Menu
2020-05-28T13:24:35-03:00
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa e UBS Escola de Negócios. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência CMA, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico.
Indo contra a maré?

Credit Suisse mostra otimismo com o Brasil e recomenda compra para as ações do país

O Credit Suisse vê o mercado de ações do Brasil com bons olhos em relação aos demais emergentes, promovendo uma ‘dupla elevação’ na recomendação para a bolsa brasileira. O banco ainda lista alguns papéis do país que podem representar uma boa oportunidade de investimento

28 de maio de 2020
13:24
Touro bull market mercado ações bolsa Ibovespa
Imagem: Shutterstock

Num mercado particularmente difícil como o atual, a busca por boas oportunidades é um grande desafio. Nesse contexto, o Credit Suisse resolveu atualizar sua estratégia regional de alocação, fazendo um movimento que eles mesmos consideraram 'controverso': passaram a recomendar a compra de ações do Brasil, dentro do universo dos países emergentes.

Trata-se de uma dupla elevação, já que o banco antes mostrava-se pessimista com o mercado brasileiro e indicava a venda dos papéis de empresas do país. O que aconteceu?

Em primeiro lugar, o Credit Suisse acredita que há um enorme espaço para valorização do real em relação ao dólar, afirmando que a moeda brasileira está "anormalmente barata" levando em conta o superávit primário em níveis próximos do recorde histórico do país.

E, de fato, o mercado de câmbio já tem passado por um alívio importante nos últimos dias: o dólar à vista, que chegou a flertar com o nível de R$ 6,00 em meados de maio, agora oscila na faixa entre R$ 5,30 e R$ 5,40 — somente nesta semana, a divisa acumula baixas de mais de 4%.

Mas a questão cambial é apenas a ponta do iceberg na argumentação do Credit Suisse. Em relatório, a equipe comandada pelo analista Andrew Garthwaite ainda cita diversos outros fatores que podem dar impulso ao mercado de ações do Brasil — assim, agora seria uma boa hora para aumentar a alocação em bolsa:

  • Posição fiscal melhor que a projetada;
  • Preços de commodities em elevação;
  • Preços relativamente baixos das ações;
  • Menos riscos no lado da política econômica.

No lado fiscal, o banco projeta que o déficit primário do Brasil deve ficar em cerca de 3% do PIB ao fim de 2021, com a dívida líquida do governo geral chegando à 65% do Produto Interno Bruto — dados que, combinados a uma taxa de juros real negativa, criam um contexto de pressão não tão intensa sobre o endividamento público.

Quanto às commodities, o Credit Suisse pondera que 68% das exportações do Brasil correspondem a esse tipo de produto. Assim, a eventual aceleração no crescimento global a partir de 2021 tende a aumentar a demanda e ajudar as contas do país.

E, em termos de valor relativo, a instituição diz que o mercado brasileiro de ações está 'claramente barato' em comparação às bolsas globais, olhando para a relação entre preço e lucro.

Dito isso, a grande diferença do Credit Suisse em relação às demais casas de análise parece ser o quarto ponto: o banco mostra-se mais confiante em relação à condução da economia brasileira, apesar de todas as incertezas surgidas nas últimas semanas.

Guedes é a chave

"Há enormes críticas quanto à maneira com a qual o presidente Bolsonaro tem lidado com a pandemia da Covid-19, bem como às demissões dos ministros da Saúde e da Justiça", escrevem os analistas. "No entanto, o fator chave [em nossa análise] é a permanência do ministro da Economia, Paulo Guedes, no cargo".

A equipe do Credit Suisse ressalta ainda que as medidas fiscais para combate à doença, com cerca de 9% do PIB sendo destinado para esse fim, tem sido uma das mais generosas entre todos os países emergentes, considerando apenas o lado econômico.

Ações preferidas

O Credit Suisse ainda indicou algumas ações do país consideradas baratas, que possuem recomendação de compra e que têm valor de mercado superior a US$ 4 bilhões — uma lista encabeçada por bancos e empresas do setor financeiro, mas que também traz outros segmentos:

  • Bradesco PN (BBDC4)
  • Banco do Brasil ON (BBAS3)
  • BB Seguridade ON (BBSE3)
  • Santander Brasil units (SANB11)
  • Itaúsa PN (ITSA4)
  • JBS ON (JBSS3)
  • Telefônica Brasil PN (VIVT4)
  • Tim ON (TIMP3)
  • Engie ON (EGIE3)
Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Mudanças no time

BB Seguridade anuncia Marcio Hamilton Ferreira como novo diretor-presidente

Ferreira é graduado em Administração de empresas e desde janeiro ocupava o cargo de Diretor-Presidente da Brasilprev, empresa investida da BB Seguridade.

Multa de US$ 40 milhões

Justiça dos EUA aprova acordo para encerramento de ação coletiva, diz BRF

A empresa pagou a quantia de US$ 40 milhões para encerrar todas as demandas pendentes e que possam vir a ser propostas por pessoas ou entidades

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Um grande passo para a Arezzo

A Arezzo, rede de lojas de calçados femininos presente em boa parte dos shoppings brasileiros, abriu o capital na bolsa em 2011. Se você buscar no Google, provavelmente vai encontrar a matéria que eu escrevi na época sobre o IPO da empresa. Eu inclusive estive na sede da antiga BM&FBovespa (atual B3) na manhã do […]

fechando a conta no azul

Perdeu, mas ganhou: Ibovespa tem correção e cai, mas termina semana em alta; juros disparam com inflação

Índice não conseguiu manter toada positiva vista em outros dias e recuou com quedas de bancos e Petrobras; dólar sobe com inflação maior à vista

começa hoje

Para evitar aglomeração, Via Varejo anuncia Black Friday antecipada

Durante o período, a ideia da campanha é que sejam anunciadas ofertas e vantagens para o cliente em todos os canais.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies