Menu
2020-07-31T19:07:14-03:00
Ricardo Gozzi
mercados hoje

Ibovespa fecha em queda de 2% e dólar sobe com ajustes de carteira e realização de lucros

No acumulado do mês, Ibovespa subiu mais 8%, firmando-se na faixa dos 100 mil pontos; dólar registrou a maior queda mensal de 2020 em relação ao real.

31 de julho de 2020
18:20 - atualizado às 19:07
Selo Mercados FECHAMENTO Ibovespa dólar
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

O Ibovespa fechou em queda de 2% enquanto o dólar subiu mais de 1% na última sessão de julho. Ao longo desta sexta-feira (31), o principal índice do mercado brasileiro de ações repercutiu o mau humor nos mercados financeiros internacionais. Ao mesmo tempo, os ajustes esperados para a última sessão de julho aprofundaram a queda em meio à realização de lucros.

Apesar da intensa volatilidade dos últimos dias, o Ibovespa subiu 0,52% na semana e encerrou julho com alta de 8,27%, num desempenho muito parecido com os dos dois meses anteriores e aparentemente firmando-se em faixa superior aos 100 mil pontos.

Os mercados financeiros locais até começaram a sexta-feira refletindo um tom mais otimista, mas não demoraram a virar - acompanhando os sinais vindos de fora tanto na alta inicial quanto na baixa posterior.

Logo pela manhã, parecia que os bons resultados apresentados pelas grandes empresas de tecnologia - Apple, Facebook e Amazon - e dados melhores que o esperado vindos da Europa e da China seriam suficientes para sustentar o sinal de alta.

Entretanto, o balanço da petroleira Chevron inverteu o sinal das bolsas norte-americanas. A empresa registrou prejuízo líquido de US$ 8,3 bilhões no segundo trimestre.

Com a deterioração do cenário externo, o Ibovespa também passou a operar no vermelho. No início da tarde, a queda acentuou-se em meio a ajustes de carteira e à realização de lucros na última sessão do mês. Com isso, o índice terminou em queda de 2%, aos 102.912,24 pontos.

Pedro Galdi, analista da Mirae Asset, antecipou que, apesar da volatilidade dos últimos dias e da queda de hoje, o Ibovespa tendia a mostrar variação positiva no acumulado da semana.

Além de reagir aos sinais externos, o principal índice de ações da bolsa brasileira também foi influenciada pelos resultados dos balanços corporativos das empresas nacionais. Confira aqui os principais números analisados pelos investidores nesta sexta-feira.

Um dos resultados financeiros mais relevantes foi o da Petrobras, divulgado na noite de ontem. A petroleira apresentou um prejuízo 94% menor do que o visto no 1º trimestre de 2020. Apesar disso, a reação dos mercados ao resultado da Chevron fez com que tanto as ações PN (PETR4) quanto as ON (PETR3) virassem até fecharem ambas em queda de mais de 2%.

Enquanto isso, os aumentos de provisões revelados por Bradesco e Santander nos balanços divulgados esta semana pesaram sobre todo o setor bancário, apesar de analistas considerarem que a taxa de inadimplência está sob controle.

Mas nem só de queda, realização e ajuste foi a sexta-feira do Ibovespa.

No campo positivo, os papéis da Cielo ON (CIEL3) registraram a maior alta do dia (+9,3%) em meio a notícias de que o Banco Central (BC) comunicou às empresas que irá liberar a retomada dos testes do WhatsApp Pay, sistema de pagamentos via aplicativo de mensagens. A Cielo, controlada pelo Banco do Brasil e pelo Bradesco, é uma das empresas selecionadas para fazer os testes iniciais da ferramenta.

Já as ações ON da Localiza (RENT3) seguiram em destaque, fechando em alta de 1,9%, com a reação dos investidores ao balanço trimestral e às perspectivas de curto prazo da empresa.

Exterior misto

O índice Nasdaq fechou em alta de 1,49% graças aos balanços das big techs. Os índices Dow Jones e S&P 500 conseguiram apagar as quedas registradas no decorrer da sessão e encerraram no azul, com altas de 0,44% e 0,77%, respectivamente.

Confira a seguir as 5 maiores altas e as 5 maiores quedas do dia entre os componentes do Ibovespa.

MAIORES ALTAS

  • Cielo ON (CIEL3) +10,95%
  • Ecorodovias ON (ECOR3) +6,92%
  • TIM Participações ON (TIMP3) +6,42%
  • Engie ON (EGIE3) +3,36%
  • Telefônica Brasil PN (VIVT4) +2,97%

MAIORES QUEDAS

  • Cogna ON (COGN3) -12,47%
  • Ambev ON (ABEV3) -4,47%
  • Embraer ON (EMBR3) -4,28%
  • Braskem PN (BRKM5) -4,24%
  • CSN ON (CSNA3) -4,15%

Dólar e juro

O dólar, por sua vez, voltou para a faixa de R$ 5,20 em meio à piora do cenário externo e à disputa pela definição da Taxa PTax de julho. A moeda norte-americana encerrou a sessão cotada a R$ 5,2170 (+1,12%).

Ao longo de julho, entretanto, o dólar caiu 4,03% em relação ao real. Trata-se do maior recuo mensal da taxa de câmbio registrado em 2020, adicionando mais um dado à recente tendência de desvalorização da divisa norte-americana tanto diante de outras moedas fortes quanto das de países emergentes.

Os contratos de juros futuros, por sua vez, fecharam sem direção clara, pressionados pelo comportamento do dólar, mas sem descolar muito do fechamento de ontem em meio à expectativa de que o Banco Central anunciará um novo corte de juros na semana que vem.

Veja como ficaram os principais vencimentos:

  • Janeiro/2021: de 1,908% para 1,905%;
  • Janeiro/2022: de 2,631% para 2,650%;
  • Janeiro/2023: estável a 3,650%;
  • Janeiro/2025: de 5,203% para 5,170%.
Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

efeito coronavírus

PIB do Reino Unido tem queda recorde de 20,4% no 2º trimestre

Resultado ficou acima da expectativa de analistas consultados pelo The Wall Street Journal, que previam queda de 21,4% do PIB no período

efeitos da pandemia

Produção industrial da zona do euro sobe 9,1% em junho

O resultado, no entanto, ficou abaixo da expectativa de analistas consultados pelo The Wall Street Journal, que previam aumento de 9,5% no período

Esquenta do Mercado

Investidor local deve pesar baixas na equipe de Guedes e defesa do teto de gastos

Os investidores mundo afora monitoram a possibilidade de acordo para um pacote de estímulo econômico nos Estados Unidos, ora com mais, ora com menos pessimismo, os dados de avanço da covid-19, que traz preocupação novamente a países como Espanha e o desenvolvimento de vacinas. Com isso, os índices na Ásia fecharam sem direção nesta quarta-feira, […]

atualização oficial

Covid-19: Brasil registra mais 1.274 mortes e 52.160 casos

Nas últimas 24 horas, passou a fazer parte dessa estatística 52.160 novos casos confirmados e 1.274 mortes

de olho nos balanços

Raia Drogasil e BR Distribuidora: os balanços que mexem com o mercado nesta quarta-feira

Mercado financeiro tem mais um dia movimentado por conta dos balanços das empresas relativos ao segundo trimestre

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements