Brasília, que continua inspirando cautela.

Os desdobramentos da prisão de Fabrício Queiroz, ex-assessor parlamentar de Flávio Bolsonaro e acusado de comandar o esquema de 'rachadinhas' no gabinete do filho do presidente, continua no radar dos investidores. Novas operações que têm com alvo a esposa de Queiroz movimentam o noticiário político.

Próximos passos

Já os juros futuros recuam, acompanhando a queda do dólar e repercutindo a divulgação da ata da última reunião do Copom. No documento, o Comitê de Política Monetária do Banco Central discutiu o potencial mínimo da Selic, concluindo que este já estaria perto do fim e uma redução maior pode comprometer mercados e setores, gerando instabilidade.

A ata também repetiu o aviso dado no comunicado de decisão da semana passada, que cortou a taxa de juros de 3% para 2,25% ao ano, sobre a possibilidade de um corte residual na Selic na reunião marcada para agosto.

  • Janeiro/2021: de 2,04% para 2,035%;
  • Janeiro/2022: de 3,05% para 3,00%;
  • Janeiro/2023: de 4,17% para 4,12%;
  • Janeiro/2025: de 5,9% para 5,8%.
Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

PNAD contínua

Taxa de desemprego fecha 2020 sendo a maior da série histórica e renda familiar cai

Os dados da PNAD Contínua mostram uma queda nos postos de trabalho e taxas de desemprego históricas

novata na bolsa

Assaí vai estrear na B3 após ver lucro alcançar R$ 1 bilhão em 2020

Atacarejo foi separado das outras operações do Pão de Açúcar para destravar valor e permitir melhor acesso a financiamento

conteúdo XP

XP promove evento online e gratuito com experts do mercado para discutir ESG – entre os convidados estão Yuval Harari, Jean Case e Luiza Trajano

Promovido pela XP Investimentos, a “Expert ESG” acontecerá entre os dias 2 e 5 de março e reunirá os principais experts do mercado financeiro para debater investimentos sustentáveis; confira a programação completa e faça a sua inscrição

Dragão gringo

Bolsas têm alívio após divulgação de dados de inflação e gastos nos EUA

Logo após a divulgação dos dados, os índices futuros do S&P500 e o Nasdaq aceleraram a alta em Nova York. Por aqui, o Ibovespa também passou a operar firme no azul

Exile on Wall Street

Comprar ou vender Petro?

Sou uma pessoa muito mais “humanas” do que “exatas”. Na escola, tinha especial curiosidade sobre como seria ter aulas de Filosofia, o que só foi acontecer no segundo ano do colegial. Lembro bem da minha ansiedade ao abrir o livro “Convite à Filosofia”, de Marilena Chaui, aquele que seria meu passaporte para finalmente descobrir do […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies