Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-04-21T18:40:49-03:00
Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
Jornalista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com pós-graduação em Finanças Corporativas e Investment Banking pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Trabalhou com produção de reportagem na TV Globo e foi editora de finanças pessoais de Exame.com, na Editora Abril.
Mercados hoje

Bolsas globais caem com impactos econômicos do coronavírus e queda do petróleo

Bolsas asiáticas, europeias e americanas fecharam em qued; B3 permaneceu fechada hoje devido ao feriado

21 de abril de 2020
11:29 - atualizado às 18:40
Selo Mercados FECHAMENTO Ibovespa dólar
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

As bolsas globais fecharam com perdas nesta terça-feira (21) com os impactos econômicos do coronavírus e a continuidade do movimento de queda nos preços do petróleo no mercado futuro.

Em Nova York, o Dow Jones recuou 2,67%, para 23.018,88 pontos; o S&P 500 caiu 3,07%, a 2.739,56 pontos; e o Nasdaq fechou em queda de 3,48%, a 8.263,23 pontos. As empresas do setor de energia registram queda forte, e dados do setor de moradia piores do que o esperado também pesam nas negociações.

Os Estados Unidos informaram que a venda de moradias usadas caiu 8,5% na passagem de fevereiro para março, a 5,27 milhões. Analistas ouvidos pelo The Wall Street Journal previam queda menor, a 5,34 milhões.

Na Ásia e na Europa, as bolsas fecharam em queda generalizada. O índice pan-europeu Stoxx 600 caiu mais de 3%.

A queda do petróleo também pesou sobre os preços das empresas de energia, mas alguns dados econômicos também foram mal recebidos pelo mercado europeu.

Nesta manhã, dados britânicos mostraram desaceleração do número total de empregados de fevereiro para março, o que foi interpretado como consequência da pandemia de coronavírus.

Também saiu hoje o índice ZEW de expectativas econômicas na zona do euro, que subiu de -49,5 em março para +25,2 em abril. Mas a avaliação da atual situação da economia recuou de -48,5 em março para -93,9 em abril.

No Brasil, a B3 permaneceu fechada nesta terça em razão do feriado de Tiradentes, mas o fundo de índice (ETF) EWZ, que representa ações brasileiras na bolsa de Nova York, recuou 3,21%.

Os recibos de ações (ADR) da Petrobras negociados nos Estados Unidos recuaram 3,51%, para US$ 6,05, enquanto os da Vale caíram 2,63%, a US$ 7,78. Os ADRs do Itaú Unibanco perderam 4,59%, a US$ 4,055 e os do Bradesco registraram queda de 4,36%, a US$ 3,51.

Já o dólar se valorizou, tanto ante as moedas emergentes quanto às moedas dos países desenvolvidos.

*Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

De onde vem o dinheiro?

Governo confirma Auxílio Brasil em R$ 400, mas sem revelar de onde vai tirar o dinheiro para bancar o benefício

O ministro da Cidadania não respondeu às perguntas da imprensa nem confirmou a fonte de renda para o novo programa social, o que é a grande preocupação dos mercados

O que vem depois da lua?

Depois do recorde: até onde vai a alta do bitcoin? Especialista em criptomoedas responde

Depois da aprovação do primeiro ETF em criptomoedas, o bitcoin (BTC) não para de subir e as estimativas são otimistas — mas os EUA podem mudar o jogo

Analistas respondem

Ações da Vale aprofundam queda com sinais ruins do relatório de produção e vendas no 3º trimestre. Hora de comprar VALE3?

Analistas apontam que, enquanto a produção foi sólida, a venda de minério de ferro veio abaixo do esperado até pelas estimativas mais conservadoras

Puxando os ETFS

Chove bitcoin, molha ETF: fundos de índice brasileiros sobem até 19% em dia de recorde do BTC

Enquanto o primeiro ETF de criptomoeda dos Estados Unidos avança tímidos 3%, na B3, o avanço é de até 19,78%

Cabo de guerra

Sem explicar origem da verba, Bolsonaro confirma Auxílio Brasil em R$ 400 e promete respeitar teto de gastos

Apesar da promessa do presidente, o governo flerta com a flexibilização do teto para conseguir arcar com o valor do benefício

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies